engormix
search
search
Estaremos presentes no:
22 al 24 de Outubro de 2019
Toledo, Parana, Brasil

Benefícios de Enzimas que degradam PNAs em dietas de matrizes suínas

Publicado: 11/08/2015
Autor/s. :

RESUMO: A criação de matrizes suínas representa grande parte do custo da produção na indústria de suínos. Muitos desafios devem ser gerenciados a fim de garantir a rentabilidade e a sustentabilidade de todo o sistema de produção. Da gestação ao parto e ao desmame as porcas passam por drásticas mudanças metabólicas e fisiológicas. Durante alguns dias antes e depois do parto as porcas apresentam apetite reduzido com diminuição do consumo de ração e as porcas em lactação mobilizam suas reservas corporais para produzir leite aos leitões. Isso leva a perdas significativas de peso, podendo chegar a 15-20kg, prejudicando todo o ciclo reprodutivo. Em nossos estudos recentes que envolveram 6 experimentos e 640 porcas, realizados em universidades localizadas em diferentes lugares, investigamos a eficácia da suplementação com enzima que degrada os polissacarídeos não amiláceos (PNAs) e, uma meta-análise revelou que a adição desta enzima aumentou o consumo voluntário de ração e reduziu em 3kg em média a perda de peso (ou 20%) e reduziu em 24% a perda na espessura de toucinho durante a lactação.

Introdução: As porcas reduzem o consumo de ração após o parto, o que resulta em perdas de peso corporal durante a lactação e subsequente ganho de peso após o desmame. Esta perda de peso durante a lactação é um parâmetro crítico, amplamente considerado um indicador de risco e, portanto, monitorado de perto pelos gerentes das granjas. Alterações extremas nas reservas corporais devem ser evitadas devido a seus impactos já conhecidos na: reprodução, longevidade e duração do intervalo desameestro (Clowes, 2006; Close and Cole, 2000). A relação entre a perda de peso corporal e o tempo entre o desmame e o estro foi estabelecida há muitos anos (Reese et al., 1982). Dados recentes sugerem que as porcas que perdem mais de 12% da sua reserva corporal de proteína terão sua performance reprodutiva prejudicada com maior tempo de ajuste após a lactação. O impacto é ainda mais grave em matrizes primíparas, para as quais há recomendações de se evitar perdas maiores que 5% do peso corporal inicial (Australian Pork Limited, 2005).

Uma porca de 250kg que perde mais que 25kg terá grande risco de ter seu desempenho reprodutivo prejudicado. Na prática isso nos leva a um desafio real para os nutricionistas que desejam aumentar o consumo de energia, reduzir as perdas de peso corporal e de espessura de toucinho e garantir a produção máxima de leite. Isto pode ser atingido a partir de duas frentes:

- Aumento no consumo de ração: isto é, novamente, muito difícil de ser alcançado em porcas que passam por mudanças fisiológicas que limitam seu potencial de consumo de ração.

- Melhora no valor nutricional da ração, através da escolha de matérias primas com alto conteúdo energético ou através do uso de aditivos que melhorem a digestibilidade dos nutrientes.

Estudos anteriores com suínos na fase de crescimento observaram que as enzimas podem modificar parte da digestão de matéria seca no intestino (Baidoo and Liu, 1998), o que pode reduzir o tempo de trânsito e, consequentemente, aumentar o consumo de ração (Yin at al., 2001). A equipe de pesquisadores da Adisseo investigou se a adição de enzimas que degradam PNAs na ração poderia aliviar o impacto negativo no consumo de ração de matrizes suínas ou na perda de peso durante a lactação.

Experimentos: A enzima testada foi o Rovabio® Excel, obtida a partir da fermentação de um único organismo não GMO, o Talaromyces versatilis (anteriormente nomeado Penicillium funiculosum), que contém naturalmente 19 atividades enzimáticas (xilanases, β- glucanases e celulases). Esta enzima tem provado ser amplamente eficaz no aumento da digestão de componentes pouco digestíveis da ração para todas as espécies de monogástricos, incluindo leitões e suínos na fase de terminação.

O efeito do Rovabio® Excel foi testado em diferentes condições e tipos de dietas. Em todos os casos as porcas foram selecionadas de acordo com a ordem de parto e espessura de toucinho a fim de se obter condições corporais similares no início dos experimentos.

