A umidade relativa do ar e seus efeitos sob o conforto térmico de frangos de corte

Publicado: 20/12/2013
Autor/s. : Marília Lessa de V. Queiroz e José Antonio Delfino Barbosa Filho, Núcleo de Estudos em Ambiência Agrícola e Bem-estar Animal (NEAMBE), Universidade Federal do Ceará –UFC-, CE.

O estado do Ceará ocupa uma posição de destaque na produção de aves no Nordeste do Brasil. Porém, devido ao clima quente da região, na maior parte do ano, os produtores necessitam de cuidados maiores com fatores relacionados à homeostase das aves, uma vez que o desconforto térmico dentro dos galpões pode reduzir o desempenho dos...

remove_red_eye 5137 forum 12 bar_chart Estatísticas share print
Compartilhar :
close
Claudia Lana Claudia Lana
Avicultor
20 de Dezembro de 2013

Vivencio sempre nos meus aviários o que o Professor muito bem colocou acima. Tenho 1 aviário climatizado e 1 convencional. Não importa o tipo de aviário, o mais importante é ficarmos atentos para a temperatura não subir muito. Quando isto não é possível, entram em ação os nebulizadores, que hoje vejo como mal necessário.
Como bem colocou o Professor, quando começamos a ligar muito cedo os nebulizadores, há uma melhora no controle naquele momento da temperatura, mas o aumento excessivo da umidade do ar e também o aumento da temperatura da cama onde as aves estão diretamente em contato causam quase um efeito reverso.
A nebulização é extremamente importante ser feita com uma bomba de pressão adequada para o tamanho do aviário, pois sempre vejo bombas nebulizadoras pequenas em aviários grandes o que a torna ineficiente causando ainda mais prejuízos para as aves porque elas liberam partículas maiores de água dentro do aviário e a velocidade do ar não é capaz de dispersá-la e caem sobre as aves e a cama.
No meu aviário climatizado, tenho as placas evaporativas que são excelentes para controle tanto de temperatura quanto de umidade. A nebulização neste caso é pouco utilizada, somente em dias muito quentes mesmo.
Sobre este assunto faço minha pergunta: No modelo de aviário climatizado, quantos graus acima da temperatura desejada dentro do aviário devo programar as placas evaporativas e a nebulização? (velocidade do ar 2,5m/s) Posso utilizar as placas evaporativas a partir de que idade?

Responder
Marcelo de Souza Lima Marcelo de Souza Lima
Médico Veterinário
19 de Janeiro de 2014

Bom dia Cláudia Lana,
A posição em que você se encontra é exatamente a posição que se encontram os frangos dentro de um galpão no dia de intenso calor, extremamente desconfortável. Afirmo isso por ser criadora, granjeira e outras funções correlatas.
Mas vejo que está muito próxima de encontrar o equilíbrio necessário para obtenção do sucesso. Busco nas palavras do professor a minha convicção: " ...Neste contexto, conhecer mais sobre o ambiente interno dos galpões é de extrema importância para os produtores, pois sua compreensão ajuda a evitar perdas, relacionadas ao estresse térmico, durante o período de criação das aves."
Afirmo com toda convicção que não chega a 1% do volume de pessoas que estão dentro de um aviário que estão dentro do contexto acima.
Quer ver outra questão? Leia o enunciado: "...O excesso de umidade relativa no interior dos galpões de criação faz com que as aves tenham dificuldade em trocar calor através da respiração, que é a principal forma de perda de calor das aves. A situação de estresse térmico sofrido pelas aves foi comprovada através da frequência respiratória, que foi maior no turno da tarde, que teve maior Índice Entalpia de Conforto que o turno da manhã." Com esses dois enunciados, somados a sua pergunta, deixam claro a minha convicção.
Digo isso porque convivo diariamente dentro de aviários na minha região aqui em Goiás, onde técnicos de campo recomendam o uso de nebulizadores ao ponto de molharem a cama. Molhar é pouco, encharcarem a cama em detrimento do bem estar animal, com alta produção de amônia e temperatura com a fermentação dessa cama.
Em relação a nebulização, gostaria de comentar que a mesma depende do bico e da pressão, sendo o mais indicado os bicos de alta pressão, por causa do tamanho da gota. Quanto mais pequena, mais evaporação, quanto mais evaporação, mais temperatura é roubada do ambiente. Lembre-se, o sensor termo-hipotalâmico da ave está localizado atrás da crista, cerca de 30 cm do piso, o nosso cerca de 1,70 m do piso e, ao entrarmos no aviário, temos o mal hábito de avaliar a temperatura para nós e não para as aves.
Em relação a partir de quando utilizar o sistema de refrigeração do aviário, afirmo para você que a partir do momento que acontece o alojamento. A duração vai variar de acordo com a idade. Houve a necessidade, aciona o equipamento. Já alojei pintinhos com câmpanula ligada e nebulizando o interior do galpão, sem problemas. Se a umidade relativa está baixa, somente com placas ou nebulizadores vão aumentar essa variável. Não existe você ter o equipamento e não usar. Mas para isso, o professor foi categórico, tem que ter o conhecimento, sem ele, o resultado é catastrófico.
Gosto muito de comparar a criação de frangos de corte com a Fórmula 1 e, hoje pela manhã em entrevista ao programa Auto Esporte, veiculado pela Rede globo, meu programa predileto do domingo, Felipe Massa foi entrevistado por um outro piloto brasileiro já aposentado, onde ele respondeu uma pergunta do entrevistador da seguinte forma, que encaixa perfeitamente para você: "... a máquina tem que ser competitiva, senão você não ganha nada, mas o homem tem que estar preparado para operá-la..."
Tá aí, do que adianta a tecnologia que você já me questionou, sem pessoas preparadas para operá-la.
Espero ter conseguido expressar o meu pensamento utilizando o brilhante texto do professor, dentro da minha vivência do dia a dia.
Um grande abraço e boas experiências, os frangos agradeceram e seus rendimentos também.

