PPFR: Programa linear de maximização do lucro para bovinos leiteiros

Publicado: 07/01/2014
Autor/s. :
Sumário

A formulação de ração para vacas de leite no PPFR admite que o ajuste dos nutrientes da dieta do gado leiteiro, nas mais variadas fases produtivas, sejam combinados, visando a produção com lucro máximo. A planilha eletrônica PPFR que visa o lucro máximo, foi utilizada para formulação de rações de gado de leite, para avaliar diferentes condições de otimização na produção. Os resultados obtidos mostram que o consumo de matéria seca (MS) é dependente da produção de leite, de modo que quanto maior a produção maior o consumo. A planilha permitiu a modelagem de diferentes produções de leite, atendendo todas as restrições solicitadas, com menor custo da dieta. Possibilitando ainda, a aplicação do princípio de formulação de lucro máximo e também acompanhando a curva de lactação da vaca, segundo a fase produção e o período seco.

Palavras–chave: Formulação de dietas, formulação de ração, lucro máximo, planilhas eletrônicas.

 

Introdução

Geralmente, a formulação de ração para gado leiteiro visa a máxima produção de leite, com um mínimo consumo de alimento e um ganho específico de peso. Entretanto, a melhor condição econômica para o produtor nem sempre será a máxima produção, uma vez que, a partir de um ponto, o aumento dela não será mais compensado pelo maior consumo de ração, ou seja, o extra que o animal come não justifica, financeiramente, o acréscimo da produção de leite.

Assim, a formulação baseada no lucro máximo para gado leiteiro (POND et al.; 1995; PESTI et al.; 1993) relaciona a ingestão de ração como custo, e a produção de leite com a fonte de lucro. Segundo esse modelo, cada unidade de produção, exige uma de leite, o que é acompanhado pela exigência energética. Portanto, quando a soma da produção é forçada a zero, cada unidade de produção será compensada por uma de leite. Ainda deve ser observado, que a inclusão de uma unidade de leite exige a suplementação em proteína, cálcio e fósforo.

A formulação do PPFR- Gado de Leite é expressa na base da Matéria Natural, favorecendo um apropriado "preço sombra" dos ingredientes. Outra observação, também importante, é que as diferenças entre a formulação para máximo lucro e máxima produção se tornam mais próximas quando o preço do leite aumenta (PESTI et al., 1993). Todavia, quando seu preço é baixo e o custo é alto, a diferença tornase mais expressiva entre os procedimentos de formulação (Formulação de custo mínimo e Lucro máximo). A formulação do PPFR- Gado de leite é expressa na base da Matéria Natural, favorecendo um apropriado "preço sombra" dos ingredientes. Outra observação, é que as diferenças entre a formulação para máximo lucro e máxima produção se tornam mais próximas quando o preço do leite aumenta. Todavia quando seu preço é baixo e o custo alto, a diferença torna-se mais expressiva entre os procedimentos de formulação (Formulação de custo mínimo e lucro máximo).

 

Material e Métodos

A planilha eletrônica PPFR (Programa Prático para Formulação de Rações) para lucro máximo, desenvolvida a partir do programa WUFFDA, foi utilizada para formulação de rações para gado de leite, segundo o modelo linear (dietas de custo mínimo). O PPFR utiliza o software da planilha eletrônica Excel, sendo possível listar, introduzir, alterar ou eliminar dados e realizar cálculos, permitindo grande flexibilidade. Através deste recurso, o programa PPFR utiliza planilhas de dados designadas: Títulobreve introdução e bibliografia do programa PPFR; Ingredientes- apresenta duas sessões: 1- Ingredientes ativos previamente selecionados para o cálculo e 2- Lista de várias opções de ingredientes, baseadas em Lana (2007); Nutrientes- são 24 nutrientes, com possibilidade de acréscimo, se necessário, com especificações segundo Lana (2007) e Formular- utilização da ferramenta Solver do Excel. Há também outras planilhas de suporte: Análise de Sensibilidade, Gráficos, Especificações da Ração, Ficha de Mistura e Níveis de Inclusão.

