Engormix/Suinocultura/Artigos técnicos

Homeopatia Produção Suínos

Viabilidade da homeopatia na medicina veterinária aplicada a produção de suínos

Publicado: 01/01/1900
Autor/s. : Maria do Carmo Arenales- médica veterinária homeopata
Uma apresentação dos benefícios e da viabilidade do uso da homeopatia veterinária

A veterinária homeopática segue basicamente os mesmos princípios da medicina: vê o animal como um todo sustentado pela força vital. E, ao contrário do que muitos pensam, a homeopatia aplicada na veterinária é uma realidade que tem apresentado excelentes resultados práticos, desmistificando alguns conceitos e apresentando vantagens sobre a medicina oficial.

Dentro desta realidade, este artigo tem o objetivo de apresentar, em forma de itens, a aplicação e os benefícios da homeopatia na veterinária, mostrando sua viabilidade e reforçando suas vantagens sob o aspecto de cura e, até mesmo, financeiro.

I. Ação rápida e eficiente
Existe uma falsa crença que sugere que o medicamento homeopático seja de ação lenta, razão pela qual o tempo de resposta do organismo para com o remédio deixaria a desejar. Na verdade, esse é um preconceito gerado por uma desinformação popular, que muitos contrários à homeopatia gostam de divulgar.
Já está comprovado que o tempo de reação do organismo é proporcional ao tempo da afecção: se estivermos diante de um processo agudo instalado em pouco tempo (por exemplo, uma diarréia) teremos a resposta em poucas horas; porém, se a afecção estiver instalada há meses, com comprometimento de contaminação ambiental, revelando-se um processo crônico (como uma Coccidiose), teremos a resposta do organismo em algumas semanas e a cura instalada em meses, dependendo de cada caso, e sempre se considerando o plantel como um único organismo que estará na realidade realizando a descontaminação ambiental.

II- Homeopatia e patologias graves
Outro grande preconceito diz que devemos usar a Homeopatia em afecções benignas, onde não existe risco de vida, deixando a alopatia agir em patologias graves. Essa é mais uma avaliação sem sentido já que a rapidez da resposta do organismo frente ao medicamento homeopático em casos de patologias agudas pode retirar o animal do perigo eminente em curto espaço de tempo.
Assim, é preciso salientar o conceito de curável na homeopatia. Para o Homeopata não existe patologia incurável, o que pode existir é o indivíduo incurável, ou seja, aquele que com sua energia vital esgotada não responde à medicação.
Na homeopatia veterinária, não existem doenças incuráveis: nos casos de Encefalite dos leitões (afecção considerada incurável,com terapêutica apenas sintomática), por exemplo, freqüentemente os animais respondem em poucos dias ao tratamento a esse processo agudo e não apresentam seqüelas após estarem completamente restabelecidos. Observa-se uma redução gradativa de sintomas e de óbitos no plantel.

III- Lucratividade na produção
Como a medicação homeopática é exclusividade energética, já que não há matéria no medicamento, não existe o risco de animais medicados transmitirem para a carne os remédios ingeridos, ao contrário da alopatia e seus antibióticos entre outros medicamentos. Desta forma o produtor estará de acordo com a tendência mundial do controle de resíduos nos alimentos.
Viabilizando o uso destes produtos para consumo, o produtor continua a auferir lucros e garantir alimentos saudáveis para o consumidor. Isso sem contar que os animais estão livres de sofrerem intoxicações medicamentosas (iatrogenia).

IV- Custo menor e saúde maior
Os lucros também podem ser contabilizados de outra forma, beneficiando o proprietário e o clínico, já que, os medicamentos homeopáticos custam menos que os alopáticos e permitem que a recuperação do organismo ocorra em curto período de tempo, somando, também, a redução de mortalidade e a manutenção da produção.

V- Fácil administração e ingestão
A facilidade de administrar o medicamento homeopático é outra vantagem que dever ser considerada pelo veterinário: os remédios são preparados de acordo com a palatabilidade individual, não havendo necessidade de ingerir grandes doses, podendo ser adicionado na água de beber ou ração dos suínos, sem alterar o seu sabor ou desbalanceamento dos nutrientes. Ocorre, também, uma redução do manejo,pois utilizando-se dos alimentos e água para medicar os suínos ,não implica em alterações de manejo.
Há também a facilidade de se ministrar doses únicas. Com isso, é possível evitar o estresse ocasionado pela administração forçada de medicação oral, pelo uso de seringas e demais manobras dolorosas,ou medicações individuais. Outra vantagem adicional: o risco de acidentes ao se lidar com animais violentos é reduzido, beneficiando o animal, o veterinário e seus auxiliares.

