Engormix
Entrar o registar-me

Milho alimentação poedeiras comerciais.

Classificação de frações de milho obtidas através da mesa densimétrica na alimentação de poedeiras comerciais.

Publicado o:
Autor/s. :
(712)
(0)
Sumário

Um experimento foi conduzido com o objetivo de classificar frações de milho obtidos por estratificação em mesa densimétrica designados por: MDA (milho de densidade alta), MDI (milho de densidade intermediária), MDB (milho de densidade baixa) e um MDT (milho de densidade total - 30% MDA, 60% MDI e 10% MDB) utilizando os padrões do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), considerando: grãos quebrados, ardidos, carunchados, chochos, impurezas e fragmentos e materiais estranhos. A incidência de defeitos (%) foram: 12,61; 35,13; 96,16 e 34,69% para MDA; MDI; MDB e MDT, respectivamente. Verificou-se maiores percentuais de defeitos para o MDB, o que compromete seu valor energético e conseqüentemente o desempenho zootécnico das aves, caso não seja realizado as devidas correções das matrizes nutricionais para a formulação de ração de precisão.

Palavras-chaves: estratificação de grãos; nutrição avícola; qualidade de milho

Introdução:

Grãos de milho de qualidade inferior comprometem seu valor nutricional, por alteração da composição química, diminuição da biodisponibilidade de alguns nutrientes, presença de fatores antinutricionais e proliferação de fungos com ou sem produção de micotoxinas. Os grãos quebrados ou trincados são mais propensos à contaminação por bolores e micotoxinas. Entretanto, existe pouca informação de como estas frações podem afetar a energia metabolizável (EM) de uma dada amostra de milho (DALE, 1994). Desta forma o objetivo do trabalho foi verificar o percentual de defeitos das diferentes frações de milho obtidas por estratificação em mesa densimétrica.

Materiais e Métodos:

O experimento foi realizado no Laboratório de Análise de Alimentos da Guaraves Alimentos - Guarabira, Paraíba. Foram avaliadas quatro frações de milhos obtidos através de estratificação em mesa densimétrica, designados por MDA (milho de densidade alta), MDI (milho de densidade intermediária), MDB (milho de densidade baixa) e um MDT (milho de densidade total 30% MDA, 60% MDI e 10% MDB), que foram utilizados na alimentação de poedeiras comerciais em fase de produção utilizando os padrões do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), considerando: grãos quebrados, ardidos, carunchados e chochos, impurezas e fragmentos e materiais estranhos.

Resultados e Discussão:

Na Tabela 1 estão apresentados os resultados da classificação de grãos das diferentes frações de milho de acordo com os padrões do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

A classificação mostrou maiores incidências de grãos quebrados e impureza/fragmentos no MDB. Para os grãos quebrados foram observados valores intermediários para o MDI e MDT, e menores valores para o MDA. Com relação aos demais defeitos, as frações de milho não apresentaram grandes valores percentuais, exceto o MDB para impureza/fragmentos do próprio grão. O MDB teve 96,16% de defeitos, enquanto o MDA apresentou 12,61%, seguido do MDT e MDI com 34,69 e 35,13%, respectivamente. Segundo reportado por DALE (1994), os grãos de milho quebrados e matérias estranhas apresentaram respectivamente 90 a 330 kcal/kg de EM a menos em relação a grãos inteiros. Entretanto, nesta última foi notada pelo autor uma extrema variação, à medida que materiais diferentes faziam parte da fração de matéria estranha.

Segundo BIAGI et al. (1996), o comércio internacional de grãos procura orientar a qualidade por variáveis como umidade, grãos quebrados, material estranho, cor e imperfeições. A classificação dos grãos das frações demonstrou eficiência na separação pela mesa densimétrica, originando produtos de valor nutricional diferenciado. O MDA foi classificado como o melhor tipo e o MDT mostrou-se próximo dos resultados obtidos pelo MDI e a partir desses resultados pode-se utilizar equações de predição presentes na literatura (ROSTAGNO et al., 2005) para estimar os valores de energia metabolizável para aves. 

Conclusão:

O milho de densidade mais baixa apresentou maiores percentuais de defeitos pela classificação de grãos, o que compromete seu valor energético e conseqüentemente o desempenho zootécnico das aves, caso não seja realizado as devidas correções das matrizes nutricionais para a formulação de ração de precisão para poedeiras comerciais. 

Referências:

BIAGI, J. D. ; SILVA, L. O. N. DA; MARTINS, R. R. Importância da qualidade de grãos na alimentação animal. In: Simpósio Latino-Americano de Nutrição Animal e Seminário sobre Tecnologia de Produção de Rações, 1996, Campinas. Anais... Campinas, p. 21-45, 1996.

DALE, N. Efeitos da qualidade no valor nutritivo do milho. IN: Conferência Apinco de Ciência e Tecnologia Avícolas 1994. Campinas: FACTA, p. 67-72, 1994. 

ROSTAGNO, H. S. Composição de alimentos e exigências nutricionais de aves e suínos (Tabelas Brasileiras), 2a edição, Ed. Impr. Univ. da UFV, Viçosa, 186 p., 2005.

(712)
(0)
Deseja opinar nesta discussão sobre: Classificação de frações de milho obtidas através da mesa densimétrica na alimentação de poedeiras comerciais.?
Engormix se reserva o direito de apagar e/ou modificar os comentários. Veja mais detalhes

Não serão publicados os comentários:

  • Com repetidos erros de ortografia.
  • Anúncios, Web sites ou endereços de e-mail.
  • Perguntas ou respostas irrelavantes para a discussão.
COMENTAR
As poedeiras coloniais Embrapa 051 são aves para produção ...
 
Um problema geralmente enfrentado pelo produtor de galinhas de postura comercia...
Olá Dr. Gonçalo Palone Gostaria muito receber o Artigo completo Papel das aflat...
 
- Lorena Suelen Vasconcelos Lima - Gostaria de receber esse artigo em pdf. - Jo...
Serviços Profissionais
    |     Quem somos nós?     |     Anuncie em Engormix
Copyright © 1999-2014 Engormix.com - All Rights Reserved