Explorar
Comunidades em Português
Anuncie na Engormix
Evonik Animal Nutrition
Conteúdo patrocinado por:
Evonik Animal Nutrition

Efeitos de níveis dietéticos de lisina digestível e de energia líquida sobre o desempenho de suínos de 23 a 45 kg e de 60 a 100 kg

Publicado: 5 de agosto de 2020
Por: Evonik
Conclusões
• O aumento do nível dietético de Lys SID de 0,97 para 1,06% aumentou o GMD, a EA e a eficiência de utilização de energia de suínos de 23 a 45 kg.
• O aumento do teor de Lys SID na dieta de 0,70 para 0,80% aumentou o GMD e a EA e tendeu a aumentar a eficiência de utilização de energia de suínos de 60 a 100 kg.
• O consumo de ração dos suínos de 23 a 45 kg e de 60 a 100 kg não foi afetada pelos níveis de Lys SID ou de EL.
• O aumento do nível de EL não afetou o GMD, mas melhorou a EA de suínos de 23 a 45 kg. Foram estimados níveis dietéticos de 10,10 MJ de EL/kg e de 1,06% Lys SID (Lys SID:EL de 1,06 g/MJ) para eficiência alimentar máxima de suínos de 23 a 35 kg.
• Foram estimados níveis dietéticos de 0,80% de Lys SID e de 9,75 MJ de EL/kg e (Lys SID:EL de 0,82 g/MJ) para obter eficiência alimentar (EA) máxima de suínos de 60 a 100 kg.
• Foi estimado o nível dietético de 9,75 MJ de EL/kg para maximizar o rendimento de carcaça (%) de suínos de 60 a 100 kg.
Introdução e objetivo
O fornecimento adequado de aminoácidos (AA) na dieta, especialmente de lisina (Lys), o primeiro AA limitante, é importante para obter o desempenho máximo de suínos. Além disso, níveis adequados de energia na dieta são essenciais para a mantença e o crescimento e podem influenciar o consumo de ração. Entre os sistemas energéticos, a formulação de rações com base na energia líquida (EL) considera a perda de calor associada ao metabolismo e promove maior eficiência em termos de desempenho e rendimento de carcaça (Kerr et al., 2015). Há poucos estudos que avaliaram os níveis ideais de EL e relações Lys SID:EL em rações de suínos em crescimento e as respostas aos níveis de EL foram contraditórias (Chen et al., 2011). Portanto, os experimentos foram realizados na granja experimental da empresa PigCHAMP Pro Europa, Espanha, para avaliar o efeito dos níveis de Lys SID (digestibilidade ileal estandardizada) e de EL no desempenho de suínos de 23 a 45 kg (Exp. 1) e no desempenho e na qualidade da carcaça de suínos de 60 a 100 kg (Exp. 2).
Material e Métodos
Experimento 1 
No Exp. 1, 288 suínos PIC (GP1050) de ambos os sexos, com peso inicial de 23,3 ± 0,40 kg, foram distribuídos em 6 tratamentos dietéticos em arranjo fatorial 2 x 3, com 2 níveis de Lys SID (0,97 ou 1,06%) e 3 níveis de EL (9,65; 10,00 ou 10,35 MJ/kg). Os animais receberam as dietas experimentais por 28 dias (d).
Experimento 2
Os mesmos animais avaliados no Exp. 1 foram utilizados no Exp. 2. No entanto, entre Exp. 1 e Exp. 2, os animais foram submetidos a um período de transição de 30 dias, durante o qual todos foram alimentados com uma mesma dieta comercial de crescimento. Um total de 288 suínos PIC (GP1050) de ambos os sexos, com peso inicial de 59,2 ± 0,44 kg, foram distribuídos em 6 tratamentos dietéticos em arranjo fatorial 2 x 3, com 2 níveis de Lys SID (0,70 ou 0,80%) e 3 níveis de EL (9,40; 9,75 ou 10,10 MJ/kg), com 8 repetições (baias; 3 machos castrados e 3 marrãs/baia) por tratamento. Os animais receberam as dietas experimentais por 45 dias (d). As dietas foram baseadas em milho, farelo de soja e farelo de trigo e formuladas de acordo com os teores de AA analisados nos ingredientes e os coeficientes SID publicados (AMINODat 4.0) para atender ou exceder as exigências de relações de AA (AMINOPig 1.0). A EL dos ingredientes foi estimada com base nos níveis de macronutrientes (analisados via NIR). As composições das dietas basais utilizadas nos Exp. 1 e 2 estão na Tabela 1. Os animais receberam ração farelada e água à vontade. A cada duas semanas, os animais foram pesados individualmente e determinado o desaparecimento da ração para calcular o ganho
