engormix
search
search

LAMIC - LABORATÓRIO DE ANÁLISES MICOTOXICOLÓGICAS - Brasil

LAMIC -  LABORATÓRIO DE ANÁLISES MICOTOXICOLÓGICAS
LAMIC - LABORATÓRIO DE ANÁLISES MICOTOXICOLÓGICAS
A seguinte publicação técnica está relacionada com o evento:
Avesui 2016 Feira da Indústria Latino-Americana de Aves e Suínos

Certificação de grãos de milho armazenados em silos para niveis nutricionais.

Publicado: 10/06/2021
Autor/s. : Juliano Kobs Vidal, Adriano Olnei Mallmann, Diogo Liberalesso, Paulo Dilkin, Carlos Augusto Mallmann

RESUMO: Objetivou-se certificar grãos de milho armazenados em silos para os níveis nutricionais e formular rações de frangos de corte na fase inicial a partir dos resultados obtidos das amostras de milho de cada silo.Para isso foram coletadas amostras de quatro silos de milho durante a introdução de uma sonda pneumática em cinco pontos de amostragem: no centro da superfície do silo e no centro de cada quadrante da superfície do silo. Realizou-se a determinação deenergia metaboliza´vel para aves (EMn), diferença de EMn, protei´na bruta, extrato ete´reo, matéria mineral, matéria seca e aminoa´cidos digesti´veis para aves (lisina, metionina, treonina e cistina) com equipamento de espectrometria no infravermelho proximal (NIRS) em todas amostras. Os valores diferiram (p<0,05) para a variável diferença de EMn entre os quatro silos, no qual o silo A apresentou menor valor de EMEn. Os silos A e B apresentaram os maiores valores de proteína bruta (p<0,05) em relação aos silos C e D. Os valores médiosdas variáveis de cada siloforam utilizados para calcular rações para frangos de corte na fase inicial. Houve uma diferença de R$ 15,00 por t de ração calculada entre o milho do silo A e silo B. O processo de certificação de silos para os níveis nutricionais permite o planejamento prévio, favorece o gerenciamento e destinação correta dos grãos, gerando resultados econômicos mais satisfatórios, em virtude da formulação de uma dieta mais precisa aos animais.

PALAVRAS-CHAVE: Energia metabolizável, proteína bruta, ração, NIRS, frangos.

ABSTRACT:The aim of this study was certify maize grain stored in silos for nutritional levels and formulate broiler feed in the initial phase from the results obtained from maize samples of each silo. For this purpose samples were collected in four maize silo by introducing a pneumatic sampling probe into five sampling points: the center of the silo surface and the center of each quadrant of the silo surface. At each sampling point were collected three samples composed of the grain collected from all depth of the silo.The determination of metabolizable energy for poultry (MEn), MEn difference, crude protein, ether extract, ash, dry matter and digestible amino acids for poultry (lysine, methionine, threonine and cystine) was performed with Near-Infrared Spectrometric (NIRS) in all samples.There were differences (p<0.05) for the variable difference MEn among the four silos in which the silo A presented lower value of MEn. Silos A and B showed higher crude protein values (p<0.05) compared to silos C and D.The average values of the variables of each silo were used to calculate feed for broilers in the initial phase. There was a difference of R$ 15.00 per ton of ration calculated between the maize of silos A and B. The silos certification process for the nutritional levels allows preplanning, favors the management and correct destination of grains, generating financial results more satisfactory, due to the formulation of diet more precise to animals.

KEY WORDS: Metabolizable energy, crude protein, feed, NIRS, broilers.


Apresentado no XV Seminário Técnico Científico de Aves e Suínos - AveSui 2016

INTRODUÇÃO: 

O conhecimento do valor nutricional dos alimentos, representado pelo conteúdo de aminoácidos, coeficientes de digestibilidade dos nutrientes e valores energéticos é de fundamental importância para elaboração de rações para animais monogástricos. A obtenção desses valores permite otimizar o aproveitamento dos nutrientes da ração pelos animais, evitando deficiências ou excesso de nutrientes o que tanto auxilia na diminuição de custos, quanto na excreção de nutrientes no ambiente (ROSTAGNO et al., 2007). O milho é o principal ingrediente que compõem uma formulação de ração para aves e suínos, com alto percentual de inclusão, o qual pode chegar a 60% (STRINGHINI et al., 2000).

O milho é um cereal rico em energia e por isso é considerado como concentrado energético. A composição química do grão de milho pode apresentar variações, devido a fatores como potencial genético, nível de adubação utilizado, fertilidade do solo, condições climáticas, entre outros (EYNG et al., 2009).  Mallmann et al. (2015) avaliaram 43 híbridos e verificaram uma variação de 7,40 a 8,82% na proteína bruta (PB) e 3.183 a 3.295 kcal kg-1 na energia metabolizável para aves corrigida para balanço de nitrogênio (EMn). Vieira et al. (2007), em estudo com 45 híbridos de milho, verificaram uma variação de 2.997 a 3.459 kcal kg-1 na EMn, 6,85 a 10,08% na PB e oscilação de 24,7% nos níveis de EE.

