engormix
search
search
O serviço não está disponível para entrar em contato com esta empresa desde Estados Unidos

126.000 poedeiras não mentem: O valor nutricional do hidroxianálogo de DL-metionina corresponde a 65% do valor do MetAMINO®

Publicado: 23/10/2019
Autor/s. :


Conclusões


• Um experimento de grande escala, com duração de 180 dias, avaliou 2 tratamentos dietéticos em 126.000 poedeiras: 1) dieta com hidroxianálogo líquido de metionina (MHA-FA) e 2) dieta com DL-Metionina (MetAMINO®) suplementada a 65% (em base a produto) do MHA-FA líquido no tratamento 1.

• A substituição do MHA-FA líquido pelo MetAMINO® na proporção de 100:65 não comprometeu nenhum dos parâmetros de desempenho, mas indicou vantagens numéricas para o tratamento com MetAMINO®.

• O estudo revelou economia financeira significativa e maior lucratividade da granja para o tratamento com MetAMINO®.

• A bioeficácia sugerida de 66% para o MHA-FA líquido pela Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA, 2018) foi confirmada e validada por este experimento comercial de larga escala.

Introdução e objetivo

Em comparação com aves em crescimento, a determinação exata da biodisponibilidade relativa do hidroxianálogo de metionina em relação à DL-metionina é limitada pelos mecanismos fisiológicos em poedeiras, frequentemente resultando na superestimação da biodisponibilidade relativa. Neste contexto, é especialmente importante a partição de metionina e cisteína da dieta para vários fins metabólicos. As poedeiras priorizam as exigências para a manutenção das funções metabólicas vitais e da produção de ovos (número de ovos, ou seja, reprodução), enquanto que o crescimento das penas, o ganho de peso corporal e o tamanho dos ovos têm menor prioridade. Portanto, uma deficiência marginal não se reflete necessariamente na produção de ovos, porque a metionina e a cisteína são redirecionadas e menos utilizadas para crescimento das penas, ganho de peso corporal ou tamanho do ovo.

Na literatura, alguns estudos com poedeiras sugerem valores de biodisponibilidade de cerca de 70% para o MHA-FA líquido em comparação com a DL-Metionina para a massa diária de ovos. No entanto, esses valores não representam o valor recomendado de 65% estabelecido para aves, aquicultura e suínos (Lemme et al., 2012; Htoo et al., 2012; Lemme et al., 2010). A Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA) sugeriu recentemente uma biodisponibilidade de produtos de MHA de cerca de 65% em relação à DL-Metionina (75% na comparação equimolar) para todos os monogástricos e aves e atribui essa menor eficácia principalmente a uma maior degradação microbiana dos produtos de MHA no intestino e uma pior utilização de dos dímeros, trímeros e oligômeros do MHA (EFSA, 2018).

A fim de avaliar as recomendações e o parecer da EFSA, foi realizado um experimento comercial de grande escala com poedeiras, em cooperação com a Universidade de Osnabrück, na Alemanha, em uma granja comercial.

 Materiais e Métodos

Dois galpões de poedeiras, com um total de 126.000 poedeiras ISA Dekalb White, de uma granja comercial foram disponibilizados para o estudo. Os galpões foram divididos em 2 áreas (com 31.500 cada), com seis boxes sobre o piso cada um (Figura 1). Embora a produção de ovos só pode ser registrada por galpão, o consumo de ração, o peso vivo e o empenamento foram registrados por área (n = 2 por tratamento). Cada área foi equipada com 18 linhas de comedouros e 8 linhas de bebedouros nipple. As aves foram criadas na própria granja e não foram debicadas. Para evitar diferenças entre os tratamentos além das fontes de metionina, as aves foram mantidas sob o mesmo programa de luz, a mesma temperatura e submetidas às mesmas práticas de manejo durante os períodos de criação e produção.

