AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DE LEITÕES TRATADOS PREVENTIVAMENTE COM TOLTRAZURIL NO TERCEIRO DIA DE VIDA

Publicado: 02/08/2016
Autor/s. :
Sumário

O objetivo do presente estudo foi comparar o desempenho de leitões tratados e não tratados com toltrazuril no terceiro dia de vida, nos períodos de lactação e creche, avaliando o desempenho dos animais após o desmame. Foram utilizados 100 leitões oriundos de 15 fêmeas suínas de ordem de parto entre 1 e 8. Após o parto, os leitões foram identificados e pesados individualmente e cada um foi alocado em um grupo experimental ao acaso: a) grupo não tratado (controle) e b) grupo tratado com toltrazuril (20 mg/kg) fornecido via oral no terceiro dia de vida. Para a avaliação do desempenho, todos os animais foram pesados ao desmame (21 dias de idade ajustado), na primeira e terceira semana de creche e na saída de creche (65 dias de vida). Os dados obtidos foram analisados utilizando-se teste de comparação de médias (Tukey) através do pacote computacional SAS. Houve diferença (p<0,01) no ganho de peso diário durante a lactação, no peso ao desmame, no peso de primeira e terceira semana de creche e no peso de saída de creche entre o grupo tratado com toltrazuril e o grupo controle, sendo que o grupo tratado apresentou maiores médias em todas as pesagens. Sob as condições de execução do experimento, o tratamento preventivo com toltrazuril mostrou-se eficaz para prevenir o efeito indesejável no ganho de peso que a coccidiose pode causar e os animais tratados apresentaram maior ganho de peso durante a lactação e melhor desempenho após a desmama.

 

Palavras-chave: coccidiose; diarreia; suínos.

 

Introdução

A coccidiose em suínos é causada pelo Isospora suis, sendo caracterizada por uma enterite que provoca diarreia em leitões lactentes. Geralmente os sinais clínicos surgem a partir do quinto ao 14º dia de vida, podendo surgir mais tardiamente, dependendo do nível de infestação. A característica da diarreia observada em leitões acometidos pela coccidiose varia entre pastosa e gordurosa, coloração entre amarelada a acinzentada, profusa, não hemorrágica, que tem como característica causar alta morbidade e baixa mortalidade. Dentre os prejuízos decorrentes da coccidiose, destaca-se a redução de ganho de peso, ocasionado pelas lesões e atrofia de vilosidades que o Isospora provoca no intestino delgado. Devido ao efeito multiplicador dos pesos, que consiste no efeito do peso ao nascer/lactação sobre o desempenho nas fases de creche e terminação, a preocupação maior relacionada à coccidiose fica em relação ao efeito da atrofia de vilosidade nas fases posteriores a desmama. Os fatores que sugerem a ocorrência de coccidiose em leitões lactentes são, além dos sinais clínicos normalmente observados, a ineficiência das terapias com antimicrobianos e vacinação utilizando bacterinas nas fêmeas gestantes (Reis, 2000). O toltrazuril vem sendo utilizado como o fármaco de eleição para a prevenção e tratamento da coccidiose (Ristow et al., 2001). Este fármaco tem atividade anticoccidiana e antiprotozoária de amplo espectro e é ativo contra ambos os estágios (assexuado e sexuado) dos coccídeos (Adams, 2003). Existem poucos dados que demonstram os efeitos da coccidiose e do tratamento preventivo com toltrazuril sobre os leitões após a desmama. Dessa forma, o presente estudo visou comparar o desempenho de animais tratados e não tratados com toltrazuril no terceiro dia de vida nos períodos de lactação e creche, avaliando o desempenho dos animais após a desmama.

 

Material e Métodos

Foram utilizados 100 leitões oriundos de 15 fêmeas suínas de ordem de parto entre 1 e 8 em uma granja com desafio por Isospora suis no estado de Minas Gerais. Após o parto, os leitões foram identificados e pesados individualmente e cada um foi alocado em um grupo experimental por meio de sorteio. Os grupos experimentais realizados foram: a) grupo tratado com uma dose de 1mL toltrazuril (20 mg/kg) via oral, no terceiro dia de vida dos leitõese; b) grupo controle tratado com 1 mL de solução fisiológica fornecida via oral no terceiro dia de vida dos leitões.Todos os animais foram pesados ao desmame (21 dias de idade ajustado), na primeira e terceira semana de creche e na saída de creche (65 dias de vida). O delineamento experimental utilizado foi inteiramente casualizado e as médias obtidas foram comparadas através do teste de Tukey com 5% de significância, por meio do pacote estatístico SAS (SASInstitute, 2005). Como houve diferença entre as ordens de parto, esta variável foi utilizada como covariávelpara as análises de peso ao nascimento, ganho de peso diário e peso ao desmame.