A informação mais exata e precisa do perfil de aminoácidos dos alimentos é essencial para a formulação de custo mínimo, redução dos riscos de suprimento de níveis marginais ou em excesso dos aminoácidos essenciais dietéticos e, consequentemente, diminuição dos custos de alimentação e excreção de nitrogênio para o meio ambiente. Portanto, a utilização mais exata dos valores energéticos dos alimentos otimiza a produtividade e maximiza a rentabilidade na produção animal (SILVA et al., 2008).

Os elevados custos de um procedimento de monitoramento da matéria-prima em indústrias alimentícias, especialmente fábricas de ração, inviabiliza o envio de amostras nos dois momentos da fase produtiva. Em vista disso, é necessário que se faça a coleta e análise das amostras dos grãos antes da sua utilização, ainda na etapa de armazenamento. A tomada de decisão baseada em informações prévias à compra dos ingredientes favorece o gerenciamento e destinação correta dos grãos, gerando resultados econômicos mais satisfatórios em virtude da formulação de uma dieta mais precisa aos animais.Diante do exposto, o objetivo deste trabalho foi certificar o milho armazenado em diferentes silos para os níveis nutricionais para frangos de corte e calcular rações com o milho de cada silo para frangos de corte na fase inicial.


MATERIAIS E MÉTODOS:

O estudo foi realizado a partir da coleta de amostras de milho em quatro silos da Cotrijal Cooperativa Agropecuária e Industrial, nas unidades de Não Me Toque e Victor Graeff, RS, cujas estruturas são semelhantes, com 12 m de diâmetro, 12,5 m de altura de parede e 3 m de chapéu, contendo aproximadamente 1.000 t de milho. O milho armazenado era da safra 2014/2015 e foi entregue à Cooperativa pelos produtores associados. A coleta das amostras foi realizada com o auxílio de uma sonda pneumática, no momento de introdução na massa de grãos até a ponteira da sonda atingir o fundo do silo. A sonda foi introduzida em cinco pontos de amostragem: no centro da superfície do silo e no centro de cada quadrante da superfície do silo. Em cada ponto de amostragem coletaram-se três amostras, compostas pelos grãos coletados de toda profundidade do silo, totalizando 15 amostras compostas por silo de aproximadamente 12 kg de grãos cada. Cada amostra composta foi moída em triturador de martelos com peneira de 2 mm de diâmetro, e, em seguida, reduzida, utilizando um divisor de amostras tipo Jones, até atingir o peso aproximado de 1 kg, compondo, assim, a amostra para análise nutricional.

Após a coleta das amostras e a chegada ao laboratório, o procedimento seguinte foi a moagem da amostra, quefoi efetuada em moinho ultra centrífugo Retsch ZM200, com peneira de1 mm de diâmetro. Em seguida, efetuaram-se as leituras em equipamento de Espectroscopia de Refleta^ncia no Infravermelho Pro´ximo (NIRS) conectado ao portal online “Precise Nutrition Evaluation” (ADISSEO, 2016). As varia´veis analisadas foram: EMn, diferença de EMn, PB, extrato ete´reo (EE), matéria mineral (MM), matéria seca (MS) e aminoa´cidos digesti´veis para aves (lisina, metionina, treonina e cistina). Calculou-se a média de cada variável por silo e aplicou-se o teste de comparação de médias de Tukey a 5% de significância nos quatro silos, para diferença de EMn, PB, EE, MM e MS utilizando-se o programa estatístico Statgraphics Centurion XV, versão 15.2.11. Foram calculadas rac¸ões para frangos de corte na fase inicial, seguindo-se as recomendac¸o~es de Rostagno et al. (2011) e os padro~es da agroindu´stria, utilizando-se para o milho de cada silo a Energia Metabolizável Estimada para aves corrigida para balanço de nitrogênio (EMEn) que é o resultado da soma de 3.350 kcal kg-1 com a média da diferença de EMn decrescida de 50% do seu desvio padrão. A inclusão de aditivo antimicotoxinas na ração com o milho de cada silo foi realizada seguindo-se as doses propostas por Mallmann et al. (2016).


RESULTADOS E DISCUSSÃO:

A média dos níveis nutricionais das amostras de milhocoletadas de cada silo utilizados para o cálculo das rações para frangos de corte, estão apresentados na Tabela 1. Os valores diferiram para a variável diferença de EMn entre os quatro silos (p<0,05), no qual o silo A apresentou menor valor de EMEn. Os silos A e B apresentaram os maiores valores de PB (p<0,05) em relação aos silos C e D. O valor médio de EMEn das amostras coletas dos quatro silos foram menores do valor observado por Rostagno et al. (2011) em amostras de milho (3.381 kcal kg
-1). No silo A a diferença foi de 201 kcal kg-1, no silo B de 137 kcal kg-1, no silo C de 122 kcal kg-1 e no silo D 129 kcal kg-1. Estes valores médios também diferem dos encontrados por Mallmann et al. (2014), que avaliaram amostras retiradas de dois silos com valores médios de 3306 kcal kg-1 e 3364 kcal kg-1.

