Bagaço de cevada na alimentação animal

Publicado: 19/05/2014
Autor/s. : Prof. Antonio Assis Vieira e Zootecnista Jamil Monte Braz, MSc.

A alimentação é o fator que mais onera os custos da produção animal e por esta razão a procura por ingredientes que possam ser utilizados na alimentação de forma a reduzir estes custos é uma prática corrente na produção animal. Devem ser obtidas informações sobre esses ingredientes com relaç&at...

remove_red_eye 14131 forum 25 bar_chart Estatísticas share print
Compartilhar :
close
Cícero Roberto Campos Cícero Roberto Campos
Produtor de gado de leite
19 de Maio de 2014

Estou com um problema. Parte da alimentação das minhas vacas é feita com cevada fornecida pela CEBRASA de Anápolis-GO, forneço via úmida porém passei a ter problemas nutricionais, que segundo os técnicos, provém de cevada fornecida via úmida como é o meu sistema atual, colocada em um tanque, adicionando água e fornecendo como um líquido correndo pelo cano até o cocho.
Decidi fornecer como vem da indústria adicionada à silagem no vagão de mistura total, porém passei a ter problemas com a conservação da mesma com larvas e acidez.
O que eu faço?

Responder
19 de Maio de 2014
Caro Cícero, como a minha praia é com a alimentação de suínos, vou levar sua dúvida aos meus colegas da área de Bovinocultura para lhe responder com mais embasamento. Porém, já adianto que o que usei foi o denomino "bagaço" é o resíduo úmido da indústria de cervejaria, retirado imediatamente após a fermentação para a produção da cerveja, entregue na propriedade, bem próximo à fábrica (cerca de 10 km), portanto, quase sem alteração na sua característica. O bagaço tinha cerca de 70% de umidade, aparentemente, parecido com o que você descreve.
Uma forma que tentamos para manter as características por mais tempo, foi a adição de sal grosso no bagaço armazenado em tonéis de plástico que alguns chamam de "bombonas"
Responder
19 de Maio de 2019
Assis Vieira , Bom dia gostaria de saber quantos Kg de sal grosso vc usa por tonelada pra conservar o Bagaço de cevada .
Responder
Etec Edson Galvao Etec Edson Galvao
Zootecnista
20 de Maio de 2014

Prezado Cícero, Boa Tarde,
Particularmente, contrariando a grande maioria, não recomendo a meus clientes o uso de cevada úmida. O excessivo teor de umidade implica em baixas taxas de ruminação, o que sugere doenças metabólicas. Quem a usa com eficiência, a ensila retirando sua umidade, e estocando-a. Porém, a se considerar a maioria dos resíduos úmidos comercializados, teríamos muito pouco a estocar. O mais importante, é saber qual a análise bromatológica deste alimento que Você vem fornecendo, e qual a função real deste na dieta dos animais. O uso de subprodutos deve ser considerado com bastante critério, uma vez estes poderem resolver problemas a curto prazo, como a disponibilidade de alimentos, mas com riscos de implicar em problemas de médio/longo prazo, como as questões reprodutivas, em decorrência de aflatoxinas por exemplo...Em termos práticos, sugiro que a médio prazo, faça a redução gradativa do uso deste bagaço, e passe a utilizar alimentos de composição conhecida e garantida, asseguradas pelos fabricantes e com validades definidas, pois a alimentação, em sistemas de produção de ruminantes, pode chegar a representar até 70% dos custos totais, o que passa a exigir qualidade e eficiência, para que não coloquemos em risco, primeiro os animais, e também, a viabilidade da sua proposta de produção. Sugiro ainda que visite outros produtores, que usam este mesmo alimento ou que não fazem uso deste, para que possa chegar a conclusões mais precisas, que muito provavelmente, serão contrárias às minhas. Boa sorte e sucesso, com ou sem cevada...

