Probiótico Pigflora Biocalf

Relatório de experimento com probiótico Pigflora e Biocalf

Publicado: 18/03/2009
Autor/s. :

1. Instituições envolvidas: Embrapa Suínos e Aves e LNF LATINO AMERICANA CONSULTORIA, ASSESSORIA E IMPORTAÇÃO LTDA

2. Objetivo:
O objetivo deste estudo de campo foi avaliar a eficiência do uso dos probióticos Pigfloraâ para as porcas e Biocalfâ para os leitões considerando o estado sanitário (infecção urinária e infecção puerperal) e desempenho zootécnico de matrizes e leitões. Os probióticos são da Empresa LNF Latino Americana Consultoria, Assessoria e Importação LTDA de Bento Gonçalves RS.

3. Justificativa: Uma nutrição adequada pode ser responsável pela estabilidade da microbiota intestinal, o que promove a saúde e o crescimento do animal. Quando se tem um ecossistema estável, não há multiplicação de microrganismos patogênicos. Entretanto, com a intensificação dos sistemas de produção animal, a elevada concentração de animais oferece riscos cada vez maiores de disseminação de agentes patogênicos e instalação de processos mórbidos (Santos et al., 2002).
Probióticos ou DFM (Direct Feed Microbials - Microrganismos de Alimentação Direta) são preparados naturais de células de microrganismos vivos que têm uma atuação benéfica no organismo a que se destina. Sua utilização é absolutamente segura e não deixa resíduos na carne ou no leite.
Os probióticos atuam beneficamente no organismo dos animais através de diversos mecanismos como na produção de componentes antimicrobianos (bacteriocinas e ácidos orgânicos), regulação do pH, alteração do potencial Redox (diminuição de O2) e, principalmente, pelo mecanismo de exclusão competitiva, através dos quais os microrganismos probióticos competem com os patógenos por alimentos e pela fixação na parede intestinal. Daí a importância da elevada dosagem diária de células por animal. Todos esses fatores têm como conseqüência o estímulo à resposta imunológica, o aumento na eficiência da absorção e conversão dos alimentos e o equilíbrio da flora intestinal (Marutas 1993 citado por Santos et al., 2002). Esta flora pode ser afetada pelas condições do ambiente e pelo estresse, como mudança da ração, alterações da temperatura e umidade relativa do ar, ventilação deficiente, densidade elevada, e outras situações, como as resultantes de aplicação de produtos medicamentosos, o que resulta em desequilíbrio e proliferação de bactérias patogênicas.
Atualmente existe tendência em aumentar o uso de probióticos nas dietas dos animais, em substituição aos antibióticos. A utilização de probiótico é mais racional, pois não deixam resíduos no meio ambiente, na carcaça do animal e não provocam resistência cruzada no homem quando comparado com o antibiótico (Silva et al., 2000), razão pela qual esse teste foi realizado.

4. Seleção da granja: Foi selecionada uma granja produtora de leitões com aproximadamente 600 matrizes no município de Iomerê SC a qual ofereceu as condições para realizar o experimento.

5. Materiais e Métodos: O estudo foi conduzido no período de outubro de 2007 a setembro de 2008. O experimento foi realizado por dois ciclos de produção das porcas. O ciclo 1, iniciou 21 dias antes da lactação ou seja aos 93 dias de gestação, passou pela lactação e foi até a cobertura. O ciclo 2, iniciou na cobertura passou pela gestação, lactação e foi até a cobertura seguinte.

No inicio do experimento as porcas foram separadas aleatoriamente em dois grupos (controle e tratado) de 48 matrizes cada e pareadas por ordem de parto. Em cada grupo foram incluídas fêmeas de todas as ordens de partos existente na granja. A porca e a sua leitegada constituíram a unidade experimental. O grupo controle recebeu a ração da granja, de acordo com a fase de produção, e o grupo tratado recebeu a mesma ração do grupo controle acrescido do probiótico Pigfloraâ.

A quantidade de Pigfloraâ fornecido para o grupo tratado foi ajustada de acordo com a fase de produção das matrizes, de tal forma que cada porca recebesse 2g/dia do produto nos primeiros 7 dias de experimento, 1g/dia no restante da gestação do ciclo 1 e na lactação dos dois ciclos e 0,5g/dia na gestação do ciclo 2. Para evitar a contaminação dos equipamentos e silos foram preparados três premixes com concentração diferente de probiótico, de tal forma que cada porca recebesse individualmente no comedouro 10g de premix por dia em qualquer fase de produção. A concentração de Pigfloraâ nos três premixes preparados está apresentada a seguir:
Premix ‘A’ = 1 kg do probiótico + 4 kg de milho moído = 5 kg (10 g desse premix correspondem a 2 g de probiótico).
Premix ‘B’ = 0,5 kg do probiótico + 4,5 kg de milho moído = 5 kg (10 g desse premix correspondem a 1,0 g de probiótico).
Premix ‘C’ = 0,25 kg do probiótico + 4,75 kg de milho moído = 5 kg (10 g desse premix correspondem a 0,5 g de probiótico).