 

Resultados e Discussão

Não houve diferença (p=0,386) entre o peso ao nascimento dos leitões dos diferentes grupos experimentais, comprovando que os grupos iniciaram o experimento sob mesmas condições. Houve diferença (p<0,05) no ganho de peso diário durante a lactação,no peso ao desmame, no peso de primeira e terceira semana de creche e no peso de saída de creche entre o grupo tratado com toltrazuril e o grupo controle (Tabela 1).

 

Tabela 1. Avaliação do ganho de peso diário durante a lactação, peso ao desmame, peso na primeira e terceira semana de creche e peso na saída de creche de leitões tratados com uma dose de toltrazuril no terceiro dia de vida e controle (Média ± Desvio Padrão)

Médias seguidas de letras diferentes em uma mesma linha diferem estatisticamente entre si (p<0,05).

 

De acordo com os resultados obtidos observa-se uma diferença significativa de desempenho entre animais tratados e não tradados com toltrazuril, o que indica que sob as condições em que o experimento foi executado, o tratamento com uma dose de toltrazuril foi eficaz na prevenção prejuízo econômico que a coccidiose costuma causar. Foi verificada uma grande diferença já no GPD de maternidade entre os grupos, 31,71 g a mais para o grupo tratado com toltrazuril, mostrando o prejuízo produtivo desde o início da vida produtiva dos leitões. Neste sentido diversos estudos demonstraram a existência do efeito multiplicador dos pesos, onde o resultado de uma fase influência no desempenho da fasesubsequente (Cooper et al. 2001; Lynch et al. 2006; Smith et al. 2007) e, neste estudo, o efeito ficou ainda mais evidente, mostrando que animais desmamados mais leves e sem o tratamento preventivo com toltrazuril permaneceram mais leves durante o período de alojamento na creche. Quando comparadas as médias, o grupo tratado com toltrazuril apresentou 661,32 g a mais ao desmame do que o grupo controle e, esta diferença aumentou, aproximadamente, cinco vezes na saída de creche, apresentando uma diferença de 3400,34 g entre os grupos.

 

Conclusões

A administração preventiva com toltrazuril se mostrou eficaz e benéfica na prevenção da coccidiose. Além disso, demonstrou o grande impacto econômico que a coccidiose causa em granjas onde não é realizado o manejo preventivo com toltrazuril em leitões lactentes, culminando em redução de produtividade e rentabilidade dentro do sistema de produção. Portanto, a administração de toltrazuril é fundamental em leitões entre o 3º e 4º dia de vida para que o potencial genético intrínseco a eles seja extraído em seu máximo.

 

Referências Bibliográficas

1. ADAMS, H.R. 2003.Farmacologia e Terapêutica em Veterinária. 8ed. Rio de Janeiro:Guanabara Koogan S.A. p. 840-846.

2. COOPER, D. R.; PATIENCE, J. F.; GONYOU, H. W.; ZIJLSTRA, R.T. 2001.Characterization of Within Pen and within room variation in pIg’s from birth to market: variation In birthweight and days to market. Monograph 01-03. Prairie Swine Centre Inc., Saskatoon, SK.

3. LYNCH, P. B., CAHILL, LYNCH, P. B.; CAHILL, A.; LAWLOR, L.; BOYLE, L.; O‘DOHERTY, J.; DIVIDICH, L. 2006. Studies on Growth Rates in PIg‘s and The Effect of Birth Weight, 2006.Rep. RMIS No. 5220. Agric. Food Dev. Authority, Moorepark, Fermoy, Co. Cork, Ireland.

4. REIS, R.; REIS, A.T. 2000.Doenças entéricas suínas. Aspectos clínicos e controle. IVSeminário Nordestino de Pecuária, Pecnordeste.

5. RISTOW, L.E.; PEREZ, A.A. Jr; SILVA, L.G.C. 2001.Estudo comparativo do uso profilático de toltrazuril, diclazuril e sulfaquinoxalina no controle da excreção de oocistos de Isospora suis. In Anais... X Congresso Brasileiro de Veterinários Especialistas em Suínos, Porto Alegre - RS.

6. SAS Institute Inc. 2005.SAS/Genetics TM 9.1.3 User's.Guide. Cary, NC: SAS Institute Inc.

7. SMITH, A. L.; STALDER, K. J.; SERENIUS, T. V.; BAAS, T. J.; MABRY, J. W. 2007. Effects of piglet birth weights at weaning and 42 days post weaning. JournalofSwine Health andProduction. 15(4):213 -218.


***O TRABALHO FOI ORIGINALMENTE APRESENTADO DURANTE O XVII CONGRESSO ABRAVES 2015- SUINOCULTURA EM TRANSFORMAÇÂO, ENTRE OS DIAS 20 e 23 DE OUTUBRO, EM CAMPINAS, SP.

 
Autor/s.
 
remove_red_eye 112 forum 0 bar_chart Estatísticas share print
Compartilhar :
close
Ver todos os comentários
 
   | 
Copyright © 1999-2019 Engormix - All Rights Reserved