Explorar
Comunidades em Português
Anuncie na Engormix
LIPTOSA
Conteúdo patrocinado por:
LIPTOSA

Estresse oxidativo na produção animal: como é gerado e propostas para reduzi-lo

Publicado: 24 de fevereiro de 2023
Por: Liptosa
O estresse oxidativo é um processo biológico que se desenvolve como consequência de um desequilíbrio entre a produção de radicais livres de oxigênio e os antioxidantes que os neutralizam, em favor dos primeiros. Nos organismos animais, os radicais livres são gerados por vias endógenas em processos metabólicos aeróbicos, bem como por causas exógenas, especialmente em situações estressantes derivadas de fatores ambientais inadequados (temperatura, umidade relativa do ar, má qualidade do ar e/ou poluentes etc.), a presença de micotoxinas e a incidência de patógenos primários (bactérias, vírus, parasitas). Além disso, devem manter um estado produtivo ótimo e contínuo durante todo o ciclo para garantir a rentabilidade da fazenda.
Quando esse estresse oxidativo se perpetua ao longo do tempo, ocorrem danos nas estruturas moleculares de lipídios e proteínas e no DNA. Finalmente, as células se deterioram e sua função é limitada, resultando em maior incidência de doenças (principalmente agentes oportunistas), piora dos parâmetros produtivos e, conseqüentemente, graves perdas econômicas.
ESTRESSE OXIDATIVO NA PRODUÇÃO ANIMAL: COMO É GERADO E PROPOSTAS PARA REDUZÍ-LO
Naturalmente, durante os processos de oxidação metabólica, os sistemas biológicos previnem danos por diversos complexos enzimáticos (como superóxido dismutase, catalase e glutationa peroxidase, capazes de neutralizar os radicais livres) e outras biomoléculas não enzimáticas, como a coenzima Q (CoQ) ou o ácido lipóico.
Para reduzir o impacto do estresse oxidativo exogenamente, podemos atuar a nível nutricional adicionando ingredientes com propriedades antioxidantes às fórmulas nutricionais animais. Alguns exemplos presentes no mercado de ração animal são:
  • Vitaminas hidrossolúveis (vitamina C): previne a oxidação lipídica e o dano oxidativo ao DNA.
  • Vitaminas lipossolúveis (vitaminas A, D 3 , E, K): atuam captando os radicais livres e têm funções positivas na pele e mucosas, sistema imunológico, regeneração óssea e hematologia.
  • Selênio: está envolvido na síntese da glutationa peroxidase, que remove os grupos peróxidos.
  • β-carotenos e xantofilas: são precursores de outras vitaminas, capazes de se ligar aos radicais livres e melhorar a capacidade de resposta imune.
  • Flavonóides presentes nas matérias-primas alimentares: ativam as enzimas glutationa peroxidase e catalase.
 

E... COMO TEM SIDO ABORDADO O CONTROLE DO ESTRESSE OXIDATIVO NOS ANIMAIS?

  • Pássaros
O uso de antioxidantes como vitamina E, Se e carotenos é considerado rotineiro. A vitamina E promove o ganho de peso diário e a conversão alimentar, previne patologias musculares, reduz o estresse calórico e melhora a postura de galinhas poedeiras.
Pássaros
  • Porcos
A suplementação de vitamina E e Se em leitões aumentou a resposta imune contra infecções intestinais por Escherichia coli, gerando maiores títulos de imunoglobulinas no leite de porcas lactantes. A inclusão de β-caroteno na dieta também mostra efeitos estimulatórios nas células da linha branca. A vitamina C tem sido utilizada em leitões pós-desmame, demonstrando efeitos como potenciador do crescimento.
Porcos
  • Ruminantes
A vitamina E na dieta de ruminantes diminui a incidência de doenças e melhora a resposta produtiva. Também pode aumentar a resposta imune, com efeitos positivos na proliferação de linfócitos B e T em bezerros e vacas adultas. Em vacas leiteiras, a suplementação com carotenoides e xantofilas tem aumentado a resistência ao aparecimento de patologias como mastite e metrite.
Ruminantes
Em espécies pecuárias, a adição de antioxidantes na ração tem efeitos positivos não só na saúde, mas também na qualidade das carcaças após o abate, uma vez que a rancidez diminui devido à oxidação lipídica, mantendo sua coloração natural.
  • Cavalos
Em cavalos de esporte, a suplementação com vitaminas E e C e selênio é essencial na fase de recuperação, pois as células musculares são muito susceptíveis a danos irreversíveis devido ao estresse oxidativo. Nesse sentido, a inclusão de antioxidantes previne, a curto, médio e longo prazo, fadiga muscular e miopatias.
Cavalos
Na LIPTOSA apostamos na suplementação completa para melhorar a saúde e o bem-estar dos animais, pelo que a nossa gama de multivitamínicos LIPTOVIT inclui fórmulas com antioxidantes (vitaminas e oligoelementos) para os desafios produtivos do dia-a-dia:
  • Liptovit E + Se
  • Liptoaminovit hepatoprotetor
  • AD 3 EK
  • Liptovit multiadivit
Voltada para a espécie equina, nossa linha NEOSTRONG EQ conta ainda com a linha Neostrong EQVit, com produtos estrela como Neostrong C-Defense e Neostrong E+Se+C , que auxiliam na melhora do desempenho esportivo em cavalos de competição.
 

PARTICIPAÇÃO DA LIPTOSA EM FEIRAS NACIONAIS E INTERNACIONAIS:

No mês de março a LIPTOSA estará presente em diversas feiras internacionais. Estes são alguns exemplos das feiras confirmadas até agora, se você for participar de alguma, não deixe de nos visitar em nossos estandes!
Tópicos relacionados
Autores:
Daniel Diaz
LIPTOSA
Siga
Junte-se para comentar.
Uma vez que se junte ao Engormix, você poderá participar de todos os conteúdos e fóruns.
* Dados obrigatórios
Quer comentar sobre outro tema? Crie uma nova publicação para dialogar com especialistas da comunidade.
Criar uma publicação
Junte-se à Engormix e faça parte da maior rede social agrícola do mundo.
Iniciar sessãoRegistre-se