- Nos primeiros 7 dias do início do experimento as porcas do grupo tratado receberam 2 kg de ração de gestação/dia e 10g do premix A, equivalente a 2,0g/porca/dia do probiótico. Nesse período o grupo de porcas do controle recebeu 2 kg/dia/ração de gestação.
- Do oitavo dia do experimento até o parto as porcas do grupo tratado receberam 2 kg de ração de gestação/dia e 10g do premix B, o equivalente a 1,0 g/porca/dia do probiótico. Nesse período o grupo de porcas controle recebeu 2 kg/dia/ração de gestação.
- Na lactação as porcas do grupo tratado receberam 6 kg de ração de lactação/dia e 10g do premix B, equivalente a 2g/porca/dia do probiótico. Nesse período o grupo de porcas controle receberam 6 kg de ração de lactação/dia.
- Após o desmame e na gestação seguinte, as porcas do grupo tratado receberam 2 kg de ração de gestação/dia e 10 g de premix C, equivalente a 0,5g/porca/dia do probiótico. Nesse período o grupo de porcas controle recebeu 2 kg de ração de gestação/dia. - Na lactação do ciclo 2 as porcas receberam a ração e premix descrito no ciclo 1 (2 g do probiótico/porca/dia).
- Para o fornecimento do probiótico Biocalfâ aos leitões, foi diluído 1 envelope de 5g em 40 mL de água potável e fornecido para 20 leitões com um dosador de 2 mL. No ciclo 1, os leitões recém nascidos dos dois tratamentos, receberam uma dose do Biocalfâ uma vez ao dia, durante os 3 primeiros dias de vida. No ciclo 2 só os leitões do grupo de porcas tratadas receberam o Biocalfâ no mesmo esquema de dosificação do ciclo 1. Os leitões do grupo controle no ciclo 2 receberam uma dose de antibiótico injetável, que é o manejo normal da granja, aplicado como preventivo de diarréia. Rotineiramente a granja utiliza o bycox como preventivo da coccidiose entretanto nos leitões do grupo tratado no ciclo 2 parte deles não receberam a medicação. Isso ocorreu devido a falta de comunicação na troca de funcionários da granja no período da referida medicação.

Variáveis avaliadas:
- Produtividade das porcas nos dois ciclos; - Peso individual dos leitões ao nascer, no desmame, ganho de peso médio diário e o peso total da leitegada nos dois ciclos;
- Idade média do leitão no desmame dos dois ciclos;
- Freqüência diária de diarréias nos leitões do ciclo 2 do nascimento ao desmame.
- Mortalidade de leitões durante o período de lactação nos dois ciclos;
- A concentração de lipídios totais no plasma das porcas com 93 dias de gestação e 14 dias de aleitamento do ciclo 1. Esta análise foi realizada pelo método Automação (Robotização). No ciclo 2 foi realizado hemograma aos 14 dias de aleitamento, pelo método automação COBAS-MICROS. Tais análises foram realizadas no Laboratório Concórdia, empresa certificada ISO 9001:2000.
- Análise no leite, colhido 14 dias de aleitamento dos dois ciclos produtivos, foi realizado pelo Laboratório Estadual da Qualidade do Leite. As análises de gordura, proteína, lactose e sólidos totais foram realizadas pelo método que mede as energias de absorção em comprimentos específicos de onda no meio da região infra-vermelha. A análise de contagem de células somáticas foi realizada pela tecnologia de Citometria de Fluxo.
- Análise de urina realizada aos 93 dias de gestação e no desmame no ciclo 1; e aos 110 dias de gestação e no desmame no ciclo 2. Foi avaliado nitrito, pH e presença de sangue, realizado com tiras reagentes WAMA Diagnóstica, e densidade, com o refratometro.
- Intervalo desmame-cio (dias) nos dois ciclos;
- Freqüência de falhas da cobrição dos dois ciclos;
- Avaliação das porcas no puerpério, considerando duração do parto, se houve ou não extração de leitões, temperatura retal da porca, anorexia parcial e ou total, secreção vulvar com característica purulenta e mastite e/ou agalaxia, seguindo metodologia de AMARAL et al. (2000);
- % de matéria seca nas fezes das porcas aos 93 dias de gestação e no desmame do ciclo 1 e no desmame do ciclo 2;
- Causas dos descartes das porcas nos dois ciclos.
Os dados do experimento foram coletados em formulários próprios. Para acompanhar e executar os procedimentos na granja foi contratada uma veterinária, a qual permaneceu lá durante todo o período experimental.