Responder
Paulo Intrator Paulo Intrator
Produtor de gado de leite
21 de Maio de 2014

Sr. Cícero: forneço ceva úmida a meu gado leiteiro já há uns 7 anos e não tenho tido problemas na sanidade do gado. A quantidade fornecida varia de 1 a 15kg/dia, mas elas recebem complementação com farelos. O grande gargalo da cevada, no nosso caso, é o custo, pois 75% da que nos é fornecida é água, mas isto tende a mudar, já que água que nos é fornecida provém da lavagem para retirada do bagaço e este processo vem sendo substituído pelo ar comprimido, o que irá baratear o custo da mesma. Fugi um pouco da pergunta, mas quero finalizar dizendo que, se seus problemas nutricionais possam ter origem no excesso de água, este problema tende a acabar ou, no mínimo, diminuir com a mudança do processo de fornecimento da mesma. Boa sorte, espero ter ajudado.

Responder
21 de Maio de 2014

Boa tarde,
Sr. Cícero, podemos utilizar com eficiência vários alimentos para nossos ruminantes, desde que haja um balanceamento das dietas.
Trabalho com resíduo úmido de cervejaria, com resultados muito interessantes, com eficiência técnica e econômica, inclusive em uma propriedade com produção de 16.000 litros de leite por dia.
Os desafios deste ingrediente são, com certeza, maiores. Tanto na sua utilização como na armazenagem.
Qualquer dúvida, estou à disposição.

Responder
Jamil Montebraz Jamil Montebraz
Zootecnista
27 de Maio de 2014

O bagaço de cevada, subproduto da indústria de cervejaria é exatamente o produto descrito pelo Sr. Renato Dib, resíduo úmido de cervejaria, somente a denominação é diferente, que tem sido utilizado por pesquisadores e produtores de gado de leite com resultados positivos comprovados. Corroborando o comentário do Sr. Renato, a utilização deve ser feita de forma adequada, e em quantidades adequadas na dieta de vacas leiteiras promoveu aumento de produção e produtividade. Antes da utilização, deve ser realizada análise bromatológica para verificar os níveis nutricionais do ingrediente, no caso o bagaço de cevada, para depois ser incluído na dieta através de balanceamento nutricional na quantidade certa. Como é um ingrediente com alto nível de umidade, sua conservação é mais complicada, o ideal é antes de ser armazenado deixá-lo secar um pouco à sombra em ambiente livre de moscas. Verificamos, em experimento que conduzi com o Prof. Antônio Assis, da UFRRJ, que o bagaço de cevada é infelizmente um substrato adequado para a deposição de ovos, que depois vão se tornar larvas no ingrediente armazenado o contaminando. O armazenamento em bombonas, como descreveu o Prof. Antonio Assis, se mostrou funcional, com pequenas perdas do ingrediente.