Foi feita uma redistribuição dos leitões em até 24 horas após o nascimento e não houve alimentação do tipo “creep feeding”. As leitegadas permaneceram intactas até o desmame. As porcas foram alimentadas ad libitum e no total 6 experimentos foram realizados em diferentes locais, com diferentes dietas. Como o objetivo dos experimentos foi aumentar o consumo de ração, a suplementação enzimática foi no método “on top” nas rações já existentes durante a fase de lactação, portanto cada experimento foi baseado na comparação:

Dieta padrão x Dieta padrão + Rovabio Excel

Os resultados estão resumidos na tabela 1. Em todos os casos não houve diferenças no peso dos leitões e tamanho de leitegada. A quantidade de partos também não foi relevante.

Tabela 1. Efeito de Rovabio nas perdas de peso em porcas em lactação alimentadas com diferentes dietas

Obs. Os estudos foram realizados nos seguintes locais: 1 Shur Gain/Mapple Leaf - Canada; 2-3 Prairie Swine Centre - Canada; 4 Universidade de Santa Maria - Brasil; 5 University of Animal Husbandry - Serbia; 6 Primex of France.

Devido à grande variação entre os animais, as diferenças observadas entre o grupo controle e o grupo suplementado, nem sempre seriam significantes em um estudo individual. No entanto, perdas de peso corporal foram consistentemente menores em todos os tipos de dieta nos grupos suplementados com Rovabio®.

Quando colocamos todos juntos em uma meta-análise o efeito do Rovabio® foi estatisticamente significante com uma média de 20% de redução da perda de peso, além de uma diminuição de 24% na perda de espessura de toucinho (Tabela 2). A equipe de pesquisadores concluiu que a suplementação enzimática contribuiu para um aumento no consumo de ração e/ou para uma melhor utilização dos nutrientes durante a lactação.

A espessura de toucinho é um parâmetro importante na condição da matriz suína e, como demonstrado neste artigo a adição de Rovabio® diminuiu em 24% as perdas na espessura de toucinho, o que corresponde à diminuição nas perdas corporais.

Tabela 2. Impacto do Rovabio® na espessura de toucinho (P2, mm)

De acordo com a estimativa do modelo INRAPorc (Dourmad et al., 2008), uma melhora de 2,6 kg de peso corporal pode ser convertida em um consumo de energia metabolizável de 788 kcal por dia, fornecido pela ração. O consumo médio de ração para as porcas é de 5,6kg por dia e a energia metabolizável contida em uma dieta padrão é cerca de 3100 kcal/kg. Para atingir a mesma performance, graças ao uso da enzima, o formulador pode reduzir a densidade da dieta em 140kcal/kg, podendo ir, por exemplo, de 3100 para 2960kcal/kg.

De acordo com um experimento prático de 5 anos na granja Aldo (localizada em Quebec, com 1700 porcas), desenvolvido para pesquisar o efeito da composição corporal das matrizes suínas em seu desempenho reprodutivo, 30000 mensurações de espessura de toucinho e peso corporal foram realizadas em 15000 partos. O estudo concluiu que ocorre uma redução de 0,2 leitões nascidos para cada mm de perda na espessura de toucinho se a perda for maior que o ponto crítico de 2mm durante a lactação. Em outras palavras, se uma porca perder 5mm de espessura de toucinho durante a lactação, sua próxima leitegada terá um leitão a menos. Eles também encontraram uma relação direta entre o consumo de ração durante a lactação e o tamanho da leitegada subsequente: 0,65 leitão a mais para cada kg a mais de ração consumida durante a lactação. Com o objetivo de maximizar a produtividade das matrizes é extremamente importante aumentar o consumo de ração durante a lactação para evitar perdas na espessura de toucinho.

Conclusão: Os resultados destes estudos sugerem que suplementar as dietas da fase de lactação com Rovabio® traz benefícios como o aumento do consumo de ração e redução média da perda de peso corporal em 20% e da espessura de toucinho em 24%, o que pode ajudar a manter os parâmetros abaixo dos limiares e aumentar a produtividade da porca.

Rovabio®, a enzima degradadora de PNAs, é uma ferramenta efetiva para melhorar o valor nutricional da dieta, resultando em uma melhor rentabilidade de todo o sistema de produção: uma diminuição na perda de peso de 2,6 kg é significativa para uma maior rentabilidade da granja.

 
Autor/s.
 
remove_red_eye 166 forum 0 bar_chart Estatísticas share print
Compartilhar :
close
Ver todos os comentários