médio diário (GMD), o consumo médio diário de ração (CMDR) e a eficiência alimentar (EA; ganho de peso/consumo de ração).
Efeitos de níveis dietéticos de lisina digestível e de energia líquida sobre o desempenho de suínos de 23 a 45 kg e de 60 a 100 kg - Image 1
Resultados
Experimento 1
No Exp. 1, o aumento da Lys SID de 0,97 para 1,06% aumentou o PC final (P=0,008), o GMD (P=0,009) e a EA (P=0,011; Tabela 2), o que está de acordo com os achados de Warnants et al. (2003), que relataram que são necessários pelo menos 1,07% de Lys SID para otimizar o GMD e a EA de suínos de 31 a 50 kg. A EA máxima foi otimizada com o maior nível de EL (10,35 MJ/kg) e com 1,06% de Lys SID. O GMD foi maximizado a níveis estimados de 1,06% de Lys SID e de 10,00 MJ/kg EL, o que corresponde à relação Lys SID: EL de 1,06 g/MJ. Da mesma forma, Zhang et al. (2011) relataram que o nível dietético ideal de 9,87 MJ de EL/ kg para suínos de 20 a 50 kg. O CMDR não foi afetado pelos tratamentos dietéticos (P> 0,05) e não houve efeitos de interação Lys SID x EL para nenhum dos parâmetros avaliados (P>0,05). O aumento da Lys SID de 0,97 para 1,06% diminuiu (P=0,010) a exigência de EL por kg de ganho de peso, mas aumentou (P=0,003) a exigência de Lys SID por kg de ganho de peso. O aumento do nível dietético de EL reduziu a exigência de Lys SID por kg de ganho de peso de 19,89 para 19,53 e 18,95 MJ/kg (P=0,039).
Efeitos de níveis dietéticos de lisina digestível e de energia líquida sobre o desempenho de suínos de 23 a 45 kg e de 60 a 100 kg - Image 2
O efeito do teor de Lys SID e da relação Lys SID:EL na dieta (ANOVA comparando as 6 dietas) no GMD é mostrado na Fig. 1. Em geral, o GMD máximo (P=0,049) de suínos de 23 a 45 kg foi estimado a níveis dietéticos de 1,06% de Lys SID e de 10,10 MJ de EL/kg, correspondendo a uma relação Lys SID:EL de 1,06 g/MJ (Fig. 1).
Efeitos de níveis dietéticos de lisina digestível e de energia líquida sobre o desempenho de suínos de 23 a 45 kg e de 60 a 100 kg - Image 3
Experimento 2
No Exp. 2, o aumento do teor de Lys SID na dieta de 0,70 para 0,80% aumentou (P<0,05) o peso final, o GMD e a EA (Tabela 3). Não houve influência (P>0,05) do nível dietético de EL no GMD ou na EA. O CMDR não foi afetado (P>0,05) pelos níveis de Lys SID ou de EL e não houve interação EL x Lys SID para nenhum dos parâmetros medidos. A eficiência Lys SID por kg de ganho de peso (g/kg de ganho) não foi afetada (P>0,05) pelos níveis de Lys ou de EL. No entanto, o aumento da Lys SID de 0,70 para 0,80% tendeu (P=0,06) a reduzir a exigência de EL por kg de ganho de peso de 24,3 para 22,1 MJ/kg de ganho.
Efeitos de níveis dietéticos de lisina digestível e de energia líquida sobre o desempenho de suínos de 23 a 45 kg e de 60 a 100 kg - Image 4
O efeito do teor de Lys SID e da relação Lys SID:EL na dieta (ANOVA comparando as 6 dietas) no GMD é mostrado na Fig. 2. Em geral, o GMD máximo (P=0,025) de suínos de 60 a 100 kg foi estimado a níveis dietéticos de 0,80% de Lys SID e de 9,75 MJ de EL/kg, correspondendo a uma relação Lys SID:EL de 0,82 g/MJ. O aumento do teor de EL na dieta de 9,75 para 10,10 MJ/kg não promoveu aumento do GMD.
Efeitos de níveis dietéticos de lisina digestível e de energia líquida sobre o desempenho de suínos de 23 a 45 kg e de 60 a 100 kg - Image 5
Efeitos de níveis dietéticos de lisina digestível e de energia líquida sobre o desempenho de suínos de 23 a 45 kg e de 60 a 100 kg - Image 6
Os efeitos principais dos níveis dietéticos de Lys SID e EL nas características da carcaça são apresentados na Tabela 4. O fornecimento de Lys SID a 0,80% reduziu o número de dias para atingir o peso de abate (~107 kg PV) em aproximadamente 3 dias (53,7 vs. 56,6) em comparação a 0,70% de Lys SID. O peso da carcaça tendeu a ser menor com as dietas com 0,80% de Lys SID, mas foi relacionado principalmente ao peso final. O rendimento máximo de carcaça foi obtido com o nível estimado de 9,75 MJ de EL/kg. O rendimento de tecido magro (%) e a espessura de toucinho não foram influenciados pelos tratamentos dietéticos.

