Vitaminas carcaça frangos micotoxinas

Efeito de diferentes níveis de vitaminas sobre o rendimento da carcaça de frangos de corte desafiados com micotoxinas.

Publicado: 16/10/2012
Autor/s. :

RESUMO

O objetivo deste experimento foi avaliar os efeitos da inclusão de dois níveis de vitaminas nas dietas de frangos de corte (de 1 a 44 dias) desafiados com micotoxinas. Foram usados 1800 pintos de um dia (Cobb, machos) distribuídos em 8 tratamentos com 15 réplicas (com 15 aves cada) em um delineamento fatorial (2 x 2 x 2), dois diferentes níveis de vitaminas (baixo e ideal), dois níveis de aflatoxinas (0 e 0,5 ppm) e dois níveis de adsorventes de micotoxinas (0 e 10 kg/ton). Os parâmetros estudados foram rendimento da carcaça e peso relativo do peito e pernas. A análise de variância dos dados foi realizada para avaliar as diferenças estatísticas entre os tratamentos (P ≤ 0,05). Não foram observados efeitos nem do desafio com micotoxinas nem do adsorvente de micotoxinas. O nível ideal de vitaminas aumentou (P < 0,05) o rendimento das carcaças quando comparado com o baixo (69,61 vs. 70,31% ± 0,23), mas não foram observadas diferenças significativas com relação ao peso relativo do peito e das pernas. Os resultados demonstram a importância de níveis ideais de vitaminas para garantir a produtividade de frangos de corte.

PALAVRAS-CHAVE: aflatoxina, adsorventes de micotoxinas, características de carcaça, vitaminas

 

INTRODUÇÃO

            As recomendações quanto aos níveis de vitaminas para aves de produção mudaram pouco nos últimos 40 anos; entretanto, o frango de corte moderno melhorou drasticamente seu desempenho durante esse mesmo período. Além disso, um nível ideal de vitaminas é crucial em condições de estresse elevado para que as aves consigam ter bom desempenho e saúde. Nesse contexto, a contaminação das matérias-primas e rações com aflatoxinas acabou se tornando um desafio importante para frangos de corte. Na criação de frangos de corte, esse tipo de contaminação do alimento muitas vezes resulta em um desempenho ruim, com alta mortalidade e maior susceptibilidade a doenças (Jones et al., 1982; Huff et al., 1986). Diversas estratégias para redução ou inativação de aflatoxinas já foram avaliadas, incluindo métodos físicos, químicos e biológicos (Phillips et al., 1994, 2002; Phillips, 1999). O aumento na concentração de determinadas vitaminas na ração tem um efeito positivo sobre a produção de frangos de corte. Por esse motivo, o principal objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos da suplementação de dois níveis de vitaminas sobre o rendimento de carcaça de frangos de corte desafiados experimentalmente com aflatoxinas.

 

MATERIAL E MÉTODOS

            Um total de 1.800 pintos de um dia Cobb 500 foram obtidos de um incubatório comercial. Os pintos foram arranjados em um delineamento inteiramente casualizado de oito tratamentos dietéticos. Havia 225 pintos em cada tratamento, e cada tratamento tinha 15 réplicas com 15 pintos cada em um delineamento fatorial (2 x 2 x 2) com dois níveis de vitaminas diferentes (baixo e ideal); dois níveis de aflatoxinas (0 e 0,5 ppm) e dois níveis de adsorventes de micotoxinas (0 e 10 kg/ton). Cada box continha cama usada, um comedouro tubular e uma linha de bebedouros tipo nipple. O aviário experimental foi aquecido com fornalhas de ar forçado e resfriado por ventilação de pressão negativa usando-se dois ventiladores de 48 polegadas puxando ar através de células de resfriamento. Os frangos receberam tratamento de luz seguindo recomendações do guia de manejo. Todas as dietas foram à base de milho e farelo de soja e oferecidas fareladas. Aos 44 dias, duas aves de cada box foram pesadas separadamente e processadas para avaliação das características de carcaça (rendimento da carcaça, peso relativo do peito e das pernas). Os dados foram analisados como fatorial 2 x 2 x 2 por análise de variância através do procedimento de modelos lineares gerais do SAS (SAS Institute, 2000). A significância estatística foi baseada em um nível de probabilidade de 0,05.

RESULTADOS E DISCUSSÃO

            Não houve interação entre os fatores estudados e a presença da aflatoxina ou do adsorvente não influenciou as características das carcaças (Tabela 1). No entanto, através da análise de contrastes, as aves alimentadas com a ração OVN tiveram um rendimento de carcaça significativamente maior em termos percentuais quando comparadas com aves que receberam níveis baixos de vitaminas (Tabela 2). Segundo Santurio (2000) quando as dietas são carentes de vitaminas as aves ficam mais susceptíveis a aflatoxinas e consequentemente têm um desempenho ruim. O resultado do presente estudo indica que níveis ideais de vitaminas na dieta foram essenciais para melhorar o rendimento das carcaças.

Tabela 1. Carcaça de frangos de corte alimentados com diferentes níveis de vitaminas com ou sem aflatoxinas e adsorventes na dieta

Premix Controle

Premix OVN

 

Sem Aflatoxina

 Aflatoxina

Sem Aflatoxina

Aflatoxina

 

Adsorvente

Não

Sim

Não

Sim

Não

Sim

Não

Sim

P

Carcaça%

70,03ab

69,76b

69,46b

69,20b

70,55a

70,66a

69,83ab

70,20a

0,015

Peito %

32,05

31,91

31,42

31,75

31,98

31,55

31,43

30,93

0,281

Pernas %

32,63

32,87

33,29

33,11

32,93

33,15

33,32

33,00

0,428

 

 

Tabela 2. Contraste entre diferentes níveis de vitaminas sobre o rendimento da carcaça de frangos de corte

 

 

Premix Controle

Premix OVN

P

Carcaça %

69,61b

70,31a

0,002

Peito %

31,78

31,48

0,192

Pernas %

32,98

33,10

0,453

 

CONCLUSÃO

            A suplementação das dietas com vitaminas pode melhorar o rendimento das carcaças de frangos de corte.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

HUFF, W. E., L. F. KUBENA, D. E. HARVEY, D. E. CORRIER, AND H.H.MOLLENHAUER (1986) Progression of aflatoxicosis in broiler chickens. Poultry Science 65:1891–1899.

JONES, F. T., W. H. HAGLER, AND P. B. HAMILTON (1982). Association of low levels of aflatoxin in feed with productivity losses in commercial broiler operations. Poultry Science 61:861–868.

PHILLIPS, T. D., B. A. CLEMENT, AND D. L. PARK (1994) Approaches to reduction of aflatoxins in foods and feeds. In: The Toxicology of Aflatoxins:Human Health, Veterinary, and Agricultural Significance. D. L. Eaton and J. D. Groopman,

ed. Academic Press, New York. p. 383-406

PHILLIPS, T. D. (1999). Dietary clay in the chemoprevention of aflatoxin-induced disease. Toxicological Sciences. 52:118–126.

SANTURIO, J.M. (2000) Micotoxinas e micotoxicoses na avicultura. Revista Brasileira de Ciência Avícola, 2:1-12.

 
remove_red_eye 348 forum 0 bar_chart Estatísticas share print
Compartilhar :
close
Ver todos os comentários
 
   | 
Copyright © 1999-2019 Engormix - All Rights Reserved