Responder
29 de Maio de 2014
Já utilizei este produto em cabras leiteiras e admito que aumentava em 15% a produção de leite. Era dieta balanceada com ração e alfafa e pastagens e ao retirar somente a cevada úmida reduzia em 15% a produção. Também tinhamos problemas de "apodrecimento", e o principal fator negativo era o custo do produto, visto que quase 80% era água além do que era separado como impróprio para alimentação devido a este apodrecimento.
Então parei de fornecer e aumentei as quantidades de ração.
Responder
Reynaldo Lopes Reynaldo Lopes
Produtor de gado de leite
3 de Novembro de 2014
Cícero,
Tenho muito interesse em adquirir o bagaço de cevada da Cebrasa de Anápolis. Poderia me enviar um telefone para o qual eu possa ligar para comprar o produto??
Obrigado
Responder
22 de Abril de 2015
Sr. Antonio assis, crio matriz suina, o que você me diz sobre alimentar matrizes com cevada?
Responder
9 de Março de 2018
joao paulo fiscina Sr João Paulo, desculpe-me no tardar da resposta, que nem sei se ainda tem alguma valia. O caso é que às vezes, tenho dificuldade em acessar o Engormix e por essa razão, só agora vi o seu questionamento.
Bem, vamos lá a resposta! Do ponto de vista científico, posso dizer que não tenho experiência com o BCV para matrizes. Foi minha intenção pesquisá-lo para animais de reprodução, como matrizes em gestação e lactação e varrões, porém por motivos que não vem ao caso, o nosso fornecedor (AMBEV-RIO) interrompeu o fornecimento do BCV. Portanto, a minha análise aqui é técnica. Pensando ser o BCV um alimento de características semelhantes ao farelo de trigo, pelo alto conteúdo em fibras, ele poderá ser utilizado em até 15% em raçoes à base de milho e farelo de soja para porcas gestantes, Não o recomento para porcas lactentes, pelo fato de ele limitar o consumo, pelo alto volume que confere à ração, o que iria prejudicar a produção de leite da matriz e o desempenho dos leitões.
Responder
8 de Setembro de 2015
Boa noite pessoal, venho atraves deste tentar agregar informaçoes sobre o bagaço de malte......tenho projetos elaborados na regiao de uberlandia, onde este é um excelente produto utilizado na dieta de animais tomando cuidado em suas dosagens e concentracoes altas de proteinas somadas principalmente com as racoes, precisamos utilizar dietas responsaveis , qto a utilizaçao , utilizamos durante anos diluida em agua e nao obtivemos problemas e sim uma maior digestibilidade e uma diminuicao significativa do consumo de agua pois o mesmo absorvia essas quantidades na cevada.... tomar cuidado com excessos pois teremos problemas com casos , e reproducao... utilizo aqui para vacas de 30kg leite cerca de 12kg cevada,5 kg racao mais silagem.... sucesso total.... e qto a armazenagem muito me espanta dizer que a umidade a trapalha, pois qdo chega na caixa eu coloco uma lamina de agua por cima e conserva ate 30 dias ... outra forma tbm seria em uma caixa de 5x5x0,7 jogar 3 sacos de 25 kg de sal formando um camada simples ...mantendo tbm por 30 dias tranquilo. qq duvida e informacoes moraisantoniel@gmail.com
Responder
Eduardo Viana Rabelo Eduardo Viana Rabelo
Produtor de gado de corte
21 de Setembro de 2015
Sera que se pegarmos o bagaço em bombonas diretamente da maquina de filtragem e tamparmos imediatamente, interrompendo contato com o ar, podemos extender o prazo de duracao em mais de 30 dias?
Alguma experiencia em confinamento de novilhos de 2 anos com a pura substituicao de alto grao 2% do PV, pelo bagaço a seco, sem adicao de agua. Talvez adicionando ureia ou alguma enzima mais apropriada?
Obrigado
Responder
21 de Setembro de 2015
Primeiramente boa noite sr Eduardo , sobre as bombonas e a extensão do prazo de duração ,não tenho esse dado para te levantar mas posso adiantar que da mesma forma se contato com o ar eles a armazenam nos silos diretamente e sem contato com o ar e não armazenam muito tempo ,não podem chegar a 30 dias ,para se ter uma noção ,dentro do caminhão fechado ela fermenta e expande se ficar muito tempo fechado chega a força tampa de aço .

Sobre o confinamento de novilho temos grande sucesso com a total substituição mas em uso in natura ,ela meio úmida ou em sopão auxiliando na palatabilidade....ela seca o animal come mas não tanto qto ela úmida ou em sopão. Com ela úmida os resultados são mais significativos . ESpero ter ajudado e se tiver alguém com tais experiências mais incisivas deixe nos uma informações ,agradeço .
Responder
7 de Maio de 2018
Quando o amigo que nos fala acima, diz que armazena o produto com uma lamina de água, faz todo o sentido. Fazendo isso, ele mantem a temperatura dos grão baixa e eliminando assim a possibilidade dos grãos fermentarem.
O que faz os grãos estragarem é justamente a fermentação do mesmo. Creio que fazendo a troca dessa lamina de água de 5 em cinco dias, depara conservar o produto por mais de 30 dias. Ou fazendo a secagem do mesmo, num terreiro, tipo os antigos terreiros de fecar café ao sol.

