Comparação do crescimento de duas gerações de codornas Japonesas por meio do modelo de Gompertz

Publicado: 13/12/2013
Autor/s. :
Sumário

A realização do presente trabalho teve como objetivo comparar o crescimento de duas gerações de codornas Japonesas fêmeas no período de 1 a 70 dias de idade por meio do modelo não linear de Gompertz. Foram utilizadas 518 informações de peso de aves G0 (animais adquiridos) e aves G1, produzidos a partir da G0. Conforme o modelo de Gompertz Y = A*exp [-B*exp (-C*t)] foram adotadas as seguintes hipóteses H0: AG0 = AG1, BG0 = BG1, CG0 = CG1 vs Ha: pelo menos uma igualdade é uma desigualdade. O teste de igualdade de parâmetros do modelo foi realizado utilizando aproximação dada pela estatística qui-quadrado. Os parâmetros A, B, C estimados pelo modelo completo foram AG0 = 174,300, AG1 = 205,500; BG0 = 3,665, BG1 = 2,872; CG0 = 0,061, CG1 = 0,038 e pelo reduzido de A = 186,5, B = 3,056 e C = 0,047. O valor da estatística qui-quadrado foi de 95,132, levando à rejeição de H0 (P<0,01), ou seja, uma equação comum (modelo reduzido) não deve ser utilizada para descrever o crescimento das duas gerações consideradas neste estudo. As estimativas de taxa e velocidade de crescimento para as aves estudadas evidenciaram crescimento menos intenso e mais lento para G1 em relação à G0.

Palavras-chave: curva de crescimento, igualdade de parâmetros, modelo não linear.

 

Introdução

O ajuste de um modelo adequado à curva de crescimento dos animais é o primeiro passo para a predição de requerimentos nutricionais dos diferentes genótipos, possibilitando a inserção destes em programas de melhoramento genético (Gous et al., 1999). Quando um conjunto completo de medidas está disponível para cada indivíduo em cada idade é possível propor modelos para análise e assim descrever esse conjunto de medidas. Assim, a realização do presente trabalho teve como objetivo comparar o crescimento de duas gerações de codornas Japonesas fêmeas no período de 1 a 70 dias de idade por meio do modelo não linear de Gompertz.

 

Material e Métodos

As informações utilizadas no presente estudo são referentes a duas gerações de codornas Japonesas (Coturnix coturnix japonica) fêmeas pertencentes ao Programa de Melhoramento Genético de Codornas da UFMT-CUR no qual a primeira (G0) foi adquirida de um criatório comercial e a segunda (G1) foi produzida na própria UFMT-CUR. O total de animais avaliados foi de 45 aves (19 na G0 e 26 na G1), o número total de informações de peso foi de 518 (190 na G0 e 328 na G1) no período de 1 a 70 dias de idade. As aves foram alocadas em gaiolas com dimensões de 100 cm de comprimento × 25 cm de largura × 20 cm de altura. Os comedouros utilizados foram do tipo calha e os bebedouros automáticos. A ração inicial fornecida (1 -21 dias) apresentou 25% proteína bruta (PB), 1,19% cálcio (Ca), 0,7% fósforo (P), 2,5% extrato etéreo (EE), 4,3% fibra bruta (FB), 2.682 Kcal/kg energia metabolizável (EM), e a ração de crescimento (22 - 35 dias) administrada foi constituída de 23% PB, 0,9% Ca, 0,6% P, 2,6% EE, 4,0% FB, 2.774 Kcal/kg EM e a ração de postura (36-365dias) 21,9% proteína bruta (PB), 3,3% cálcio (Ca), 0,67% fósforo (P), 2,45% extrato etéreo (EE), 3,80% fibra bruta (FB), 2.591 Kcal/kg energia metabolizável (EM). As aves tiveram acesso ad libitum à água e ração. As informações de peso das aves foram descritas pelo modelo não linear de Gompertz: Y = A*exp [-B*exp (-C*t)], em que A é o peso à maturidade; B, uma constante de integração, relacionada aos pesos iniciais do animal e sem interpretação biológica bem definida; C é interpretado como taxa de maturação, um indicador da velocidade com que o animal se aproxima do seu tamanho adulto e t é a idade. A partir da equação de Gompertz pode-se obter a idade à taxa máxima de incremento do peso corporal (Ln B)/C, peso corporal à taxa máxima A*exp-1 e a taxa de incremento máxima K*A*exp-1. Para a comparação do crescimento das duas gerações de codornas foram adotadas as seguintes hipóteses H0: AG0 = AG1, BG0 = BG1, CG0 = CG1 vs Ha: pelo menos uma igualdade é uma desigualdade. O teste de igualdade de parâmetros foi realizado conforme Regazzi (2003) utilizando aproximação dada pela estatística qui-quadrado com estatística dada por - n ln(n σ2Ω/n σ2w ) em que n é o número total de observações, σ2 (n - p) nQMRES é a soma de quadrados de resíduo, Ω indica o modelo completo, w o modelo reduzido e p é número de parâmetros estimados por cada modelo. O teste de qui-quadrado tem v = p Ω - pw graus de liberdade.

