Engormix/Suinocultura/Artigos técnicos

Coproduto desidratado de mandioca na alimentação de leitões na fase inicial

Publicado: 06/06/2022
Autor/s. : Davi Elias de Sá e Castro, Paulo Levi de Oliveira Carvalho, Newton Tavares Escocard de Oliveira, Ricardo Vianna Nunes, Jansller Luiz Genova, Vanja de Souza Rocha, Ana Lúcia Almeida Santana, Aparecida da Costa Oliveira, Silvana Teixeira Carvalho
Sumário

Dois experimentos foram conduzidos, objetivando-se determinar o valor nutricional do Coproduto Desidratado de Mandioca (CDM) e seus efeitos no desempenho e nas variáveis sanguíneas de leitões alimentados com diferentes níveis do CDM. No experimento I, realizou-se um ensaio de digestibilidade e foram utilizados 30 leitões híbridos, machos inteiros, com peso vivo inicial de 18,00 ± 0,673 kg, alojados individualmente em gaiolas de metabolismo, e distribuídos em um delineamento experimental inteiramente casualizado, com 5 tratamentos, 6 repetições e um animal por unidade experimental. Uma ração referência foi formulada para atender as exigências nutricionais da categoria e diferentes níveis de substituição do CDM (6, 12, 18 e 24%) foram utilizados para substituir a ração referência, compondo os tratamentos. No experimento II, foram utilizados 120 leitões (60 machos inteiros e 60 fêmeas), com peso vivo inicial de 13,05 ± 1,59 kg, distribuídos em um delineamento experimental em blocos casualizados, com 5 tratamentos, 6 repetições e 4 animais por unidade experimental. Os tratamentos consistiram de cinco rações com níveis crescentes de inclusão (0, 3, 6, 9 e 12%) do CDM. As rações à base de milho e farelo de soja foram formuladas para atender ao recomendado para suínos na fase inicial. Os dados foram submetidos à análise estatística e, ao apresentar diferença signi cativa, as médias foram comparadas pelo teste de Dunnet a 10% de signi cância. No ensaio de digestibilidade, foram encontrados os valores de Energia Digestível e Energia Metabolizável do CDM de 3022 e 2984 kcal kg-1 na matéria natural, respectivamente. Não houve efeito (P > 0,10) de níveis de inclusão de CDM sobre o peso  nal e ganho diário de peso, no entanto observou-se efeito quadrático (P < 0,10) dos níveis de CDM sobre o consumo diário de ração e conversão alimentar. Para as análises dos parâmetros sanguíneos, os resultados mostraram que não houve efeito (P > 0,10) de níveis de CDM sobre a glicose e a ureia sanguínea nos diferentes tratamentos. O uso do coproduto desidratado de mandioca pode ser uma alternativa energética para rações de leitões na fase inicial, podendo ser utilizado até o nível de 12%. 

Palavras-chave: Alimentos alternativos. Nutrição. Suinocultura.

Resumo
Dois experimentos foram conduzidos, objetivando-se determinar o valor nutricional do Coproduto Desidratado de Mandioca (CDM) e seus efeitos no desempenho e nas variáveis sanguíneas de leitões alimentados com diferentes níveis do CDM. No experimento I, realizou-se um ensaio de digestibilidade e foram utilizados 30 leitões híbridos, machos inteiros, com peso vivo inicial de 18,00 ± 0,673 kg, alojados individualmente em gaiolas de metabolismo, e distribuídos em um delineamento experimental inteiramente casualizado, com 5 tratamentos, 6 repetições e um animal por unidade experimental. Uma ração referência foi formulada para atender as exigências nutricionais da categoria e diferentes níveis de substituição do CDM (6, 12, 18 e 24%) foram utilizados para substituir a ração referência, compondo os tratamentos. No experimento II, foram utilizados 120 leitões (60 machos inteiros e 60 fêmeas), com peso vivo inicial de 13,05 ± 1,59 kg, distribuídos em um delineamento experimental em blocos casualizados, com 5 tratamentos, 6 repetições e 4 animais por unidade experimental. Os tratamentos consistiram de cinco rações com níveis crescentes de inclusão (0, 3, 6, 9 e 12%) do CDM. As rações à base de milho e farelo de soja foram formuladas para atender ao recomendado para suínos na fase inicial. Os dados foram submetidos à análise estatística e, ao apresentar diferença signi¿cativa, as médias foram comparadas pelo teste de Dunnet a 10% de signi¿cância. No ensaio de digestibilidade, foram encontrados os valores de Energia Digestível e Energia Metabolizável do CDM de 3022 e 2984 kcal kg-1 na matéria natural, respectivamente. Não houve efeito (P > 0,10) de níveis de inclusão de CDM sobre o peso ¿nal e ganho diário de peso, no entanto observou-se efeito quadrático (P < 0,10) dos níveis de CDM sobre o consumo diário de ração e conversão alimentar. Para as análises dos parâmetros sanguíneos, os resultados mostraram que não houve efeito (P > 0,10) de níveis de CDM sobre a glicose e a ureia sanguínea nos diferentes tratamentos. O uso do coproduto desidratado de mandioca pode ser uma alternativa energética para rações de leitões na fase inicial, podendo ser utilizado até o nível de 12%. Palavras-chave: Alimentos alternativos. Nutrição. Suinocultura.
Esse artigo foi originalmente publicado em Seina: incia Arria, ondrina, v. 38, n. 4, upleeno 1, p. 2775-2788, 2017 DOI: 10.5433/1679-0359.2017v38n4Supl1p2775 | https://www.redalyc.org/pdf/4457/445752611041.pdf. Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Referências bibliográficas

 
Autor/s. :
Possui graduação em Zootecnia pela Universidade Federal de Lavras (UFLA, 1997), mestrado em Zootecnia (1999) e doutorado em Zootecnia (2003) pela Universidade Federal de Viçosa (UFV) e pós-doutorado pela Universidade Estadual de Maringá (UEM, 2010). É Professor Associado A da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), Professor Permanente da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UTFPR). Tem experiência na área de Zootecnia, com ênfase em Nutrição e Alimentação Animal.
 
Visualizações45Comentários 0EstatísticasCompartilhar