EFEITO DA INCLUSÃO DE MAÇÃ INTEGRAL DESIDRATADA NA DIETA DE LEITÕES

Publicado: 21/06/2016
Autor/s. :
Sumário

Com o objetivo de avaliar o efeito da inclusão de maçã integral desidratada na dieta sobre o desempenho e digestibilidade da matéria seca da dieta foi realizado o presente experimento. Foram utilizados 30 suínos, com peso médio inicial de 8,4±0,32 kg alojados em gaiolas metabólicas com ração e água à vontade. Os animais foram submetidos a quatro tratamentos: 0, 5, 10 e 15% de incluso de maçã integral desidratada na dieta. As variáveis avaliadas foram o ganho diário de peso, consumo de ração, conversão alimentar, digestibilidade da matéria seca e matéria seca fecal. O ganho diário de peso foi maior para os tratamentos com 0 e 5% de inclusão nos primeiros cinco dias e ao final do experimento. O consumo diário de ração foi maior para 0 e 5% de maçã desidratada nos primeiros cinco dias e durante todo o experimento e a conversão alimentar foi melhor com 5% de inclusão nos primeiros cinco dias. Tanto o coeficiente de digestibilidade da matéria seca quando a matéria seca fecal não apresentaram diferenças entre os tratamentos. Conclui-se que a adição de maçã integral desidratada até o nível de 5% não afeta o desempenho dos animais. A digestibilidade da matéria seca e a matéria seca total não foram influenciadas pelos tratamentos.

 

Palavras-chave: palatabilizante; fibra; suínos.

 

Introdução

O sabor exerce função importante no consumo de alimentos, principalmente quando o apetite é suprimido por alguma razão como períodos de estresse ou mudanças de ambiente e alimentação. Por esta razão, vários aditivos sensoriais são testados com o objetivo de melhorar o desempenho dos suínos. Os aditivos sensoriais são definidos como qualquer substância que melhore ou altere as propriedades organolépticas do alimento(MAPA, 2004). Alguns trabalhos utilizaram suco de maçã com o objetivo de estimular a secreção de saliva em suínos (DANSOWN & EDWARDS, 2015; KITTAWORNRAT et al., 2010). Além do efeito palatabilizante em função do seu alto conteúdo de açúcares, por conter também grande quantidade de fibra, a maçã pode alterar a digestibilidade de alguns componentes da dieta (GOMES et al.,2007). Assim, o objetivo deste estudo foi avaliar a inclusão de maçã integral desidratada nas dietas de leitõessobre os parâmetros de desempenho e digestibilidade da matéria seca.

 

Material e Métodos

Foram utilizados 30 animais de ambos os sexos, com 35 dias de idade, oriundos de criação industrial com peso vivo médio de 8,4±0,320 kg. Os animais foram alojados em gaiolas metabólicas e distribuídos inteiramente ao acaso.As rações experimentais foram calculadas para serem isonutritivas e os tratamentos foram os níveis de inclusão de maçã(0, 5, 10, e 15%) em dietas iniciais constituídas de milho, farelo de soja, soro de leite (10,8 %), glúten de milho, calcário, fosfato bicálcico e premix mineral e vitamínico. O produto utilizado (maçã integral desidratada) apresentou os níveis de 94,5% de matéria seca, 3,4% de proteína bruta, 16,2% de fibra em detergente neutro e 70% de açúcares. Os tratamentos com0e 15% de maçãtinhamoito repetições e aqueles com 5 e 10%sete repetições, sendo o animal a unidade experimental. Para os parâmetros de digestibilidade foi utilizado o método de coleta total de fezes sendo o inicio e o final do período de coleta determinados pelo aparecimento de fezes marcadas pela adição de 3% de óxido de ferro na ração. O período experimental foi de 10 dias (cinco dias de adaptação e cinco dias de coleta). Foram avaliadas as variáveis de desempenho (ganho diário de peso, consumo de ração e conversão alimentar) no período de adaptação, coleta e período total. Nos primeiros 3 dias a mensuração do consumo foi feita diariamente.Os animais receberam ração e água à vontade. Os resultados foram analisados pelo procedimento GLM programa estatístico SAS e as diferenças entre as médias foram avaliadas pelo teste de Tukey.