Estatística
A análise da maioria dos dados foi realizada através da análise de variância para o modelo, considerando os efeitos de lote, ordem de parto e tratamento. Essas análises foram realizadas através do procedimento GLM do SAS (2003). A contagem de células somáticas foi transformada para a escala logarítmica antes de efetuar a análise da variância.
A análise dos dados envolvendo proporções, foi realizada através da análise de regressão logística, considerando os efeitos de lote, ordem de parto e tratamento, quando possível. Essas análises foram realizadas através do procedimento LOGISTIC do SAS (2003). Quando as frequências de ocorrência eram muito baixas, foi usado o teste exato de Fisher, considerando somente o efeito de tratamento. Esse teste foi realizado através do procedimento FREQ do SAS (2003).
A análise de modelos lineares generalizados, com a distribuição Poisson, foi realizada para os dados envolvendo contagens (por exemplo: número de nascidos vivos, número de leucócitos etc.). O modelo considerou os mesmos fatores das outras análises e foi avaliado através do procedimento GENMOD do SAS (2003).

6. Resultados: Os resultados estão apresentados por ciclos produtivos avaliados.

Ciclo 1
Na Tab. 1 estão os dados de desempenho. Somente a mortalidade de leitões na maternidade teve efeito de tratamento, onde o grupo tratado teve menor taxa de mortalidade com diferença estatística (P=0,024). Na Tab. 2 estão os dados da matéria seca das fezes, na Tab. 3 os dados da qualidade do leite, na Tab. 4 a concentração de lipídeos no sangue, na Tab. 5 a qualidade da urina das porcas e na Tab. 6 os dados com os problemas do puerpério. Em todas essas variáveis avaliadas não houve diferença estatística, portanto, sem o efeito de tratamento.

Tabela 1. Médias e erros padrões das variáveis de desempenho em função do tratamento (ciclo 1).




Tabela 2. Médias e erros padrões das variáveis de matéria seca nas fezes das porcas em função do tratamento (ciclo 1).




Tabela 3. Médias e erros padrões das variável qualidade do leite das porcas com 14 dias de aleitamento em função do tratamento (ciclo 1).




Tabela 4. Médias e erros padrões da percentagem de lipídeos no sangue das porcas em função do tratamento (ciclo 1).




Tabela 5. Médias e erros padrões das variáveis de nitrito, sangue, pH e densidade da urina das porcas em função do tratamento (ciclo 1).




Tabela 6. Problemas no puerpério (ciclo 1).




No Ciclo 2
A Tab. 7 apresenta os dados de desempenho das porcas. As porcas do grupo tratado tiveram menor percentagem de leitões natimortos (P=0,015) e seus leitões tiveram menor ocorrência de diarréia (P=0,011). Apesar do peso médio dos leitões ao desmame ter sido semelhante (5,49 nos controle e 5,30 nos tratados), a idade do desmame foi significativamente inferior (P=0,006) nos leitões do grupo tratado. Na Tab. 8 estão os dados da matéria seca nas fezes, na Tab. 9 estão os dados da composição do leite e na Tab. 10 estão os dados do hemograma do sangue. Nenhuma variável dessas três tabelas apresentaram efeito de tratamento. Na Tab. 11 estão os dados do exame de urina. A presença de nitritos e densidade da urina no desmame foram estatisticamente diferentes (P=0,005), sendo melhor o grupo tratado. A Tab. 12 apresenta os dados do puerpério que não apresentou efeito de tratamento. Na Tab. 13 estão apresentados a taxa de parto considerando os dois ciclos (P=0,032) e intervalo desmame cio do ciclo 2 (P=0,048) ambas mostraram efeito de tratamento sendo melhor para o grupo tratado. A Tab. 14 apresenta a taxa de parto e o problema de descartes das porcas nos dois ciclos.

Tabela 7. Médias e erros padrões das variáveis de desempenho em função do tratamento (ciclo 2).




Tabela 8. Médias e erros padrões das variáveis de matéria seca nas fezes das porcas em função do tratamento (ciclo 2).




Tabela 9. Médias e erros padrões das variáveis qualidade do leite das porcas aos 14 dias de aleitamento em função do tratamento (ciclo 2).




Tabela 10. Médias e erros padrões do hemograma no sangue das porcas no desmame em função do tratamento (ciclo 2).




Tabela 11. Médias e erros padrões das variáveis de nitrito, sangue, pH e densidade da urina das porcas em função do tratamento (ciclo 2).




