Pastejo rotativo de capim-elefante é alternativa de baixo custo e alta produtividade

Data de publicação : 14/12/2011
Fonte : CPT – Centro de Produções Técnicas.

Dentre as vantagens da gramínea estão o alto grau de produtividade, capacidade suporte, viabilidade econômica e alta eficiência fotossintética.

O leite é o subproduto do bovino, e sua qualidade e quantidade produzidas vão depender, dentre outros fatores, da alimentação. Um manejo nutricional adequado resulta em qualidade e vantagens econômicas para o produtor. Esse deve ser baseado em nutrientes, como a proteína, energia, minerais e vitaminas. A quantidade de cada elemento varia de acordo com a categoria animal e com a composição química dos alimentos utilizados.

Na alimentação de vacas em lactação, considerando seu estágio, idade, nível de produção, consumo de matéria seca, além do escore corporal, é necessário o fornecimento de alimentos em quantidades superiores e de qualidade. A alimentação deve atender a todas as exigências dos animais, de forma a atingir o desempenho desejado.

As vacas em lactação são responsáveis por cerca de 50% do custo de produção do leite e, com isso, fica clara a necessidade de buscar programas de produção de forragens e sistemas de alimentação eficientes, que usem menos mão-de-obra e garantam maior produtividade.

Quando o produtor utiliza pastagens de maneira correta para alimentar o rebanho leiteiro, ele pode reduzir os custos de sua produção, sem perder a qualidade. Isso acontece porque existe economia de mão-de-obra e com alimentos concentrados. O pasto é a maneira mais barata de alimentar o rebanho e constitui-se em um sistema de produção com menores inversões iniciais de capital, além de possuir um menor impacto negativo no meio ambiente.

As gramíneas tropicais são conhecidas pelo seu potencial de serem até duas vezes superiores ao das temperadas. Dentro dessas possibilidades, o capim-elefante é uma excelente opção para produtor de gado a pasto. Dentre sua vantagens, estão o alto grau de produtividade, capacidade suporte, viabilidade econômica e alta eficiência fotossintética.
A utilização do capim-elefante, por meio do pastejo rotativo, têm mostrado excelente potencial, especialmente no que diz respeito à produção de leite por área, devido à sua alta capacidade de suporte, 4 a 6 vacas por hectare, produzindo em torno de 12 a 14 kg de leite por dia, sem suplementação de concentrados na época das águas.

Pesquisas relacionadas com o manejo de gramíneas tropicais, visando à alta produção de leite em condições de pastejo, enfatizam a necessidade de se conseguir maior proporção de folhas, para a obtenção de dietas de melhor qualidade. A razão para isso se deve ao fato de que, usualmente, as folhas apresentam valor nutritivo bem superior ao dos caules. No capim-elefante, manejado por meio do pastejo rotativo, a rebrota da planta é composta quase que exclusivamente de folhas, especialmente quando o período de descanso é de, no máximo, 30 dias.

O uso do capim-elefante para pastejo rotativo está em alta, devido à diminuição dos custos e aumento da rentabilidade. No entanto, é preciso que seja feita a implantação da pastagem, seu plantio e manejo de forma correta.

 

fonte: site do CPT – (Centro de Produções Técnicas.)

 
remove_red_eye 3134 forum 16 bar_chart Estatísticas share print
Compartilhar :
close
Ver todos os comentários
 
   | 
Copyright © 1999-2019 Engormix - All Rights Reserved