AMINODat® 4.0. Platinum version, 2010: Evonik Degussa GmbH, Hanau-Wolfgang, Germany. AMINOPig® 1.0 (2011): Evonik Industries, Hanau-Wolfgang, Germany.

Chen, H., X. Yi, G. Zhang, N. Lu, L. Chu, P. A. Thacker and S. Qiao. 2011: Studies on reducing nitrogen excretion: I. Net Energy requirement of finishing pigs maximizing performance and carcass quality fed low crude protein diets supplemented with crystalline amino acids. J. Anim. Sci. Biotech. 2(2):84-93.

Kerr, B. J., N. K. Gabler and G. C. Shurson. 2015: Formulating diets containing corn distillers dried grains with solubles on a net energy basis: Effects on pig performance and on energy and nutrient digestibility.

The Professional Animal Scientist 31:497-503. Warnants, N., M. J. Van Oeckel, M. De Paepe (2003): R esponse of growing pigs to different levels of ileal standardised digestible lysine using diets balanced in threonine, methionine and tryptophan. Livestock Production Science 82: 201-209.

Zhang G., Yi X., Chu L., Lu N., Htoo J. K., and Qiao S. 2011. Effects of dietary net energy density and standardized ileal digestible Lysine: net energy ratio on the performance and carcass characteristic of growing-finishing pigs fed low crude protein diets. Agricultural Sciences in China 10(4): 602-610.

Tópicos relacionados
Junte-se para comentar.
Uma vez que se junte ao Engormix, você poderá participar de todos os conteúdos e fóruns.
* Dados obrigatórios
Quer comentar sobre outro tema? Crie uma nova publicação para dialogar com especialistas da comunidade.
Criar uma publicação
Juarez Donzele
Universidad Federal de Viçosa - UFV
24 de septiembre de 2020
Aos autores desse trabalho , gostaria de fazer considerações que penso serem relevantes. Se eu estiver correto, foram utilizados 216 animais ( 6 TRAT x 6 ANIMAIS/UA X 6 REPETIÇÕES) no total ,e não 288, conforme consta nas metodologias .Mesmo entendendo que as metodologias utilizadas nos experimentos ,tenham sido relatadas de forma resumida , não deveria deixar de constar os delineamentos exp. utilizados . Uma segunda consideração é quanto ao fato de se ter utilizado na unidade experimental animais de sexos diferentes(M. castrados e fêmeas), principalmente no experimento 2 , mesmo com o conhecimento que o sexo do animal interfere com o potencial de desempenho e com a caracteristicas de carcaça .Assim sendo, deveria também informar na metodologia ,quantos animais foram abatidos por unidade experimental, que imagino ser a totalidade..
Aliton Nunes da Silva
4 de octubre de 2020
Parabéns a equipe pelo trabalho desenvolvido, sem dúvida as revisões de exigência de um aminoácido tão importante como a lisina e de uma propriedade que é a Energia liquida, devem receber uma atenção especial, necessária para atualizar os valores de exigência nutricionais dos animais. Entretanto sem querer tirar o mérito da equipe, senti falta do incremento de pelo menos mais 3 níveis de Lisina no desenvolvimento deste trabalho, pois o fato de só conter apenas 2 níveis de lisina limitou a possibilidade de se estimar a exigência nutricional desse aminoácido, além influenciar de forma negativa no calculo do valor real de relação Lis/EL. Quanto a utilização de um lote misto (Macho e fêmea) também deve ser repensado, pois os resultados obtidos acabam por serem diluídos entre os dois sexos, com a utilização de um único valor pra ambos, o que pode ser um problema pra um experimento envolvendo exigência nutricional, já que a exigência de qualquer nutriente é modificada por vários fatores dentre eles o sexo, que é um dos mais que influencia. Claro que, por se tratar de um experimento com suínos nem sempre o local de pesquisa tem animais com apenas um sexo, suficiente para o desenvolvimento de um trabalho dessa magnitude, é aí onde podemos estudar uma possível mudança de delineamento ou modelo experimental.
Junte-se à Engormix e faça parte da maior rede social agrícola do mundo.
Iniciar sessãoRegistre-se