Mantendo a biosseguridade em rações e fábricas de rações

Publicado: 19/09/2019
Autor/s. :

Produtores de ração para animais tem como objetivo produzir alimentos que atendam as expectativas do cliente, incluindo atingir continuamente metas de produção dos animais.

O descumprimento dos critérios de qualidade pode comprometer o desempenho dos animais e tornar a ração inadequada à finalidade. No entanto, para que uma ração seja considerada adequada deve-se incluir “segurança”. A “ração segura” engloba o uso de ingredientes considerados seguros juntamente com a fabricação, armazenamento e distribuição da ração, visando garantir a segurança dos animais que consomem e, claro, segurança para pessoas que consomem produtos de origem animal.

É necessário identificar os perigos que podem causar efeitos adversos nos animais ou pessoas, e análise dos riscos em termos de probabilidade de ocorrência e gravidade dos efeitos.

O controle dos riscos de segurança dos alimentos pode implicar na prevenção, eliminação ou redução de riscos. A produção de “ração segura” deve aplicar-se a fabricantes de rações comerciais e não comerciais.

As medidas de controle precisam ser práticas e realizáveis, com ações preventivas eficazes que envolvam múltiplos obstáculos sendo preferíveis corrigir não-conformidades logo após sua ocorrência.

Salmonella

Riscos biológicos incluem contaminantes microbiológicos, tais como mofo e Salmonella. A Salmonella é um risco biológico notório devido ao seu potencial na contaminação de alimentos. A Salmonella pode ser ingerida pelo animal, multiplicada no intestino e, em seguida, espalhar-se e persistir no meio ambiente tornando-se assim uma fonte para outros animais.

Rações e fábricas de ração

Pontos de entrada Salmonella incluem ingredientes, detritos, água, estoques, caminhões, meio ambiente, pragas, animais selvagens e domésticos, equipamentos e pessoas. A ração tem sido referida como uma “fonte importante de introdução ”de Salmonella em produção comercial. Programas de gestão da qualidade baseados sobre APPCC (Análise de Perigos e Ponto de Controle Crítico), BPF (Boas Práticas de Fabricação) e Boas Práticas de Higiene desempenham um importante papel na redução de incidência de Salmonella em matérias primas, equipamentos de processamento de ração e rações finais.

Três elementos são essenciais em um Programa de controle de Salmonella:

1. Evitar contaminação na entrada da fábrica

Sem tratamento por calor na produção de ração farelada, a gestão de matérias primas é primordial. Sistemas de gestão de fornecedores de matérias primas, incluindo monitoramento por Contagem Total de Enterobactérias (TEC) e Salmonella, é necessário. Monitoramento e higiene de caminhões de entrega também são necessários. Animais domésticos ou selvagens não devem ser permitidos dentro do limite da fábrica de ração, pois eles também podem transportar Salmonella.

2. Reduzir a multiplicação dentro do ambiente da fábrica

São requeridos procedimentos eficazes de higiene da fábrica para manter cada ponto ao longo doprocesso de produção seco e limpo, com acúmulo mínimo de poeira. Telhado, teto e paredes não devem permitir entrada de água. Embora os procedimentos regulares de limpeza devam ser agendados, a limpeza física deve ser um componente normal de funções de trabalho diárias. Cada ponto ao longo do processo de produção requer o seu próprio conjunto de prevenção de Salmonella e ações corretivas. Um programa de amostragem asséptico de poeira e rações, incluindo suabe de superfície, em pontos estratégicos ao longo do processo de produção para análises de TEC e Salmonella, é necessário a fim de determinar onde a contaminação e multiplicação microbiana estão ocorrendo de modo que ações corretivas e preventivas possam ser direcionadas e implementadas.

3. Ter procedimentos em vigência para controle

Produtos líquidos a base de ácidos orgânicos e formaladeído apropriadamente formulados podem ser utilizados para tratar ingredientes contaminados e de maior risco. Exposição ao tratamento térmico no processo de peletização pode matar Salmonella, mas a eficácia depende de vários fatores incluindo temperatura, umidade e o tempo exposto à temperatura. Produtos inibidor de Salmonella são úteis em rações fareladas e também em ração peletizadas/trituradas como um complemento de apoio a etapa de exposição ao calor, durante a peletização. Inibidores em pó podem ser pulverizados ou adicionados em pontos ao longo do processo de produção para contribuir com a higiene das fábricas de rações. Equipamentos de pulverização também podem ser utilizados para distribuir inibidor de Salmonella em pó em locais fechados como silos, lugares de difícil acesso ao longo do processo e superfícies, tais como áreas de armazenamento planas.

O baixo nível de participação na fábrica de ração e higiene alimentar está associado a maiores riscos de Salmonella. Níveis crescentes de participação e intervenção estão associados a riscos progressivamente reduzidos. Medidas preventivas e corretivas apropriadas e ações são necessárias para controlar Salmonella nas rações e no ambiente da fábrica de ração. O programa preventivo deve criar impedimento a Salmonella, com a combinação certa de obstáculos ajudando a garantir a produção de ração livre de Salmonella.

Originalmente publicado no Blog da Kemin

 
Autor/s.
 
remove_red_eye 336 forum 0 bar_chart Estatísticas share print
Compartilhar :
close
Ver todos os comentários
 
   | 
Copyright © 1999-2020 Engormix - All Rights Reserved