VI- Para todo reino animal
A homeopatia é utilizada sem dificuldades em todas as espécies animais, desde as que convivem intimamente nos lares, como o cão e o gato, e os bovinos, suínos, eqüinos, aves, peixes e abelhas. Até mesmo os animais selvagens respondem muito bem ao tratamento homeopático.
Nessa terapêutica podemos transcender o conhecimento alopático tratando o quadro mental dos animais, ou seja, os distúrbios do comportamento (psiquiatria veterinária) que acabam fazendo com que eles deixem de cumprir suas funções, como guarda, companhia, pastoreio, monta, produção de leite, ovos, carne, lã, etc. Esses distúrbios do comportamento podem fazer com que o animal venha a exacerbar sua agressividade, por temores não justificados, com ansiedade, timidez e outros. Casos de agressividade excessiva dos reprodutores e matrizes são tratados pelas técnicas homeopáticas.

VII- Incremento de produção
A homeopatia, além do recurso terapêutico, também apresenta a possibilidade do incremento de produção. Desta forma, obtemos no plantel um incremento de fertilidade de matrizes e marrãs e incremento de ganho de peso em desmame e engorda, como o incremento de crescimento em leitões .
Ocorre, na realidade, um incremento de produção direta, e não secundária, por haver redução de óbitos ou manutenção da saúde do plantel.

VIII- Controle de estresse
A produção industrial de suínos, gera nos animais um estresse considerável pelas condições artificializadas que imprimimos a esta produção. Manobras como engaiolamento constante, vacinações, corte de cauda e dentes, transporte entre outras manobras determinam estresses nos suínos que ocasionam prejuízos incalculáveis.
Pela sua biologia, os suínos são extremamente sensíveis aos estresses de alterações de temperatura, assim como aos estresses de manejos, como o engaiolamento das matrizes.
O controle do estresse é competência da homeopatia e desta forma, temos uma ferramenta para o controle dos prejuízos dos estresses causados pelo manejo industrializados.

IX- Ação preventiva e curativa
Os medicamentos homeopáticos, comprovadamente exercem a função de serem medicamentos de ação curativa, assim como medicamentos de ação preventiva.
Desta forma, podemos utilizá-los no controle de prevenção de infecções diversas. podemos exemplificar o controle das descargas vulvares em matrizes realizando inicialmente o tratamento curativo e posteriormente um tratamento preventivo. Outro exemplo válido refere-se a Encefalite dos leitões, assim como tratamento preventivo e curativo de infestações por sarna, moscas domésticas e verminose.

X- Tendência irreversível
A homeopatia é uma ciência médica que está conquistando, não só os profissionais da saúde, como também de outras áreas correlatas, como a agronomia. Na verdade, todas as pessoas que têm contato com a homeopatia acabam se beneficiando desta terapêutica, se interessando em ampliar seus conhecimentos sobre o assunto e, conseqüentemente, decidindo pela não continuidade da medicina oficial para si e para seus animais.
Apoiada em leis naturais e imutáveis e, portanto, aplicáveis tanto em seres humanos como em animais, a homeopatia, de tão verdadeira e benéfica, vem conquistando a adesão de um número cada vez maior de profissionais da saúde, sendo sua prática irreversível. Isso pode ser comprovado na medicina veterinária, onde cresce o número de veterinários interessados em conhecer a terapêutica homeopática, ora por livre iniciativa e busca de novos conhecimentos científicos, ora por sofrerem pressões de clientes e até de movimentos ecológicos.

Segue abaixo resultados a campo obtidos em granjas de suínos.

Sistema: Granja Marco Antônio Guzzi
Distrito de Rio das Pedras – Videira – SC
Granja iniciadora (530 fêmeas)
Homeopatização em suínos (1998 a 2003)

Viabilidade da homeopatia na medicina veterinária aplicada a produção de suínos - Image 1


Tratamentos sanitários nos suínos e avaliação de custos

Vacinas Preventivas utilizadas na Granja:
Parvovirose
Renite Artrófica
Collibacilose + Clostridium
Vacina Autógena (Streptococcus + Haemophilis)
Micoplasma e
Renite + Erisipela

Resultados a nível de Leitões (Creche):

1ª ração Pré inicial 1: fase da maternidade (desmame) até o 8° dia após o desmame – Período de 8 a 9 dias (desmame utilizado pelo Guzzi era de 21 dias), atualmente a maioria dos suinocultores utilizam desmame aos 28 ou 30 dias.
Nesta fase a redução de custo, foi de – R$290,00/tonelada de ração.

2ª ração Pré inicial 2: fase do 9° dia pós desmame aos 40 dias. Nesta fase a redução de custo foi de – R$180,00/tonelada de ração.

3ª ração Inicial 1: fase dos 41 dias pós desmame aos 50 dias. Nesta fase a redução de custo foi de – R$80,00/tonelada de ração.

4ª ração Inicial 2: fase dos 51 dias até o fim da creche (aos 62 dias).

De forma geral, o Marcos Guzzi afirma que a redução do custo do leitão chegou a - R$8,00/cb. Quando o custo do leitão era de R$45,00.
Os dados levantados foram para o ano de 2002.

(Fonte: NUTRIPASTO – Eng. Agr. André Sarturi – Xanxerê – SC)
 
Autor/s. :
 
Visualizações3705Comentários 3EstatísticasCompartilhar