USO DO PLASMA SEMINAL SUÍNO EM MARRÃS DE 2º CIO VISANDO O AUMENTO DE LEITÕES NASCIDOS E FERTILIDADE EM FEMEAS DE 1º PARTO

Publicado o:
Autor/s. :
Sumário

A eficiência reprodutiva (ER) de leitoas é, naturalmente, menor que a de fêmeas pluríparas. Em função de alta taxa de reposição, as melhoras nos índices reprodutivos desta categoria, resultarão em melhoras diretas na ER de todo setor de produção. Com o objetivo de incrementar o tamanho da leitegada e a taxa de parto nesta categoria de fêmeas, tem sido utilizado diferentes técnicas de manejo. A utilização de machos vasectomizados, em coberturas estéreis no estro anterior ao da cobertura, tem mostrado resultados favoráveis ao tamanho da leitegada (7,8,9), embora alguns autores sugiram que o efeito do plasma seminal (PS) seja efetivo somente em granjas com menor eficiência reprodutiva. Em pluríparas, o PS, tem levado, quando aplicado no início do estro da cobertura, a melhores resultados de tamanho de leitegada . O objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos da infusão intracervical com PS no estro anterior ao da cobertura sobre a ER de leitoas, considerando taxa de retorno ao estro, taxa de parto e tamanho da leitegada.

 

Palavras –chave: nuliparas, plasma seminal, tamanho leitegada, fertilidade.

 

Objetivo

Elevar o tamanho da leitegada (numero de nascidos) e taxa de partos (baixar porcentagem de recio) em fêmeas suínas de primeiro parto

 

Metodologia

Para obtenção do plasma seminal foram realizadas 3 coletas de sêmen do macho MS 115 , pertencente à ETEC Dr. Dario Pacheco Pedroso, o mesmo produziu 500 ml de sêmen em cada coleta, totalizando 1.500 ml, as mesmas foram levadas para o laboratório, fracionado em tubos de ensaio de 15 ml e centrifugado a 5.000 rpm, totalizando 12 ampolas de plasma seminal. Ao plasma seminal foi adicionado o antibiótico Gentamicina na proporção de 1ml de antibiótico por litro de plasma sendo após envasado em ampolas de 100 ml e resfriado a temperatura de - 20ºC (vinte graus negativos).

 

Para realização do experimento foram utilizadas quatro fêmeas suínas F1 pertencentes à ETEC Dr. Dario Pacheco Pedroso, todas fêmeas de segundo cio onde foi feito a infusão intracervical de plasma seminal, 3 ampolas com intervalo de 12 horas cada, procedimento realizado no mês de dezembro de 2014, Após 21 dias as mesmas foram inseminadas com sêmen resfriado à 16ºC sendo realizadas três inseminações por fêmeas com intervalo de 12 horas em média cada inseminação, no mês de janeiro de 2015.

 

Partos realizados no dia 09/maio/2015 com os seguintes saldos.

 

Comparando com a literatura numero de leitões nascidos em Femeas Suinas de primeiro parto.

 

Cronograma

Cronograma dos trabalhos

 

Resultado e discussão:

A utilização de infusão uterina com PS no estro anterior ao da cobertura em leitoas não interferiu nas taxas de retorno ao estro e de parto, havendo, porém uma melhora no tamanho da leitegada.

 

Materiais de consumo

  • Copo descartável de 500 ml;
  • Filtro para coleta;
  • Elástico de látex;
  • Luvas de látex;
  • Ampolas de 100 ml;
  • Seringas de 10 ml;
  • Álcool gel 70º;
  • Papel Toalha;

 

Equipamentos

  • Termômetro de mercúrio;
  • Centrifuga;
  • Freezer (-20Cº);
  • Câmara asséptica;


Animais

  • Macho para coleta
  • Marras inseminadas
  • Leitegadas

 

1 – Gestação


2 – Lactação


 

3 – Armazenamento do plasma seminal suíno ( - 20ºC)



4 – Feira FETEPS 2016


 

Referências bibliográficas

1. BORTOLOZZO, F.P.; WENTZ, Ivo; SCHEID, I.R.; GUIDONI, A.L. IPVS 14., Proceedings, p.591, 1996.

2. BRANDT, G. Tese Mestrado, UFRGS, 112p. 1996.

3. CLIFF, A.H.; CLLIFF-TAYLOR, R.; van ELZAKKER, P.J.M.; GLOSSOP, C.E. IPVS 13., Proceedings, p.403, 1994b.

4. FRIENDSCHIP, RM; DOIG, G.S. AASP 24., Proceedings, p667-669, 1993.

5. GILES, J.R.; THOMPSON, L.H.; ARKINS, S.; CAMACHO, T.; EICHEN, P.A. Canadian Journal of Animal Science, v.70, p.129-133, 1990.

6. GOONERATNE, A.D.; THACKER, P.A Theriogenology. v.31, p.1221-1226, 1989.

7. GLOSSOP, C.E. IPVS 12., Proceedings, p.432, 1992.

8. MURRAY, F.A.; GRIFO JR, A.P. Journal of Animal Science. v. 62, p.187-190, 1996.

9. SESTI, L.A.; DONISETE, J. ABRAVES 7., Anais, p.145, 1995.

 
remove_red_eye 76 forum 0 bar_chart Estatísticas share print
Compartilhar :
close
Ver todos os comentários
 
   | 
Copyright © 1999-2019 Engormix - All Rights Reserved
Suinocultura
search
search