Desmame Parcial Precoce

Desmame Parcial Precoce

Publicado: 22/12/2011
Autor/s. :

O Desmame Parcial Precoce (DPP) é uma tecnologia que visa maximizar o desempenho dos leitões, e a produtividade das matrizes durante a vida útil.

Com os constantes avanços genéticos na suinocultura, as fêmeas estão se tornando mais produtivas, aumentando os desafios em relação às práticas de manejo adotadas no sistema de produção. As vantagens que as fêmeas hiperprolíferas são capazes de proporcionar aos suinocultores, através do nascimento de um grande número de leitões (ver gráfico de Resultados de Fêmeas Hiperprolíferas -), somente efetivar-se-ão em benefícios se não forem anuladas por um aumento da mortalidade pré-desmame e/ou pela queda de produtividade nos partos subseqüentes, devido à perda da condição corporal na fase de lactação (ver imagem abaixo).

Em conseqüência do grande número de leitões em amamentação, haverá uma maior exigência das fêmeas durante a lactação. Essas condições são inerentes às linhas hiperprolíferas, e tendem a elevar a taxa de mortalidade pré-desmame e a provocar a exaustão das reservas energéticas das matrizes, caso não haja uma otimização e qualificação das práticas de manejo adotadas.

Como alternativa para maximizar o desempenho dos leitões e das matrizes, a Genetiporc vem adotando a técnica do Desmame Parcial Precoce, que consiste em desmamar os leitões de melhor qualidade de cada leitegada a partir do 12 dia de vida. 

Os objetivos que se pretendem atingir com esta prática são os de limitar a perda da condição corporal das fêmeas durante a lactação, e ao mesmo tempo propiciar aos leitões mais fracos que permanecem em amamentação um melhor desempenho. Como resultado, obtém-se um peso mais uniforme de desmame, e minimizam-se as perdas de desempenho das fêmeas nos partos subseqüentes.

Pode-se realizar o DPP diariamente a partir de 12 dias de lactação. O primeiro passo é a identificação dos leitões mais vigorosos de cada leitegada e a posterior remoção para Pré-Creche. Devem-se desmamar no máximo dois leitões por matriz/dia, para evitar o surgimento de glândulas mamárias improdutivas por falta de estímulos de sucção.

Por serem os mais desenvolvidos, os leitões desmamados não terão dificuldades de se adaptar a nova condição, enquanto os que permanecem mamando ganharão mais peso, já que terão maior disponibilidade de leite. Essa retirada parcial de leitões poderá ser feita até o 180 dia de lactação, e dependerá do desempenho de cada leitegada. Esse manejo visa prioritariamente beneficiar as fêmeas primíparas, que deverão permanecer com o máximo de 9 leitões em amamentação na última semana de lactação para evitar a síndrome do segundo parto. 

Com referência às fêmeas, a adoção da técnica do DPP contribui para minimizar as perdas corporais, possibilitando o desmame com um bom escore corporal, ou seja, com uma espessura de toucinho acima de 15 mm no P2. Não se pode esquecer que no setor de creche também se obtém ganhos adicionais com este manejo, proporcionando uma maior uniformidade dos leitões desmamados, reduzindo a mortalidade e o número de leitões refugos ou com baixo peso ao descreche.

RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS PARA OBTER UMA BOA PERFORMANCE COM O DPP(PERÍODO DE PRÉ-CRECHE).

1- Assegure uma temperatura controlada entre 30-32oC, mensurando a temperatura máxima e mínimadiariamente. É necessário aquecer as salas com antecedência ao desmame, para que os leitões encontremum ambiente semelhante àquele que estavam acostumados na maternidade.

2- Facilite o acesso à água.Assegure que as chupetas estejam reguladas conforme a altura dos leitões e com uma vazão mínima de 0,5litros por minuto. Nas primeiras horas após o desmame pode-se fornecer soro caseiro à vontade para auxiliarna hidratação. Como se sabe, os leitões aprendem a beber muito mais rapidamente em bebedouros tipo tigelaquando comparado com o modelo nipple. Por esta razão recomenda-se disponibilizar bebedouros tipo tigelanos primeiros três dias após o desmame. 

3- DisponibilizeRação na forma líquida (papinha) à vontade. Quanto mais estimulado for o leitão nesta fase, melhor será oseu desempenho futuro, pois tanto o peso corporal do leitão ao desmame, quanto o ganho de peso nosprimeiros 7-10 dias após o desmame, influenciam o ganho de peso subseqüente e a eficiência da utilização daração até o abate.

4- Mantenha um vazio sanitário mínimo de 48-72 horas da Pré-Creche.

5- Transfira para Creche nos dias normais de desmame todos os leitões, formando neste setor gruposcontemporâneos.

6- Dimensione as salas de Pré-Crechepara alojar entre 20-30% do total deleitões desmamados semanalmente.Devem-se ter no mínimo duas salaspara permitir os vazios sanitáriosadequados (ver imagem à esquerda).

7- Aloje os leitões na Pré-Creche comuma lotação de 8-10 leitões/m2.8- Buscar atingir as seguintes metas:Idade entrada na pré-creche  12-18 dias 

Peso mínimo de entrada  4,5-5,0 Kg

Idade saída  21 dias

Peso médio de saída  5,8-6,2 Kg

ET fêmeas ao desmame  15-18 mm

 
Autor/s.
 
remove_red_eye 1073 forum 3 bar_chart Estatísticas share print
Compartilhar :
close
Ver todos os comentários
 
   | 
Copyright © 1999-2020 Engormix - All Rights Reserved