 

Resultados e Discussão

As variáveis de desempenho analisadas estão apresentadas da tabela 1.O ganho diário de peso foi maior (P<0,05) para os níveis de 0 e 5% e do que no nível de 15%, a incluso de 10% de maçã diferiu-se dos demais tratamentos apenas nos últimos cinco dias. O consumo diario de ração foi maior para o nível de 0% de inclusão quando comparado aos níveis de 10 e 15% (P<0,05) nos primeiros cinco dias.O nível de 15% apresentou o menor consumo de ração durante todo o experimento. A conversão alimentar no período de adaptação foi melhor para o nível de 5% inclusão, sendo que no período total não houve diferença entre os tratamentos.

 

Tabela 1 – Ganho diário de peso (GDP), consumo diário de ração (CDR) e conversão alimentar (CA) de suínos consumindo rações com diferentes inclusões de maçã integral desidratada

Médias seguidas de letras diferentes em uma mesma linha diferem estatisticamente entre si (p<0,05).

 

Quando o consumo de ração foi analisado diariamente (Figura 1),observa-se uma diminuição no consumo no primeiro dia com a inclusão da maçã na dieta. No segundo dia houve um aumento no consumo de ração dos animais com inclusão de 5% de maçã na dieta, os demais tratamentos não diferiram (P>0,05). No quinto dia, a consumo de ração foi maior até 5% de inclusão.

 

Figura 1 - Consumo diário de ração conforme os níveis de inclusão de maçã integral (0,5, 10 e 15%).

 

Não houve alterações no coeficiente de digestibilidade da matéria seca, o que difere dos resultados encontrados por Gomes et al., (2007) que encontraram uma diminuição do CDMS quando foi incrementado em 80 g/kg o FDN da ração. A matéria seca das fezes também não apresentou diferença (P>0,05).Entretanto, trabalhando com frangos de corte em crescimento Silva et al., (2013) observaram um aumento na umidade das excretas quando foi adicionado 30 g/ kg de pectina de polpa cítrica na dieta.

 

Tabela 2 – Coeficiente de digestibilidade da matéria seca (CDMS) e matéria seca fecal (MS fecal).

Médias seguidas de letras diferentes em uma mesma linha diferem estatisticamente entre si (p<0,05)

 

Conclusões

A inclusão de maçã integral desidratada ao nível de até 5% não prejudicou o desempenho de leitões na fase inicial, enquanto níveis mais altos (10 e 15%) parecem deprimir o consumo e consequentemente o ganho de peso dos leitões. O uso de maçã desidratada em até 15% da dieta não afeta a digestibilidade da matéria seca da dieta.

 

Referências Bibliográficas

1. DAWSON, L.L; EDWARDS, S. A; 2015. The effects of flavored rope additives on commercial penbased oral fluid yield in pigs. Journal of Veterinary Behavior, (10): 267-271.

2. GOMES, J. D.F.; PUTRINO, S.M.;GROSSKLAUS, C.; et al., 2007. Efeitos do incremento de fibra dietética sobre a digestibilidade, desempenho e características de carcaça:I. suínos em crescimento e terminação. Semina: Ciências Agrárias, (28): 483-492.

3. KITTAWORNRAT, A.; PRICKETT, J.; CHITTICK, W.; et al., 2010. Porcine reproductive and respiratory syndrome virus (PRRSV) in serum and oral fluid samples from individual boars: Will oral fluid replace serum for PRRSV surveillance? Virus research, (154): 170-176.

4. MAPA, 2004. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Secretaria de Apoio Rural e Cooperativismo. Regulamento técnico sobre aditivos para produtos destinados à alimentação animal. InstruçãoNormativano 13.

5. SILVA, V. K.; MORITA, V.S.; BOLELI, I. C.,2013.Effect of pectin extracted from citrus pulp ondigesta characteristics and nutrient digestibility in broilers chickens. RevistaBrasileira de Zootecnia, (42):575-583.

 

***O TRABALHO FOI ORIGINALMENTE APRESENTADO DURANTE O XVII CONGRESSO ABRAVES 2015- SUINOCULTURA EM TRANSFORMAÇÂO, ENTRE OS DIAS 20 e 23 DE OUTUBRO, EM CAMPINAS, SP.

 
remove_red_eye 73 forum 0 bar_chart Estatísticas share print
Compartilhar :
close
Ver todos os comentários
 
   | 
Copyright © 1999-2020 Engormix - All Rights Reserved