engormix
search
search
Estaremos presentes no:
28 al 30 de Outubro de 2020
Areia, Paraiba, Brasil

Fronteiras do uso da fibra na Nutrição Avícola - A nutrição do segundo cérebro

remove_red_eye 366 forum 8 bar_chart Estatísticas share
Compartilhar :
close
As informações de vídeo
Ver mais
17 de Junho de 2020
quais os tipos de alimentos possíveis de alimentar os animais com fibra, alem da soja e o milho.
Responder
25 de Julho de 2020

Gilson Alexandre Gomes, entendendo que o pouco tempo de duração do video, de alguma forma , inviabilizou uma apresentação mais aprofundada sobre sobre o uso da fibra na nutrição das aves. Primeiramente ,é importante destacar, que não basta somente a discussão
fazendo referencia ´somente ao nível da fibra a ser utilizado. Tão importante quanto, é necessário considerar também, as caracteristicas físico- química das fibras, que podem favorecer ou comprometer o desempenho das aves.Neste particular é significativamente negativo a solubilidade da fibra, que influencia diminuindo a fluidez da digesta no lúmen intestinal , comprometendo a digestibilidade dos nutrientes e consequentemente o desempenho das aves. Inclusive tem estudos disponível na literatura que associaram esse efeito negativo da fibra solúvel a alteração indesejável na microbiota das aves, uma vez que esse efeito negativo não é verificado em aves livres de germes. Um outro detalhe que penso ser importante considerar , que as fibras do milho, e principalmente ,do farelo de soja , tem reconhecido efeito negativo sobre a microbiota das aves, o que levou a oportunidade da utilização de enzimas , como xilanase e mananase, que atuam respectivamente sobre as fibras do milho e do farelo de soja. A ação dessas enzimas pode melhorar o desempenho das aves, pela sua ação de desdobrar os polissacarídeos desses ingredientes, em oligossacarídeos, que são favoráveis a microbiota., Minha intenção foi discutir um pouco mais o assunto , com informações que não foram possíveis de serem abordadas, devido o escasso tempo do video.Entendo a possibilidade de questionamento sobre o que procurei discutir.
Responder
Gilson Alexandre Gomes Gilson Alexandre Gomes
Gerente Técnico Global
AB Vista AB Vista
Florida, Estados Unidos
27 de Julho de 2020
Olá Professor Juarez Donzele . Sempre bom ter seus comentários e gerar mais discussões a respeito.
Sim, seus comentários são bastante pertinentes, e é exatamente o que nós da AB Vista queremos, é de explorar mais profundamente o tema fibra, e que as metodologias comumente utilizadas não nos ajudam muito na compreensão da fibra (p.ex. fibra bruta, FDN e FDA são análises gravimétricas e na verdade medem frações insoluveis no processo de análise e que podem não necessáriamente ser fibra, ou que na verdade muitas vezes apenas parte do que realmente é fibra).
Outro ponto interessante que você cita é a respeito da solubilidade. Muitas vezes os nutricionistas confudem solubilidade com viscosidade, e não é sempre o caso. A viscosidade geralmente está associada a beta-glucanos (no caso de cereais como a cevada - em maior grau - e o trigo - em menor grau), e também a mananos solúveis (vemos isso principalmente no guar - que na industria alimentícia é usado para formar uma goma de guar como chamamos - e em bem menor grau na soja).
Fibra solúvel viscosa é problematica, mas existem fibras solúveis não viscosas, e essas servem como substrato de fermentação para bactérias benéficas. Importante salientar que a fibra dietética contida na ração pode ser modulada e alterada. Como você mencionou, o uso de enzimas nos possibilita alterar a fração fibrosa e essa será então mais facilmente fermentada pela microbiota intestinal.
Estamos produzindo uma série de artigos e estudando muito a respeito, pois entendemos que fibra não é totalmente negativa. Podemos sim entender melhor a composição dos ingredientes e saber se a fibra será mais ou menos fermentada e os desafios nutricionais que ela pode nos trazer quando analisamos PNA's e lignina, e deixamos de usar metodologias ultrapassadas como fibra bruta, FDN e FDA. Faço um comparativo que o benefício que esse avanço nos trará será como quando deixamos de usar proteína bruta como referencia e passamos a analisar aminoácidos. Ainda temos muito que estudar e compreender, mas usar a metodologia analítica correta é definitivamente um bom começo.
Se você quiser saber mais a respeito da análise de PNA's por NIR acesse o link: https://www.abvista.com/news/July-2020/An-introduction-to-Fibre-Analysis-using-NIR-guide.aspx
Abraços e mais uma vez obrigado por instigar a discussão
Responder
26 de Julho de 2020
Não ficou claro se o farelo de trigo é prejudicial as aves. Poedeiras e de corte.
Responder
Gilson Alexandre Gomes Gilson Alexandre Gomes
Gerente Técnico Global
AB Vista AB Vista
Florida, Estados Unidos
27 de Julho de 2020
Olá Lúcio Manoel S Picanço . Farelo de trigo é um ingrediente comumente utilizado em rações de poedeiras e matrizes de corte. Não tanto em frangos de corte devido ao baixo teor de energia.
A fibra no farelo de trigo geralmente é de muito bom perfil. Temos uma grande maioria sendo insolúvel, mas também uma quantidade interessante de fibra solúvel. Por se tratar de sub-produto de trigo é sempre aconselhavel uso de xilanase pois podemos ter uma quantidade de arabino-xilanos solúveis que pode levar a viscosidade, e portanto o uso da enzima evita esse problema.
No caso de aves de postura, ter mais fibra advinda do uso de farelo de trigo vai ajudar na fisiologia digestiva das aves (moelas mais desenvolvidas pelo fato de ter uma quantidade interessante de fibra insolúvel), e ajuda também no comportamento das aves (aves alimentadas com mais fibra são menos agressivas e existem duas explicações, uma devido a taxa de passagem da ração no trato intestinal que é mais lento, então a ave não desenvolve problemas de bicagem de pena; e outro relacionado a microbiota intestinal, onde temos relatos na literatura que a microbiota pode alterar humor e comportamento de diversas espécies)
No caso de matrizes, os beneficios acima são bastante relevantes, pois são aves com restrição alimentar.
Para frangos, poucos nutricionistas tem o costume de aumentar a fibra. Mais recentemente tem se falado que a pressão genética por taxa de consumo tem feito com que a digestibilidade de nutrientes seja baixa, e trazer mais fibra para a dieta pode ser uma maneira de melhorar a digestibilidade. Como mencionado, poucos nutricionistas fazem isso, mas acredito que uma inclusão baixa de farelo de trigo pode sim trazer benefícios tanto na fisiologia digestiva (desenvolvimento de moela), como taxa de passagem e gerando metabólitos interessantes através da fermentação de fibra (ácidos graxos voláteis, e aqui principalmente olhando acético e butirico, e com especial enfase ao butirico que traz beneficios interessantes e reduzir inflamação intestinal e por servir como fonte de energia para as celulas do intestino)
Lembre-se, farelo de trigo pode facilmente umedecer, então existe o risco de micotoxinas caso esse ingrediente não seja conservado de maneira adequada.
Desculpe pela longa resposta, mas espero ter ajudado quanto ao uso do farelo de trigo e seus beneficios quanto a composição da fibra
Se quiser saber mais a respeito da composição do farelo de trigo acesse o link abaixo
https://www.abvista.com/news/July-2020/An-introduction-to-Fibre-Analysis-using-NIR-guide.aspx
Responder
27 de Julho de 2020
Gilson Alexandre Gomes Obrigado. Foi bem útil.
Responder
27 de Julho de 2020

