Explorar
Comunidades em Português
Anuncie na Engormix

O desafio de combater o “peito amadeirado” em frangos de corte

Publicado: 17 de maio de 2019
Fonte : Assessoria de Imprensa
A avicultura de corte é uma das atividades de maior crescimento no mundo. Segundo o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, a produção global de carne de frango deve girar em torno de 92 milhões/t, em 2019. No Brasil, a produção aproxima-se de 14 milhões/t/ano, com consumo per capita próximo de 45 kg/hab/ano. “O aumento da oferta é impulsionado pela alta demanda dos consumidores por produtos de qualidade e preços acessíveis”, explica Paulo Portilho, CEO da Auster Nutrição Animal. “E isso só é possível devido à evolução dos processos de melhoramento genético, nutrição, sanidade e manejo, tornando a atividade eficiente e competitiva em relação a outras proteínas de origem animal”, complementa o dirigente.

Rodrigo Braghim Slembarski, gerente de Mercado Aves de Corte da Auster destaca que “os frangos de corte produzem carne com maior eficiência e em menor tempo. “Um outro ponto importante a destacar é que as aves passaram por intenso processo de melhoramento genético, que permitiu a seleção com maior deposição de músculo no peito”, explica Slembarski.

Um desafio que ganha importância e está relacionado ao aumento da taxa de crescimento das aves é o aumento da incidência de miopatias no peito, como o peito amadeirado (woody breast), principalmente no músculo peitoral maior. Filés com a condição de peito amadeirado mostram evidências de aumento de massa muscular, degeneração das fibras, necrose, variabilidade do tamanho das fibras, infiltração lipídica, aumento da fibrose e células inflamatórias, ocasionando dureza e rigidez anormais à palpação no filé e aspecto geral negativo na qualidade da carne.

Rodrigo Slembarski destaca que a lesão do peito amadeirado pode ser observada facilmente e é classificada como normal, moderada e severa. “É considerado peito normal aquele que tem boa aparência com coloração e textura característica, não causando restrição em termos de aquisição do produto pelos consumidores”, diz.

Já na lesão moderada, “observa-se coloração mais pálida e aumento moderado da rigidez das fibras musculares, devido à deposição de tecido conjuntivo fibroso, podendo ter partes do músculo peitoral superior bem mais rígidas, ocasionando a condenação parcial do peito. E, na lesão severa, o peito apresenta coloração esbranquiçada, rigidez devido à alta deposição de colágeno”.

Considerando as condenações na linha de abate, o tema tem sido desafiador para as indústrias produtoras de frangos pesados, tendo em vista o descarte parcial e até total das carcaças. “Por conta do grande impacto no setor produtivo, o tema vem sendo tratado com atenção por pesquisadores, indústrias e produtores na tentativa de minimizar os efeitos decorrentes dessa lesão. Os geneticistas têm trabalhado na seleção genética para desenvolver animais com menor propensão à miopatia, porém este é um processo lento e complexo. Paralelamente, a nutrição trabalha com o intuito de minimizar a incidência do peito amadeirado, realizando pesquisas com diferentes níveis nutricionais de aminoácidos, vitaminas, minerais e aditivos, como por exemplo o uso de altas doses de fitase. Ou seja, a estratégia é utilizar ferramentas que nos auxiliam a reduzir a incidência e minimizar as perdas econômicas”, explica o gerente de Mercado Aves de Corte da Auster Nutrição Animal.

Pergunte sobre esta notícia
Fonte
Assessoria de Imprensa
Tópicos relacionados
Mencionado nesta notícia:
Paulo Portilho
Auster Nutrição Animal
Siga
Rodrigo
Seara Alimentos
Siga
Referentes que recomendaram :
Marlon Nangi dos Santos
Junte-se para comentar.
Uma vez que se junte ao Engormix, você poderá participar de todos os conteúdos e fóruns.
* Dados obrigatórios
Quer comentar sobre outro tema? Crie uma nova publicação para dialogar com especialistas da comunidade.
Criar uma publicação
Matheus Antonio Jose Taffarel Benetti
20 de mayo de 2019
Boa tarde, aproveitando a deixa, gostaria de saber qual seriam as possíveis causas de hematomas circulares no peito das aves de corte, essas aumentando o índice de condena no frigorífico.
Junte-se à Engormix e faça parte da maior rede social agrícola do mundo.
Iniciar sessãoRegistre-se