Responder
Claudia Lana Claudia Lana
Avicultor
21 de Janeiro de 2014
Prezado Marcelo, sempre com suas sábias opiniões nos ajudando a entender melhor nossa arte. Muito obrigada.
Responder
Walterley Neves Walterley Neves
Consultor
20 de Julho de 2014
Olá Cláudia... Estamos em estudos iniciais para o desenvolvimento de sistema computorizadas para automatizar a ambientação de galpões para a criação de frangos de corte, poedeiras e matrizes. Este sistema empregará sensores de umidade e temperatura de grande precisão, resistência mecânica e climática, ligados em uma rede com matriz de posição, o que permitirá saber e mapear com precisão o ponto onde ocorre alguma alteração no ambiente. O sistema faz uma varredura constante dos sensores e aciona o controle dos umidificadores para resfriamento do ar ou de aquecedores eletrônicos, de acordo com a curva térmica adequada para a idade dos frangos... Os aquecedores eletrônicos podem ser acionados e dão resposta quase imediata, podendo aumentar a temperatura do galpão em até 2 graus centígrados por minuto, sem consumo de gás, lenha, madeira ou irradiadores. A redução da temperatura, baseada na umidade relativa e volume de ar, pode reduzir até 15ºC em 20 minutos, então, se o ar externo está em 35ºC, poderemos manter próximo a 20ºC, (abaixo da necessidade real de um criatório.) Isto significa tranquilidade para o produtor, pois todo o sistema irá operar sem necessidade de assistência de operador e gerará relatórios completos, dia e noite. O consumo de energia do sistema será otimizado por empregar processo PWM para controle dos ventiladores, dos evaporadores e dos sistemas de aquecimento.

Este trabalho visa reduzir os riscos que as variações ambientais apresentam para os criadores de frangos e sanar as dificuldades para a aquisição de licenças para o corte de madeira ou uso do gás para aquecimento. O processo de aquecimento eletrônico é 3 vezes mais econômico que gás, pois não necessita de irradiadores e troca de componentes.

O objetivo deste trabalho é comercializar a tecnologia com empresas fabricantes em regime de royalties.

Estamos procurando parcerias para montar um protótipo em tamanho real. Nossa base de pesquisas e desenvolvimento de protótipos é em Florianópolis.

Responder
Walterley Neves Walterley Neves
Consultor
20 de Julho de 2014
O controle correto de umidade é crucial... Não podemos deixar a umidade no ponto de saturação, pois ocorrerá a formação de bolsões de umidade e formação de gotículas, que molharão os frangos, a cama e os objetos, dando um resultado completamente oposto.

É necessário monitorar o "ponto de orvalho" e a umidade relativa, mantendo-a abaixo de 95% e velocidade do ar adequada para homogenizar os parâmetros.