 

Resultados e Discussão

A composição dos ingredientes, o consumo e o custo da ração utilizada para cada nível de produção de leite.estão apresentados na tabela 1. O consumo máximo de matéria seca de 28 kg foi atingido apenas nas produções de 50 e 50,69 kg de leite.

Para avaliar diferentes condições de otimização na produção de vacas leiteiras visando lucro máximo, utilizou-se a planilha PPFR para simular sete cenários, onde as produções de leite poderiam variar de 0 a 60 litros, segundo as exigências de uma vaca de 700 kg de peso vivo, com três por cento de proteína bruta e gordura no leite. A definição dos alimentos utilizados e suas quantidades foram resultado da aplicação da ferramenta solver do Excel.

Os resultados obtidos mostram que o consumo de matéria seca (MS) é dependente da produção de leite, de modo que quanto maior a produção maior o consumo, atingindo um máximo com 50 litros de leite. Como era esperada, a produção mínima (0) apresentou o menor consumo, e a produção máxima, apesar de atingir o limite fisiológico previsto para a ingestão de matéria seca, não permitiu a expressão da produção máxima de leite. Demonstrando assim, que 50,69 litros é o ponto limite para o máximo lucro, e, portanto, acima deste valor há declínio no lucro.

Entretanto, visando a possibilidade de formular acima de 50,69 litros de leite é possível alterar a ingestão máxima, e observar se na prática o animal suporta tal condição de ingestão voluntária, ou escolher alimentos mais concentrados em nutrientes, para tentar viabilizar tal formulação.

Na Figura 1 tem-se a relação entre consumo e custo da ração, lucro com a venda do leite e produção de leite por vaca/dia. Nota-se que quando se eleva a produção de leite os custos aumentam, porém o lucro também é maior, atingindo seu máximo na produção de 50,69kg de leite, a partir dessa produção o lucro começa a ser menor.

 

Figura 1. Custo e consumo de ração de uma vaca de 700 kg de peso vivo em diferentes níveis de produção. Araçatuba (SP), 2010.

 

Tabela 1. Formulação de ração pelo PPFR, para bovinos leiteiros, conforme a produção de leite.

 

Conclusão

A planilha permitiu a modelagem de diferentes produções de leite, atendendo todas as restrições solicitadas, com menor custo da dieta. Possibilitando ainda, a aplicação do princípio de formulação de lucro máximo e também acompanhando a curva de lactação da vaca, segundo a fase produção (terço inicial, médio e final) e o período seco.

 

Literatura citada

LANA, R.P. Sistema Viçosa de formulação de rações. Viçosa: UFV. 2007. 90p.

PESTI, G. M., MILLER, B. R., HARGRAVE, J. Animal feed formulation: economics and computer applications- UFFDA. New York: Von Nortrand Reinhold, 1993, 116p.

POND, W. G., CHURCH, D.C., POND.K.R. Basic Animal Nutrition and Feeding. 4 ed. 1995. 615p.

WUFFDA. Georgia Agricultural Experiment Stations. Disponível em: <caespubs/ESpubs/ WUFFDA.htm> Acesso em: 26 mar. 2010.

***O trabalho foi originalmente apresentado durante 47a Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Zootecnia Salvador, BA – UFBA, 27 a 30 de julho de 2010.

 
Autor/s.
Zootecnista pela Escola Superior de Agronomia de Paraguaçu Paulista (2007) e Mestre em Ciência Animal pela Faculdade de Medicina Veterinária de Araçatuba -FMVA-, Universidade Estadual Paulista -UNESP-, SP (2013). Atualmente é Doutoranda em Zootecnia pela Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias -FCAV-, UNESP. Tem experiência na área de Produção e Nutrição em Frangos de Corte.
 
remove_red_eye 1696 forum 3 bar_chart Estatísticas share print
Compartilhar :
close
Ver todos os comentários
 
   | 
Copyright © 1999-2020 Engormix - All Rights Reserved