As aves receberam rações suplementadas com MHA-FA líquido ou com MetAMINO®. As rações foram manufaturadas pelo mesmo fabricante de ração e só diferiram quanto à fonte de metionina utilizada. Os principais ingredientes foram milho, trigo, cevada, farelo de girassol, farelo de soja e farelo de canola. As composições detalhadas de ração não estavam disponíveis, mas as dietas corresponderam às especificações comerciais padrão do fabricante. As informações sobre ingredientes e níveis nutricionais foram obtidas dos rótulos das rações (Tabela 1). Portanto, a ração padrão da Fase 1 continha 11,2 MJ/kg de energia metabolizável (2675 kcal/kg), 17% de proteína bruta e foi suplementada com 1,30 kg/t de MHA-FA líquido ou 0,845 kg/t de DL-Met. Na Fase 2, o nível de proteína bruta foi reduzido para 16%, enquanto os níveis de energia e de inclusão da fonte de metionina permaneceram inalteradas. O experimento durou 180 dias e envolveu duas fases de alimentação. A segunda fase começou após cerca de 2/3 de todo o período experimental e a segunda dieta foi introduzida ao mesmo tempo em ambos galpões e tratamentos. Durante o período experimental, foram produzidas 61 batidas de cerca de 25 toneladas de cada dieta, somando um total de 122 batidas. Foram coletadas amostras das batidas de ração, que foram analisadas individualmente e, em alguns casos, como amostras agrupadas (8 amostras individuais por amostra agrupada). A análise das amostras de ração indicou níveis médios de lisina de 0,84% e 0,85% nas dietas das fases 1 e 2, respectivamente (Tabela 2). Os níveis de metionina + cisteína nas rações suplementadas com MHA-FA foram de 0,58% e 0,57% e 0,67% e 0,64% nas rações de MetAMINO® nas fases 1 e 2, respectivamente. Além disso, a análise confirmou as concentrações desejadas das fontes de metionina suplementadas.

As condições locais permitiam o registro diário do consumo de ração por área (não foi possível o registro individual por box). Como o tamanho do lote também foi atualizado diariamente, foi possível calcular o consumo médio de ração por ave. Não foi possível registrar o número e o peso dos ovos diariamente por área. A contagem e a pesagem dos ovos foram feitas por galpão (fontes de metionina) por um dia a cada duas semanas e, portanto, a produção de ovos e a distribuição do tamanho dos ovos foram calculadas por tratamento. A distribuição do tamanho dos ovos também incluiu contagens de ovos rachados e sujos, mas não foi influenciada pelos tratamentos. Este também foi o caso dos ovos postos fora do ninho, que foram contados diariamente. Da mesma forma, a cada duas semanas, foi medido o peso corporal de 100 aves por box usando uma balança móvel. A qualidade do empenamento foi avaliada usando uma escala de escores de 0 a 3 (ver Tabela 1).

Resultados

Os resultados acumulados dos 180 dias estão mostrados na Tabela 3. Os resultados indicam que o uso de 65 partes de MetAMINO® em substituição a 100 partes de MHA-FA líquido não prejudicou nenhum dos critérios de desempenho. Além disso, a distribuição do tamanho dos ovos não diferiu entre os tratamentos (Figura 4). Do ponto de vista biológico, os resultados confirmaram que ambas as fontes de metionina podem ser usadas alternativamente em uma proporção quantitativa de 65:100.

Além disso, houve tendência de melhor desempenho no tratamento com MetAMINO®, que foi mais evidente para a produção média de ovos, massa diária de ovos e conversão alimentar. As curvas mostram uma leve diferença na produção de ovos, massa diária de ovos e conversão alimentar dos dois tratamentos a partir da 23ª semana (Figuras 2 e 3). Exceto pelo consumo de ração, que foi registrado diariamente, as curvas dos outros parâmetros foram baseadas em amostras coletadas a cada 2 semanas. Os valores registrados neste experimento estão de acordo com os valores gerais obtidos nesta granja comercial.

A análise da rentabilidade sugere uma economia de €1.380 quando os resultados experimentais do período de 180 dias de cada tratamento foram extrapolados para todas as 126.000 poedeiras, considerando apenas a diferença de preço entre os produtos (Tabela 4). Neste cálculo, foi pressuposta uma relação de preço de 80% entre os produtos (€2,00/kg de MHA-FA líquido; €2,50 euros/kg de MetAMINO®).

A rentabilidade foi analisada de forma mais detalhada, porque o consumo de ração por tratamento foi determinado diariamente, fornecendo dados mais robustos. Considerando apenas as diferenças de consumo de ração, foi calculada uma economia adicional de €9.435 (Tabela 4). As diferenças na produção de ovos e na massa de ovos melhorariam ainda mais a rentabilidade do tratamento com MetAMINO®.

Conclusões

Estes resultados confirmam que a substituição de MHA-FA líquido por MetAMINO® em base peso/peso de 100:65% não apresenta risco de queda de desempenho na produção comercial de ovos em larga escala. Inclusive, as poedeiras alimentadas com MetAMINO® apresentaram desempenho ligeiramente melhor, resultando em economia considerável, melhorando a rentabilidade.

 Além disso, o resultado deste experimento está de acordo com o parecer recente da Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA, 2018), que sugere um valor de eficácia biológica de 75% para os produtos MHA em nível molar, o que se traduz num valor de 67% em base a produto.

Referências bibliográficas

 
remove_red_eye 113 forum 1 bar_chart Estatísticas share print
Compartilhar :
close
Ver todos os comentários
Produtos
NÃO APENAS MELHORES, MAS OS MELHORES RESULTADOS. Desempenho, efic&a...