 

Resultados e Discussão

Os parâmetros A, B, C estimados pelo modelo de Gompertz completo foram AG0 = 174,300, AG1 = 205,500; BG0 = 3,665, BG1 = 2,872; CG0 = 0,061, CG1 = 0,038 e pelo reduzido de A = 186,500, B = 3,056 e C = 0,047. O valor da estatística qui-quadrado foi de 95,132, levando à rejeição de H0 (P<0,01), ou seja, uma equação comum (modelo reduzido) não deve ser utilizada para descrever o crescimento das duas gerações consideradas neste estudo. Assim, nas Figuras 1 e 2 estão descritas as curvas de crescimento e de taxas de crescimento obtidas pelo modelo de Gompertz especificamente para a G0 e para G1 conforme estimativas dos parâmetros obtidas pelo modelo completo.

 

Figura 1- Curva de crescimento do peso corporal ajustada (CAJ) pelo modelo Gompertz em função da idade e peso observado (OBS) de duas gerações de codornas Japonesas fêmeas (G0 e G1).

 

Balcioglu et al. (2005), em estudo com linhas de codornas Japonesas submetidas à seleção divergente para peso corporal, observaram diferenças importantes entre os parâmetros do modelo de Gompertz dependendo da linha considerada. Estes resultados evidenciam que existe variação no crescimento entre e dentro das diferentes linhas de codornas Japonesas, permitindo assim que trabalhos de seleção sejam aplicados com sucesso nesta espécie. Conforme as estimativas dos parâmetros do modelo completo obteve-se a idade em que a taxa de crescimento foi máxima 21,155 e 27,191 dias, peso à taxa máxima de crescimento de 64,121 e 75,599 g e taxa máxima de crescimento de 3,937 e 2,933 g/dia para G0 e G1, respectivamente. Semelhantemente, Balcioglu et al. (2005) utilizando o modelo de Gompertz obtiveram estimativas entre 78,300 e 112,100 g para peso à taxa máxima de crescimento e entre 20,720 e 21,490 dias para a idade no ponto de inflexão dependendo da linha de codornas Japonesas estudada. As estimativas de taxa e velocidade de crescimento para as aves estudadas evidenciaram que a G1 apresentou crescimento menos intenso e mais lento. As diferenças entre as estimativas dos parâmetros de crescimento de G0 e G1 podem ser resultado do sistema de acasalamento aplicado a estes animais em que, as matrizes G0 com maior produção de ovos foram acasaladas, em geral, com machos G0 mais leves para a formação da G1. Sabendo que existe antagonismo entre peso corporal e produção de ovos, essa suposição poderia se confirmar.

 

Figura 2- Taxa de incremento do peso corporal de duas gerações (G0 e G1) de codornas Japonesas fêmeas conforme a idade.

 

Conclusões

O modelo de Gompertz permitiu descrever adequadamente o crescimento das aves podendo ser considerado uma ferramenta útil ao monitoramento e avaliação do crescimento de codornas Japonesas. Existe diferença significativa entre as estimativas dos parâmetros descritores do crescimento para as duas gerações de codornas, fato este que pode ser devido à prática de acasalamento adotada para estas aves. Neste sentido, uma equação comum não deve ser utilizada para descrever o crescimento das duas gerações consideradas no presente estudo. As estimativas de taxa e velocidade de crescimento para as aves estudadas evidenciaram que a G1 apresentou crescimento menos intenso e mais lento do que a G0.

 

Agradecimentos

À Universidade Federal do Mato Grosso pelo apoio financeiro e infraestrutura.

 

Literatura citada

BALCIOGLU, M.S.; KIZILKAYA, K.; YOLCU, H.G. et al. Analysis of growth characteristics in short-term divergently selected Japanese quail. South African Journal of Animal Science, v.35, n.2, p.83-89, 2005.

GOUS R.M. et al. Evaluation of the parameters needed to describe overall growth, the chemical growth and the growth of feathers and breast muscles of broiler. Poultry Science, v.78, p.812-821, 1999.

REGAZZI, A.J. Teste para verificar a igualdade de parâmetros e a identidade de modelos de regressão não-linear. Revista Ceres, v.50, n.287, p.9-26, 2003.

**O artigo foi originalmente publicado por X Simpósio Brasileiro de Melhoramento Animal Uberaba, MG – 18 a 23 de agosto de 2013.

 
remove_red_eye 338 forum 0 bar_chart Estatísticas share print
Compartilhar :
close
Ver todos os comentários
 
   | 
Copyright © 1999-2020 Engormix - All Rights Reserved