Gilson Alexandre Gomes, você entendeu perfeitamente que minhas considerações não tiveram outra finalidade que a de discutir com mais detalhes sobre o assunto fibra. Concordo que as frações de FB ,FDN E FDA comumente determinada nos laboratórios, que constam nas diferentes tabelas de composição de alimentos ,não são suficientes, para caracterizar a qualidade da fibra para as aves e suínos . Uma das grandes restrições esta exatamente no fato de que a fração solúvel da fibra presente em vários alimentos , não são quantificadas .com essas analises. Destaca-se também que os oligossacarídeos presentes no farelo de soja e em qualquer outra fonte alimentar, .também não são quantificados. A dinamica dos estudos inclusive tem constatado que diversas frações da lignina, presente na fibra, que era inicialmente considerado inerte ,revelaram ter ação antimicrobiana . Essas informações são importantes para os profissionais da área, principalmente quando se avalia uma fonte de alimento substituindo parcialmente o milho .
Responder
27 de Julho de 2020
Gilson Alexandre Gomes para complementar as considerações anteriores, um aspecto não menos importante sobre as fibras na nutrição animal é o alto incremento calórico . produzido durante a sua fermentação. Essa é uma característica que limita a utilização de fontes fibrosas na época quente do ano. Lembrar que rações dos frangos na época de alta temperatura deve conter menos fibra e maior nível de óleo vegetal, exatamente em razão da diferença dos seus incremento calórico.
Responder
Engormix se reserva o direito de apagar e/ou modificar os comentários. Veja mais detalhes
Comentar
Produtos
Signis é - uma combinação única de xilanase e x...
O produto é produzido na planta de fermentação da comp...
Quantum Blue O que muda para a superdosagem é a quantidade de produ...