Tabela 12. Problemas no puerpério (ciclo 2)




Tabela 13. Taxa de parto nos dois ciclos e Intervalo desmame cio do ciclo 2.




Tabela 14. Taxa de partos e causas de descartes das porcas nos dois ciclos baseada nas informações do produtor.




7. Comentários:

a) No ciclo 1, houve menor taxa de mortalidade de leitões na maternidade no grupo de leitões filhos das porcas tratadas. Vale lembrar que no ciclo 1 foi fornecido biocalf para os leitões dos dois tratamentos e no ciclo 2 somente para o grupo tratado.

b) No ciclo 2, o efeito do fornecimento do probiótico aos animais parece evidente:

- Houve menos leitões natimortos por parto;
- Os leitões foram desmamados com idade média de dois dias a menos que o controle, mesmo assim, com peso médio semelhante;
- Os leitões apresentaram menos diarréia na maternidade.
- Houve redução de dois dias no intervalo desmama cio;
- Houve melhora na qualidade da urina das porcas.


Ademais, considerando o período total do experimento, a taxa de descarte de porcas foi menor naquelas que receberam o probiótico e, consequentemente, tiveram melhor taxa de parto.


8. Conclusão: O efeito positivo do fornecimento do Pigflora para as porcas e Biocalf para os leitões ficou evidente em algumas variáveis no segundo ciclo produtivo das porcas.


9. Bibliografia:

AMARAL, A.L.; MORÉS, N.; BARIONI, JÚNIOR W. Fatores de risco associados à patologia do parto e do puerpério na fêmea suína., Concórdia: Embrapa Suínos e Aves, 2000 4p. (Comunicado Técnico 251).

KRITAS, S.K.; ALEXOPOULOS, C.; KYRIAKIS, S.C. The effect of na EU registerede probiotic on the health status and performance of sows and their litters. In : III Congresso Latino Americano de Suinocultura, Foz do Iguaçú, Anais , 2006 (no prelo).

KÜRTI, P.; ZERRAHN, J.E. Investigating the effect of a probiotic (Bioplus® 2B) on preweaning piglet mortality. In : III Congresso Latino Americano de Suinocultura, Foz do Iguaçú, Anais , 2006 (no prelo).

JøRGENSEN, J.N.; ZERRAHN, J.E. Investigating the effect of a probiotic (Bioplus® 2B) on sow milk quality and litter performance. In : III Congresso Latino Americano de Suinocultura, Foz do Iguaçú, Anais , 2006.

WOLKER, T.W.; GOOSEN, D.; WEBER, G. The use of probiotics to reduce the incidence of scours in nursing pigs. In: Proceedings of the 19 th IPVS Congress, Copenhagen, v.1, p.231, 2006.

SANTOS, M. S., FERREIRA, C. L. L. F., GOMES, P. C., SANTOS, J. L., POZZA, P. C. Administração de lactobacillus sp em leitões nas fases de aleitamento e de creche. Ciênc. Agrotec., Lavras, v.26, n.1, p.165-173, jan./fev., 2002. SAS INSTITUTE INC. System for Microsoft Windows, Release 9.1, Cary, NC, USA, 2002-2003. (cd-rom).

SILVA, E. N., TEIXEIRA, A. S., BERTECHINI, A. G., FERREIRA, C. L. L. F., VENTURA, B. G. Desempenho de frangos de corte alimentados com rações contendo probióticos, antibióticos e duas fontes de fósforo. Ciênc. Agrotec., Lavras, v. 24, (Edição Especial), p. 225-232, dez., 2000.


10. Equipe envolvida no experimento:

Armando Lopes do Amaral – Biólogo, MSc., Embrapa Suínos e Aves.
Nelson Morés – Médico Veterinário, MSc., Embrapa Suínos e Aves.
Arlei Coldebella – Médico Veterinário, DSc., Embrapa Suínos e Aves.
Gustavo J.M.M. de Lima – Agrônomo Ph.D., Embrapa Suínos e Aves.
Paulo R.S. Silveira – Médico Veterinário, Ph.D., Aposentado.
Michele Müller Fialkowski – Médica Veterinária, BS – contratada para executar o experimento na granja.
Édio Klein – Assistente, Embrapa Suínos e Aves
Dirceu da Silva – Assistente, Embrapa Suínos e Aves.
Altair Althaus – Assistente, Embrapa Suínos e Aves.
Neudir Vilson Gastmann – Assistente, Embrapa Suínos e Aves.

 
remove_red_eye 6037 forum 0 bar_chart Estatísticas share print
Compartilhar :
close
Ver todos os comentários
 
   | 
Copyright © 1999-2020 Engormix - All Rights Reserved