Engormix/Avicultura/Artigos técnicos

Abrigos Aves Coloniais

Cobertura de Abrigos de Aves Coloniais com Material Isolante Alternativo e Reciclável

Publicado: 27/06/2012
Autor/s. : Paulo Giovanni de Abreu; Valéria Maria Nascimento Abreu; Alessandra Sousa Dias

Introdução

O Brasil por ser um país de clima tropical com temperaturas elevadas no verão e intensa radiação, os materiais a serem utilizados na cobertura de abrigos de aves coloniais devem permitir bom isolamento térmico para que o ambiente interno seja menos influenciado pela variação climática. A redução da carga térmica incidente depende do material de cobertura utilizado para promover esse conforto. A proteção contra a insolação direta de coberturas, pode ser feita com o uso de coberturas com alto poder reflectivo, uso de isolantes térmicos e uso de materiais de grande inércia térmica (Abreu & Abreu, 2000). A utilização do alumínio presente nas embalagens de alimentos "longa vida", pós-uso, como refletor de calor e os plásticos de bolhas como isolantes térmicos são promissores para aumentar o conforto térmico das aves, recicláveis e de baixo custo (Abreu et al., 2001). Assim, esta pesquisa foi realizada para estudar diferentes materiais alternativos como isolamento térmico das coberturas dos abrigos de aves coloniais para subsistência objetivando melhorar o conforto térmico.
 

Metodologia

Esse experimento foi realizado na Embrapa Suínos e Aves, Concórdia-SC, utilizando-se 4 modelos de abrigos móveis padrão Embrapa para criação de aves coloniais, com oitões abertos e cobertura de diferentes materiais (Figuras 1, 2, 3 e 4): Lona e embalagens Longa vida (L+ELV); Lona (L); Embalagens Longa Vida (ELV); e Plástico com bolhas de ar e Embalagens Longa vida (P+ELV). A camada de embalagens Longa vida na cobertura de lona e na cobertura de plástico foi fixada abaixo das mesmas com a superfície aluminizada voltada para cima. Os dados do ambiente térmico interno dos abrigos foram coletados durante cinco dias, de duas em duas horas, de oito às dezesseis horas.
Com base nos dados coletados em cada horário, no ambiente interno, para cada tratamento, foi determinada a Umidade Relativa do Ar (UR), a Temperatura Ambiente (TA) e foram calculados o Índice de Temperatura de Globo e Umidade (ITGU) e a Carga Térmica Radiante (CTR).
O delineamento experimental foi inteiramente casualizado em esquema fatorial 4 x 5 x 5 (tratamentos, horas e dias) e as médias foram comparadas pelo teste Tukey a 5%, utilizando o programa de análises estatísticas SAS (SAS Institute Inc., 1990).
Figura 1 – Lona e embalagens Longa Vida.
Cobertura de Abrigos de Aves Coloniais com Material Isolante Alternativo e Reciclável - Image 1
 
Figura 2 – Lona.
Cobertura de Abrigos de Aves Coloniais com Material Isolante Alternativo e Reciclável - Image 2
 
Figura 3 – Embalagens Longa Vida.
Cobertura de Abrigos de Aves Coloniais com Material Isolante Alternativo e Reciclável - Image 3
 
Figura 4 – Plástico com bolhas de ar e embalagens Longa Vida.
Cobertura de Abrigos de Aves Coloniais com Material Isolante Alternativo e Reciclável - Image 4
 

Resultados e Discussão

As análises estatísticas mostraram diferenças significativas entre os tratamentos para o ITGU, CTR e UR. Os valores médios de ITGU, CTR, UR e TA estão apresentados na Tabela 1. Para o ITGU a cobertura que apresentou o maior valor compreende àquela que recebeu somente a lona (L) sendo considerada a pior condição de conforto. As demais coberturas comportaram-se de maneira semelhante, estatisticamente. Para a CTR, o menor valor foi encontrado na cobertura com L+ELV, e o maior valor foi novamente na cobertura de lona (L) que diferiu estatisticamente das demais. A CTR recebida pelas aves no interior dos abrigos com cobertura de lona (L) foi cerca de 10% maior que nos demais abrigos. O maior valor de UR também foi encontrado na cobertura de lona (L). Entretanto, todos os valores médios estão próximos da faixa de UR recomendada para criação de aves (60-70%). Para a TA não houve diferença estatística entre os tratamentos.
Tabela 1 - Valores médios de ITGU, CTR (W/m2), UR (%) e TA (oC), para as diferentes coberturas, em função das horas
Cobertura de Abrigos de Aves Coloniais com Material Isolante Alternativo e Reciclável - Image 5
 

Conclusão

A condição de conforto térmico dos abrigos de aves coloniais é melhorada com a adoção de material isolante alternativo de baixo custo utilizado na cobertura.
 

Referências Bibliográficas

ABREU, P. G. DE; ABREU, V. M. N. Ventilação na avicultura de corte. Concórdia: Embrapa Suínos e Aves, 2000. 50p. (Embrapa Suínos e Aves. Documentos, 63).
ABREU, P. G. DE; ABREU, V. M. N; DALLA COSTA, O. A. Materiais isolantes em coberturas de cabanas de maternidade em sistema intensivo de suínos criados ao ar livre (SISCAL). In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA AGRÍCOLA, 30, 2001, Foz do Iguaçu. Anais. Foz do Iguaçu: CONBEA, 2001. V. 1CDROM.
SAS INSTITUTE INC. SAS User´s guide: statistic. version 6.04. Cary: 1990. 956p.
 
Autor/s. :
 
Visualizações623Comentários 1EstatísticasCompartilhar