A colocação de sensores a cada cinco metros de distância elimina estes riscos.
Responder
Claudia Lana Claudia Lana
Avicultor
27 de Julho de 2014
Prezado Walterley obrigada por suas explicações e gostaria de saber mais detalhes sobre o seu projeto. Tenho certeza que se der mesmo certo beneficiará muito nossa avicultura.
Responder
Walterley Neves Walterley Neves
Consultor
28 de Julho de 2014
Claudia Lana. Com as modernas tecnologias de controle computadorizados de motores, sistema de evaporação, desumidificadores e sistemas de aquecimento eletrônicos, pode-se controlar a temperatura de um criatório com precisão de 0,2 ºC e umidade relativa com variação máxima em torno de 5%. Claro que o custo inicial é a parte mais sensível, mas a melhoria da ambiência e os resultados econômicos são muito compensadores. Estes novos motores, consomem até 40% menos energia e raramente apresentam defeitos. Os sensores podem ser instalados facilmente e tomam pouco tempo, com apenas dois fios muito finos. O produtor poderá ver o mapa térmico de seus galpões até pela internet.

Precisamos agora encontrar um produtor que queira instalar em seus galpões para medir na prática os efeitos...
Responder
5 de Maio de 2016
Claudia ...
gostaria de mais informações sobre o seu aviário , pois estou querendo entrar no ramo, mas vejo pelo seus comentários que o mesmo não esta muito promissor.
Responder
Josemar Nunes Josemar Nunes
Estudante
4 de Julho de 2016
Eu sou técnico agrícola e trabalho em uma granja como granjeiro os frangos quando está com a idade de 40 dias começam a morre acima do esperado p cara que trabalha como técnico pela empresa que coloca os frangos dos que os frangos está morrendo por causa da umidade e criou uma bactéria nos galpões mas eu acho que não é porque a cama não esta empachada o que vocês acham.
Responder
Walterley Neves Walterley Neves
Consultor
4 de Julho de 2016
Na verdade, não há necessidade de existir água em forma liquida nos galpões ou na cama de frango para desenvolver bactérias e fungos... A ventilação adequada do ar mantém a umidade (e o ponto de condensação) dentro de limites toleráveis. Os fungos são muito ativos acima de 67% de UR. Muitas bactérias e vírus se desenvolvem com muito menos.

Talvez o primeiro passo seja controlar a temperatura, a disponibilidade de água limpa e fresca, a quantidade e qualidade da ração e chamar um veterinário para identificar a causa.
Responder
Eduardo Mariano da Silva Eduardo Mariano da Silva
Assistência Técnica e Administração
29 de Agosto de 2016
Boa noite caro Josemar Nunes, concordo plenamente com Walterley Neves para mortalidade nesta idade a temperatura muito além da zona de conforto causada por falta, quantidade reduzida ou mau posicionamento dos ventiladores, aliada a pouca importância dada ao alimento chamado água primordial a sobrevivência das aves, além de muitas vezes sendo as aves agredidas pelo fator ração que deveria ser fator positivo primordial na sobrevivência das aves, se torna negativo e agressivo com o grande volume de micotoxinas e clostridios encontrados na mesma, pra agravar tudo as grandes impresas integradoras por questões de custo deliberam cada dia um maior volume de aves para técnicos e veterinários assistirem, causando assim uma maior demora nos diagnósticos e possíveis correções dos problemas encontrados.
Responder
3 de Fevereiro de 2019
Bom dia
Sou granjeira tô com frango de 43 dias estou usando a nebulização e a placa evaporativa minha região está fazendo uma calor com sensão térmica de 48 ,mesmo assim a minha mortalidade aumentou observo que mesmo fazendo a esses procedimentos aumentou minha mortalidade mas do esperado
Responder
1
print
(5137)
(12)
Deseja opinar nesta discussão sobre: A umidade relativa do ar e seus efeitos sob o conforto térmico de frangos de corte?
Engormix se reserva o direito de apagar e/ou modificar os comentários. Veja mais detalhes
Comentar
Criar nova discussão :
Se essa discussão não abrange temas de interesse ou levanta novas questões, você pode criar uma outra discussão.
Consultar um profissional em particular:
Se você tem um problema específico, você pode executar uma consulta em particular a um profissional em nossa comunidade.
Matheus Ramalho
Matheus Ramalho
Professor na Federal do Sul da Bahia
  Itabuna, Bahia, Brasil
 
   | 
Copyright © 1999-2019 Engormix - All Rights Reserved