Se o bagaço de malte fosse armazenado em câmaras frias ele também duraria bastante tempo. Mas aí fica inviável.
Responder
16 de Maio de 2018
Boa tarde,
O farelo da cevada seca para galinha poedeiras moída com milho e farelo de trigo e calcário e sal posso dá para as galinhas?
Responder
17 de Maio de 2018
Caro Diney , posso estar equivocado, mas, na minha concepção o farelo de cevada teria bastante semelhança com o farelo de trigo. Então, esse produto pode substituir o farelo de trigo.
Responder
17 de Maio de 2018
Não posso misturar os 2? Por falta do farelo de soja?
Responder
17 de Maio de 2018
Diney Nenhum dos dois substitui o Farelo de Soja (FS). Ambos tem um elevado teor de fibras (± 10%) e proteína (± 15%), enquanto o FS possui cerca de 5% de fibras e de 45 a 48% de proteína. Veja bem que o que estou descrevendo como farelo de cevada seria o resíduo (membrana que envolveria o grão) do beneficiamento do grão da cevada que seria semelhante ao farelo de trigo, o qual é o resíduo (membrana que envolveria o grão) do beneficiamento do grão de trigo. Nesses casos teríamos como produto da indústria, as farinhas de trigo e de cevada, usados na indústria da panificação e, os resíduos farelos de cevada e de trigo que são usados na alimentação animal.
O material com o qual trabalhei foi o "bagaço de cevada" ou RUC = resíduo úmido de cervejaria que é o subproduto do processo de fermentação da cevada (grão integral) obtido na fabricação de cerveja.
Espero ter esclarecido.
Estou a disposição para mais esclarecimentos se necessário.
Responder
31 de Julho de 2018
BOM DIA

QUAL A QUANTIDADE QUE EU PODERIA FORNECER PARA UM EQUINO DIA .
DEVO FORNECER ELA UMIDA OU SECA?
OBRIGADO
Responder
1 de Agosto de 2018
LAERCIO VIDALI JUNIOR Honestamente, Laercio, não posso responder a respeito do uso do bagaço de cevada para equinos, pois trabalhei, na pesquisa, apenas com suínos. Mas vou consultar os colegas que trabalham com equinos e, tendo resposta positiva, te repasso mais tarde. Posso demorar um pouco na resposta pois estamos em período de recesso escolar...
Responder
12 de Setembro de 2018
Gostaria se já realizaram algum trabalho com o bagaço de cevada ensacada.? E como devo está fazendo? Obrigado!
Responder
21 de Dezembro de 2018
Bom dia
Posso dar RUI para galinhas poedeira além da ração?
Responder
26 de Dezembro de 2018
Interessante a troca de experiências junto com o estudo científico do nosso zootecnista a cime, e p/ confinamento ou semi-confinamento de bovinos qual seria a combinação perfeita p/ a o bagaço de cevada?
Responder
25 de Junho de 2019
Estou montando uma pequena fabrica de pação para peixes e tive uma indicação para uso do "RUC" em substituição do milho e soja. Sabe algum forum ou contato que possa me ajudar com este assunto ?

Desde já muito obrigado
Roberto Pinheiro
Responder
1
print
(14131)
(25)
Deseja opinar nesta discussão sobre: Bagaço de cevada na alimentação animal?
Engormix se reserva o direito de apagar e/ou modificar os comentários. Veja mais detalhes
Comentar
Criar nova discussão :
Se essa discussão não abrange temas de interesse ou levanta novas questões, você pode criar uma outra discussão.
Consultar um profissional em particular:
Se você tem um problema específico, você pode executar uma consulta em particular a um profissional em nossa comunidade.
Luiz Sérgio Merlini
Luiz Sérgio Merlini
Doutor
  Maringá, Parana, Brasil
 
   | 
Copyright © 1999-2019 Engormix - All Rights Reserved