Tabela 1 -   Valores médios dos níveis nutricionais para frangos de corte de amostras de milho coletadas em quatro silos.

Certificação de Grãos de Milho armazenados em silos para niveis Nutricionais. - Image 1

1Diferença de EMn: diferença entre o valor de referência de Energia Metabolizável corrigida para balanço de nitrogênio e valor das amostras.2a-d: Médias seguidas de letras distintas nas linhas diferem entre si pelo teste de Tukey (p<0,05).3EMEn: Energia Metabolizável Estimada para aves, corrigida para balanço de nitrogênio. Resultados calculados pela soma de 3.350 kcal kg-1 com o valor da diferença da EMn decrescida de 50% do desvio padrão da mesma.

As diferentes proporções dos ingredientes calculadas com o milho de cada silo e o custo final da t de ração para frangos de corte na fase inicialsão apresentadas na Tabela 2. Houve uma diferença de R$ 15,00 por t de ração calculada entre o milho do silo A e silo B. Considerando-se essa diferença para o montante de 1.770,85 t de ração produzidas com as 1.000 tde milho do silo A, totaliza o valor de R$ 26.562,75 superior ao silo B.

Tabela 2 - Porcentagem de inclusão dos ingredientes e custo final da t de ração para frangos de corte na fase inicial utilizando milho armazenado em diferentes silos.

Certificação de Grãos de Milho armazenados em silos para niveis Nutricionais. - Image 2


CONCLUSÃO
:

O processo de certificação de silos para os níveis nutricionais permite o planejamento prévio, favorece o gerenciamento e destinação correta dos grãos, gerando resultados econômicos mais satisfatórios, em virtude da formulação de uma dieta mais precisa aos animais. Ademais, pode ser utilizado como fator decisivo no fechamento de contratos de compra de milho.


REFERÊNCIAS:

  • ADISSEOPrecise Nutrition Evaluation, 2016. Disponível em: https://pne.adisseo.com Acesso em: 02 de março 2016.
  • EYNG, C. et al. Composição química e valores energéticos de cultivares de milho para aves. Revista Brasileira de Saúde Produção Animal, v. 10, n. 1, p. 60-72. 2009.
  • MALLMANN, A. O. et al. Avaliação macroeconômica da qualidade micotoxicológica e nutricional de milho estocado em diferentes unidades armazenadoras destinado à ração para frangos de corte. In: VI Congresso Latino Americano de Nutrição Animal, 2014, São Pedro/SP. Anais do VI Congresso Latino Americano de Nutrição Animal. Campinas: Colégio Brasileiro de Nutrição Animal, 2014.
  • MALLMANN, A. O. et al. Avaliação nutricional de híbridos de milho para frangos de corte. In: XIV SEMINÁRIO TÉCNICO CIENTÍFICO DE AVES E SUÍNOS - AVESUI 2015, Curitiba/PR. Anais do XIV Seminário Técnico Científico de Aves e Suínos. Itu/SP: Instituto Oswaldo Gessulli, 2015.
  • MALLMANN, A. O. et al. Certificação de silos para os níveis micotoxicológicos. In: XV SEMINÁRIO TÉCNICO CIENTÍFICO DE AVES E SUÍNOS - AVESUI 2016, Florianópolis/SC. Anais do XV Seminário Técnico Científico de Aves e Suínos. Itu/SP: Instituto Oswaldo Gessulli, 2016.
  • ROSTAGNO, H. S. Et al. Avanços metodológicos na avaliação de alimentos e de exigências nutricionais para aves e suínos. Revista Brasileira de Zootecnia, v. 36, suppl. esp., p. 295-304, 2007.
  • ROSTAGNO, H.S.; et al. Tabelas brasileiras para aves e suínos: composição de alimentos e exigências nutricionais. 3.ed. Viçosa: UFV, DZO. 2011. 252p.
  • SILVA, C. S. et al. Valores nutricionais de milhos de diferentes qualidades para frangos de corte. Revista Brasileira de Zootecnia, v. 37, n. 5, p. 883-889, 2008.
  • STRINGHINI, J.H; MOGYCA, N.S.; ANDRADE, M.A. et al. Efeito da qualidade do milho no desempenho de frangos de corte. Revista Brasileira de Zootecnia, v.29, n.1, p.191-198, 2000.
  • VIEIRA, R. O. et al. Composição química e energia metabolizável de híbridos de milho para frangos de corte. Revista Brasileira de Zootecnia, v. 36, n. 4. 2007.

AGRADECIMENTOS: À Cotrijal Cooperativa Agropecuária e Industrial pela parceria na execução deste trabalho e ao CNPq pela bolsa de iniciação científica PIBIC


 
remove_red_eye 102 forum 0 bar_chart Estatísticas share print
"Curtidas" do Influencers: Marcio L. Ceccantini
Compartilhar :
close
Ver todos os comentários