Explorar
Comunidades em Português
Anuncie na Engormix
LIPTOSA
Conteúdo patrocinado por:
LIPTOSA

Estresse térmico em animais de produção e seu impacto negativo

Publicado: 28 de junho de 2023
Por: Fernando Pérez - Gerente Técnico em Liptosa
O estresse calórico é um problema significativo em animais de produção terrestres, pois seu bem-estar e desempenho podem ser afetados negativamente por condições ambientais extremas. Quando os animais são expostos a temperaturas muito altas ou baixas fora de sua faixa de conforto, eles experimentam estresse térmico. Isso pode trazer diversas consequências desfavoráveis, como diminuição do consumo de ração, queda na produção, alterações no sistema imunológico e maior suscetibilidade a doenças.
Mecanismos pelos quais os animais combatem esta situação:
Os animais possuem mecanismos fisiológicos e comportamentais para combater o calor extremo e manter sua homeostase. Algumas estratégias que esses animais colocam em prática incluem:
-Termorregulação fisiológica: Os animais podem regular sua temperatura corporal por meio da transpiração, aumento da frequência respiratória, aumento do fluxo sanguíneo periférico e alterações em seu metabolismo.
-Comportamento de procura de sombra: Os animais procuram áreas sombreadas ou abrigos para se protegerem da radiação solar direta.
-Comportamento de busca de água: os animais aumentam a ingestão de água para se manterem hidratados e para compensar a perda de líquidos devido à transpiração e à respiração.
-Aumento da ventilação: Os animais podem aumentar a frequência respiratória ou procurar áreas com maior circulação de ar para dissipar o calor corporal.
Estresse térmico em animais de produção e seu impacto negativo - Image 1
Suporte nutricional como ferramenta adicional
A nutrição tem papel fundamental nesse sentido; para que alguns ingredientes da dieta possam ser benéficos:
ANTIOXIDANTES: como vitamina E, selênio e polifenóis, podem ajudar a reduzir os efeitos negativos do estresse oxidativo.
ELETRÓLITOS: como sódio, potássio e cloro, são essenciais para manter o equilíbrio hídrico do corpo, principalmente em períodos de altas temperaturas.
ÁCIDOS OMEGA-3: Presentes em fontes como o óleo de peixe, podem ter propriedades anti-inflamatórias e aumentar a resposta ao estresse térmico.
VITAMINAS: Embora as vitaminas não sejam uma solução única para controlar o estresse térmico, elas podem desempenhar um papel importante no apoio ao sistema imunológico e na redução dos efeitos adversos das altas temperaturas:
Vitamina C: é conhecida por sua capacidade antioxidante e por seu papel na função imunológica. Pode ajudar a diminuir o dano oxidativo e melhorar a resposta imune (Carr AC, et al. 2017).
Vitamina E: também é um importante antioxidante que pode ajudar a reduzir o estresse oxidativo e melhorar a saúde celular. Além disso, pode desempenhar um papel na melhoria da função reprodutiva e qualidade do sêmen em machos estressados pelo calor (Pinelli-Saavedra A. 2003).
Vitaminas do complexo B: como tiamina (B1), riboflavina (B2), niacina (B3) e biotina (B7), são essenciais para o metabolismo energético e bom funcionamento do sistema nervoso. Essas vitaminas podem ajudar a manter a saúde e o desempenho ideais em animais sob estresse térmico (Ford TC, et al. 2018).
Vitamina D: Desempenha um papel importante na absorção de cálcio e fósforo, que são nutrientes essenciais para a saúde óssea e função muscular. A deficiência de vitamina D pode agravar os efeitos do estresse térmico (Khazai N, et al. 2008).
Estresse térmico em animais de produção e seu impacto negativo - Image 2Estresse térmico em animais de produção e seu impacto negativo - Image 3
A IMPORTÂNCIA DOS BOTÂNICOS
A utilização de algumas plantas pode ser benéfica na redução do stress térmico, quer através do seu consumo, quer através da sua incorporação no ambiente dos animais:
Hortelã (Mentha spp.): Tem propriedades refrescantes e pode ajudar a aliviar o estresse térmico. Foi demonstrado que a hortelã-pimenta melhora a digestibilidade dos alimentos, aumenta a ingestão de água e reduz a temperatura corporal em animais de fazenda (Mahendran G, et al. 2020).
Estresse térmico em animais de produção e seu impacto negativo - Image 4
Eucalipto (Eucalyptus globulus): Cineol é o principal componente ativo; impede a liberação fisiológica de certas moléculas que causam reações inflamatórias, o que impede a produção e secreção de muco e é capaz de exercer uma ação antiinflamatória e analgésica (Dhakad, A.K., et al. 2018).
Estresse térmico em animais de produção e seu impacto negativo - Image 5
Tomilho (Thymus vulgaris): possui propriedades antioxidantes e antimicrobianas. Demonstrou-se que o extrato de tomilho melhora a resposta imune e reduz o estresse oxidativo em animais estressados pelo calor (Dauqan, E. et al. 2017).
Estresse térmico em animais de produção e seu impacto negativo - Image 6
Estresse térmico em animais de produção e seu impacto negativo - Image 7
SOLUÇÕES PARA COMBATER O ESTRESSE TÉRMICO
Na Liptosa temos diferentes abordagens para ajudar a aliviar os efeitos do estresse térmico, sempre buscando uma suplementação completa que ajude a manter a saúde e o bem-estar dos animais.
Por um lado, a nossa gama de multivitamínicos ajuda a manter os níveis de vitaminas e oligoelementos necessários para enfrentar os desafios diários a que os nossos animais estão expostos:
-Liptoaminovit hepatoprotector
-Liptovit E + Se
-AD3EK
-Liptovit multiadivit
Também é importante manter uma boa hidratação e um nível correto de eletrólitos para ajudar a reduzir os danos do estresse térmico. Para isso, em Liptosa colocamos à disposição a nossa gama HIDRALIP, que graças aos seus componentes (sódio, potássio, fósforo, magnésio, glicose, vitaminas, etc.) ajuda a manter o animal em um estado ideal para poder desempenhar suas funções de maneira adequada.
Para finalizar, em Liptosa damos especial importância aos compostos botânicos dos nossos produtos, que fornecem polifenóis, compostos bioativos presentes em várias plantas e que têm sido alvo de numerosos estudos devido às suas propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, que podem desempenhar um papel fundamental importante na redução do estresse térmico. Um exemplo claro é o Hygen Pro RESPIR FRESH; as sinergias dos seus ingredientes botânicos como menta, eucalipto e tomilho, juntamente com vitaminas e uma fonte de salicilatos, podem ser úteis, proporcionando uma sensação de bem-estar e ajudando assim os nossos animais a enfrentar situações de stress devido às altas temperaturas em ótimas condições.
Tópicos relacionados
Autores:
Fernando Pérez García
LIPTOSA
Siga
Junte-se para comentar.
Uma vez que se junte ao Engormix, você poderá participar de todos os conteúdos e fóruns.
* Dados obrigatórios
Quer comentar sobre outro tema? Crie uma nova publicação para dialogar com especialistas da comunidade.
Criar uma publicação
Junte-se à Engormix e faça parte da maior rede social agrícola do mundo.
Iniciar sessãoRegistre-se